O dono deve sempre estar atento a saúde do seu pet para evitar doenças mais graves

Donos de cães devem sempre estar atentos a saúde dos seus animais, principalmente em épocas com maior propenção a enfermidades, como o inverno. O frio acaba levando ao surgimento de diversas doenças respiratórias e é preciso ficar atento se o cachorro não está com dificuldade para respirar.

Mais:  Tudo sobre diabetes em cachorros

Vírus, fungos, bactérias ou protozoários são alguns dos causadores dessas enfermidades, e eles podem gerar males bem simples, como alergias e resfriados, mas também graves, como asma e pneumonia. Então, se o pet sempre respirou normal e, de repente, começou a ter dificuldade para respirar , fique atento, pois ele precisa ser tratado.

Se a doença fora rapidamente identificada, ela mais cedo será tratada
Reprodução Pinterest
Se a doença fora rapidamente identificada, ela mais cedo será tratada

Como identificar?

Primeiramente, o principal sintoma é a dificuldade para respirar. Puxar ar para os pulmões é um grande trabalho para o animal. Esse esforço pode deixá-lo ofegante, sem nem ter praticado exercícios e causar vômitos constantes. Preste atenção em quantas vezes o cão inspira o ar. 

Outros sintomas são espirros, tosses, corrimento nasal, respiração curta e rápida, sibilo (chiado ao respirar), febre, latidos roucos, cianose (mucosas arroxeadas), desidratação e perda de apetite. Fique atento para esse quadro não evoluir para uma doença respiratória mais grave.

Veja também:  O coração do seu pet está saudável? Confira alguns cuidados necessários

Possíveis causas

As causas da dificuldade de respirar são várias, mas só uma visita ao veterinário pode identificar corretamente o problema. Veja algumas das doenças que causam problemas respiratórios e podem atingir cães.

  • Pneumonia
  • Bronquite
  • Colapso de traqueia
  • Tumores torácicos
  • Engasgo com objeto estranho
  • Tosse dos Canis
  • Alergias
  • Pneumotórax
  • Hemotórax
  • Pleurite

O que fazer caso o animal tenha uma parada respiratória?

Primeiramente, leve-o imediatamente a uma clínica veterinária. Durante o caminho, o dono pode tentar realizar os primeiro socorros antes do pet ser devidamente atendido. O primeiro passo é verificar os sons dos batimentos cardíacos do cachorro. Caso nenhum batimento tenha sido detectado, deve-se deitar o animal do lado direito, manter a boca dele fechada e assopar no focinho, semelhante a respiração boca a boca. Depois, atrás do cotovelo do cão, o tutor deve fazer a massagem cardíaca, sendo um sopro para cada cinco compressões no tórax. A sequência deve ser repetida pelo menos três vezes ou até chegar na clínica.

Se a doença fora rapidamente identificada, ela mais cedo será tratada
shutterstock/Reprodução
Se a doença fora rapidamente identificada, ela mais cedo será tratada


Como tratar as doenças?

O tratameto adequado depende da origem do problema, então para a doença ser corretamente idenficada e curada, leve o animal primeiro num profissional. Jamais medique em casa, pois você não sabe o motivo do problema respiratório e isso pode agravar o caso do pet. Depois de levá-lo ao veterinário, siga o tratamente prescrito e, se não houver melhora, procure o profissional novamente.

Mais:  Humanos e animais podem ter doenças em comum; saiba quais

Existem alguns cuidados que podem ser feitos diariamente e que evitam uma possível dificuldade para respirar. Não deixe de dar todas as vacinas ao animal, não o deixe exposto a chuva ou frio e o mantenha sempre limpo. Esses pequenos cuidados vão garantir que seu cachorro esteja sempre saudável e raramente fique doente. Em seguida, atrás do cotovelo do cão, o tutor deve fazer a massagem cardíaca, sendo um sopro para cada 5 compressões no tórax. A sequência deve ser repetida pelo menos três vezes ou até chegar na clínica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.