A traqueobronquite infecciosa canina ocorre com maior intensidade no inverno e, como o nome já diz, só atinge os cachorros

Também conhecida como traqueobronquite infecciosa canina ou traqueíte, a tosse dos canis é uma das doenças mais comuns entre os cachorros. Além dos sintomas serem muito parecidos com a gripe humana, ela é considerada uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida dos animais para as pessoas .  É altamente contagiosa e a incidência aumenta em climas frios. 

A tosse dos canis é considerada uma das doenças mais comuns entre os cães
Virbac
A tosse dos canis é considerada uma das doenças mais comuns entre os cães

O nome tosse dos canis vem exatamente dessa fácil propagação. Em locais com grandes aglomerações de animais, como os abrigos, a doença se torna muito comum. Por esse motivo é importante diagnosticar e tratar rapidamente o primeiro animal que apresentar os sintomas. A veterinária Fabiana Zerbini responde as principais perguntas para tornar essa ação mais eficaz.  

O que é a tosse dos canis? 

É uma síndrome respiratória complexa que pode ser causada tanto por vírus, como por bactérias. Essa ultima é mais preocupante. A doença sazonal ocorre com maior frequência em climas frios, como no inverno. 

Como ocorre a transmissão?

As formas de transmissão mais comuns da tosse dos canis se dão pelo contato direto entre um cão saudável e um contaminado, ou contato indireto, pelo ar, através de secreções respiratórias. O vírus ou a bactéria se locomovem facilmente devido a grande quantidade de espirros e tosses. Os agentes podem ainda ser representados por caminhas , casinhas, vasilhas e brinquedos. 

Atinge quais animais?

Acomete principalmente os cães. O agente que causa uma infecção secundária na Tosse dos Canis, a Bordetella bronchiseptica , pode estar associada ao Complexo Respiratório Felino (uma infecção do trato respiratório), porém, há poucas informações sobre a intensidade que a patogenicidade alcança nos gatos. Dessa forma, a importância clínica não é conhecida, já que essa bactéria é isolada de muitos gatos sadios.

Os sintomas da tosse dos canis incomodam muito os animais
Reprodução Pinterest
Os sintomas da tosse dos canis incomodam muito os animais

Quais são os sintomas?

Os principais sintomas são tosse em variados graus, espirros, secreção nasal purulenta e falta de apetite. Esses sinais podem se agravar caso ocorra uma infecção secundária, observando-se febre, anorexia e dispnéia. Pode haver também situações de engasgo, ânsia e vômito. 

Nos casos mais graves pode ser observadas tonsilite, rinite, conjuntivite, pneumonia intersticial e broncopneumonia. Vale lembrar que tudo isso piora mediante a exercícios físicos. 

Como é feito o diagnóstico?

Caso os sintomas citados acima se assemelham com a condição do animal, é muito importante levá-lo ao veterinário. Alguns exames serão feitos para um diagnóstico exato, entre eles uma anamnese metódica e um exame físico. Informações sobre o habitat do animal, os locais anteriormente visitados, situações anteriores de estresse, contato com animais infectados e o cumprimento das vacinas necessárias também são importantes. 

Na maioria dos casos clínicos não se procura um diagnóstico definitivo, mas uma avaliação da gravidade da doença e a presença de infecções secundárias. Hemograma de rotina e provas bioquímicas são auxiliares para monitorar a saúde do animal. 

Qual o tratamento?

O tratamento vai variar de acordo com o estágio que a tosse dos canis se encontra. Nos casos mais brandos, por exemplo, o próprio organismo do animal pode se defender e desaparecer com os sintomas dentro de 4 dias e 3 semanas sem nenhum tipo de tratamento. Mas o desconforto que a doença causa para os animais e para os proprietários justifica o uso de medicamentos. 

Os cães com sinais mais graves ou que persistirem por mais de 2 semanas devem ser avaliados para complicações secundárias ou para reavaliação do diagnóstico. Geralmente, nesses casos é adotada uma terapia de suporte acompanhada de antibióticos, corticosteróides, mucolíticos, broncodilatadores ou antitússicos. 

A tosse dos canis pode ser fatal?

Sim, é possível que o animal venha ao óbito, mas esses são casos mais isolados. O risco só é real quando há uma associação entre agentes que causam a infecção, como, por exemplo, a presença da bactéria  Bordetella bronchiseptica juntamente com o vírus. Esses quadros costumam ser mais graves devido a uma maior lesão respiratória e a uma infecção secundária

Como evitar a doença? 

A vacinação é a melhor forma de prevenção da tosse dos canis
Reprodução Pinterest
A vacinação é a melhor forma de prevenção da tosse dos canis


A prevenção ocorre por meio da vacinação.  A mais indicada é a vacina CH(A2)PPi/LR que protege contra o vírus parainfluenza e reduz os sintomas da infecção secundária. Além disso, é necessário um controle ambiental. Lugares arejados, limpos e com poucos animais diminuem muito a probabilidade de contágio. 

No caso de suspeita, recomenda-se que o animal seja isolado, para evitar a proliferação da doença. A desinfecção do ambiente (com hipoclorito de sódio) também é recomendada. 

Por que a doença é mais presente no inverno?

O frio é o ambiente perfeito para o transporte do vírus ou da bactéria. O tempo seco dificulta a dispersão das partículas e secreções, que acabam suspensas no ar por mais tempo. Além disso a resistência imunológica dos animais diminui com as baixas temperaturas e as vias aéreas ficam ressecadas pela pouca umidade do ar, perdendo a proteção natural do nariz. 

Todos os cães podem ser contaminados? 

Os cachorros que frequentam locais com grande concentração de animais como pet shops, canis, hotéis e abrigos estão mais predispostos a contrair a tosse dos canis. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.