Descubra como melhorar a alimentação do seu gato
Redação EdiCase
Descubra como melhorar a alimentação do seu gato

Médico veterinário explica como alimentar os pets corretamente e garantir a absorção de nutrientes

Seu gato está enjoado da ração, e você mistura comida humana para satisfazê-lo? Saiba que isso não é o certo, pois desequilibra os nutrientes da comida do pet, principalmente nos níveis de proteína, gordura e carboidrato. “A ração contém todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo do animal”, explica o médico veterinário Roberto Tortelly Neto, sócio-proprietário da TOCCA Pet Escola.

Comida natural para gatos

Também não é indicado preparar a alimentação do gato em casa sem a orientação de um profissional capacitado. Caso deseje migrar para a alimentação natural, por exemplo, o melhor a ser feito é procurar um veterinário, assim ele irá propor uma dieta balanceada baseada nas necessidades do pet. “Claro que se o gato falasse, com certeza descartaria a ração por um bom pedaço de carne”, brinca o veterinário.

Alimentando o gato corretamente

A seguir, o médico veterinário Roberto Tortelly listou 5 dicas para te ajudar a melhorar a alimentação e a absorção de nutrientes do seu gato. Confira!

> 5 suplementos alimentares importantes para cães e gatos

1. Evite deixar a ração exposta 

Geralmente, os tutores deixam a ração à disposição do gato. Roberto Tortelly explica que a ração exposta ao ar reage com o oxigênio, formando uma gordura ruim para o organismo do pet e que dificulta a absorção de uma série de nutrientes importantes. “O correto é que ele faça de 2 a 3 refeições ao dia”, alerta.

2. Utilize comedouro de inox 

Outro fator importante é sobre o comedouro: usar o de plástico ou o de inox? O veterinário Roberto Tortelly fala que o melhor é o comedouro de inox, pois não possuem poros e, assim, facilita a higienização, o que impede a proliferação de possíveis doenças.

3. Escolha um local aconchegante para o pote de ração 

Vários fatores influenciam na alimentação de seu gatinho. Um deles, muito importante por sinal, é o local em que você deixa o potinho de comida. “Qualquer animal submetido a um ambiente estressante, com dificuldade de adaptação, longe de carinho e com condições climáticas desfavoráveis, expressa comportamento diferente e perdem o apetite”, enfatiza Roberto Tortelly.

4. Ofereça mais proteínas durante a gestação

Roberto Tortelly explica que no período de gestação e até 2 meses depois de parir, as gatas necessitam de um nível maior de proteína, para o desenvolvimento do filhote e para a sua nutrição. O desequilíbrio deste nutriente pode levar a diversas doenças, tanto na carência proteica como no consumo excessivo de proteína.

> Entenda a importância de não deixar animais sozinhos em casa

5. Ofereça uma ração de qualidade 

Uma boa alimentação para os bichanos também influencia em sua pelagem e saúde, por isso, o médico veterinário ressalta que oferecer uma ração de qualidade é importante. “Uma ração de qualidade proporciona a absorção adequada de lipídeos, constituídos pelos ácidos graxos essenciais como ômega 3 e 6, que contribuem para o brilho da pelagem”, diz Roberto Tortelly.

Diferença entre rações úmidas e secas 

A ração foi criada para que todas as necessidades dos nossos gatos sejam atendidas, mas ainda há dúvidas sobre qual é a melhor. O veterinário Roberto Tortelly explica a diferença entre as rações secas e as úmidas:

Ração úmida 

Tem algumas vantagens por fornecer uma quantidade de água maior do que a ração seca e por ser mais saborosa. Os gatos não têm muito costume de beber água, na natureza, preferem obtê-la a partir de suas presas. Por isso, dão prioridade para consumir o intestino da caça, formada por 80% de líquido. A ração úmida é mais cara e não ajuda na prevenção de tártaro. Após abertos, os sachês devem ser consumidos rapidamente, caso contrário, podem ter a qualidade comprometida.

Ração seca 

Por ter um teor de água menor, a ração seca apresenta um percentual de nutrientes maior, quando comparada com a ração úmida. Porém, esse fato pode causar problemas renais aos felinos. Ao mastigar, os grãos ajudam também na limpeza dos dentes, prevenindo o aparecimento de tártaro. O maior problema é que o alimento não estimula o consumo de água pelos gatos.

Confira mais dicas para cuidar dos animais de estimação na revista ‘Guia dos Pets’

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários