Guia de Bichos
Mastino Napoletano

Mastino Napoletano

  • Nome no Brasil: Mastino Napoletano
  • Nome original: Mastino Napoletano
  • País de origem: Itália
  • Tipo de pelo: Curto

Tudo sobre Mastino Napoletano

Porte: grande
Área de criação: média
Energia: média
Temperamento: amigável

Descrição

Trata-se de um cão de porte gigante com um aspecto bem robusto. Possui uma pele grossa e rugas pelo corpo todo, principalmente na cabeça. Quando filhotes possuem os olhos azuis e quando adultos azuis escuros. Sua pelagem é curta, densa e áspera com caimento uniforme por todo o corpo do cão. As cores aceitas para essa raça são a cinza, cinza chumbo, preto, marrom, fulvo, castanho e fulvo avermelhado, além da versão tigrada dessas cores. Essa raça não perde muito pelo. 

A cabeça é larga, em um formato quadrado, acompanhada de olhos redondos, cobertos pelas dobras da pele. O focinho tem narinas largas, é também quadrado e curto. A face frontal é cheia de dobras, rugas e as bochechas são caídas. As orelhas são médias, dobradas ao lado da cabeça e lisas. As pernas são medianas, grossas e musculosas. As patas são ovais, grandes e com dedos separados. As unhas são longas. A cauda é mediana, mantém-se na altura do corpo ou mais baixa quando em repouso.

  • Grupo: 2 -   Pinschers e Schnauzers, Cães molossos tipo montanhês e tipo Dogue e boiadeiros suíços
  • Porte: 2 - Cães molossos
  • Altura macho: 65 a 75 cm 
  • Altura fêmea: 60 a 68 cm
  • Peso: 50 a 90 Kg
  • Tipo de pelo: curto, denso e áspero
  • Função original: cão de guarda
  • Temperamento: dominante, reservado e amigável
  • Expectativa de vida: aproximadamente 10 anos

Escala de 1 a 5
  • Para tutores de primeira viagem: 1
  • Energia: 3
  • Inteligência: 4
  • Facilidade de adestramento: 3
  • Como cão de guarda: 5
  • Adapta-se ao calor: 3
  • Adapta-se ao frio: 3
  • Adapta-se bem à vida em apartamento: 2
  • Necessidade de atividades físicas: 3
  • Fica bem sozinho: 3
  • Relacionamento com a família: 5
  • Relacionamento com crianças: 2
  • Relacionamento com estranhos: 1
  • Relacionamento com outros cães: 1
  • Tendência a latir: 4

Muitos acreditam que esse tipo de cão Mastiff originou-se na Mesopotâmia ou no Egito. Seriam cães de guarda para agricultores que queriam proteger seus rebanhos de ovelhas e cabras, além de possíveis predadores. Aos poucos os impérios perceberam que poderiam usar esse cão também para guerras e a fim de proteger grandes propriedades. 

O Mastino Napoletano já existia no período do Renascimento, mas só recebeu esse nome no século XX. Depois de ser separado das demais linhas desses cães, tornou-se uma variedade separada. Alguns desses animais eram usados para o trabalho e outros para proteção de propriedades. A classe alta italiana usava muito esse cachorro, que criou a impressão de ser feroz e agressivo com estranhos e muito protetor. 


Mas o conceito da raça e sua utilidade mudou bastante. Hoje em dia, nos Estados Unidos, por exemplo, o Mastino Napoletano é tipicamente um cão de companhia.

Características

É uma raça de guarda, embora muito amigável e dócil com seus donos. Relaciona-se muito bem com crianças e outros animais não caninos, principalmente quando criados desde pequenos. O Mastino Napolitano possui um temperamento equilibrado o que faz com que seja moderadamente agressivo e barulhento. Late quando necessário e avança somente em casos de ameaça à casa ou à família. É desconfiado com estranhos e não aceita bem outros cães, principalmente do mesmo sexo. Essa raça costuma babar muito. 

Para controlar um animal desse porte e com instintos de guarda é altamente recomendado um bom treino de obediência. O dono de um Mastino Napolitano deve ser o seu líder e ensinar a família toda a dominar o cão. É calmo e confiante, mas seu perfil dominante e perfil pode se destacar. É mais propenso a morder e atacar pessoas do que outros pedigrees. O ideal é passear sempre com focinheira e ser muito bem educado para evitar qualquer dano a terceiros.

Quando filhotes são amigáveis, mas conforme amadurecem ficam mais reservados. Com estranhos, por exemplo, não são receptivos e encaram essas pessoas como ameaças ao seu território.

Podem se relacionar bem com crianças, desde socializados e que as brincadeiras não sejam muito brutas. O porte gigante da raça pode machucar sem querer pessoas mais frágeis. Para idosos, inclusive, não é uma raça recomendada. A maioria dos especialistas não indica o Mastino Napolitano para famílias com filhos, pelo risco de serem feridos. Pode se tornar dominante e irritar-se com barulhos e movimentos bruscos das crianças.

É um cão inteligente e capaz de aprender rápido, mas para isso precisa de um tutor firme para poder respeitá-lo. Normalmente os donos ficam satisfeitos com o resultado dos treinamentos. É bom lembrar, por outro lado, que esse adestramento suaviza o comportamento agressivo, porém não elimina de vez e a família deve estar sempre atenta. 

O Mastino Napolitano exige menos exercícios diários do tutor do que muitas raças, embora seja ativo quando comparado às de porte gigante como ele. Ficará tranquilamente deitado no sofá, do mesmo jeito que vai gostar de brincar com a bolinha, mas algumas caminhadas por semana dão conta da energia desse cão. No entanto, se ficar horas sozinho em casa e sem atividades para estimular a mente pode se tornar destrutivo e irritado. 

Cuidados básicos

Não há uma frequência obrigatória de banhos. Seu pelo requer poucos cuidados. Uma escovação semanal ajuda a remover sujeiras. Por ser uma raça de porte gigante tem a tendência a desenvolver displasia, logo é recomendado o acompanhamento veterinário. Aconselha-se alimentar um Mastino Napoletano duas a três vezes ao dia ao invés de uma única vez, tendo em vista sua propensão em ter dilatação gástrica. 

Não precisa de exercícios tão intensos quanto outras raças. Brincadeiras e algumas  caminhadas por semana ajudam a saúde do pet. Não deve ter sua estrutura óssea tão forçada, à medida que tende a desenvolver problemas nas articulações por ser de porte gigante. 

As orelhas devem estar sempre limpas e sem umidade acumulada, para evitar infecções de ouvido.


Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade. Cães de porte gigante consomem rações large breed.
A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Mastino Napoletano é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 90 a 575 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 425 a 515 gramas/dia.

Espaço para criação

Pode viver em apartamento e espaços pequenos desde que exercitados diariamente. No verão é recomendado deixá-lo em local fresco, coberto e com água fresca à vontade dada a sua sensibilidade ao calor.

Saúde

No geral o Mastino Napolitano é saudável, mas seu tamanho gigante pode levar a complicações, como a displasia no quadril e no cotovelo , que nada mais é do que uma inflamação nas articulações, causada pelo excesso de peso para as pernas carregarem. 

Além disso, esse cachorro pode ter dilatação gástrica , em que ocorre a torção do estômago e aumento de seu volume, provocando intensificação da fermentação e acúmulo de gás e alimento.

Pode, ainda, ter problemas ainda quando filhote, no crescimento esquelético e desenvolver complicações na estrutura óssea ao longo do tempo.

É também um cachorro braquicefálico , então tem a face frontal mais achatada e o nariz mais curto, o que pode prejudicar sua respiração.

Curiosidades

O Mastiff Napoletano apareceu em filmes como: Babe: pig in the city, DragonHeart, American Gangster e Belly. 


Por quê ter um Mastino Napoletano?
É um cão apegado à família, amigável e leal. É ótimo para quem busca um cão de guarda excelente, com espírito protetor. É inteligente e tem o temperamento equilibrado. Fica obediente e mais tranquilo quando treinado desde jovem, para evitar comportamento agressivo. 

Pode se relacionar bem com crianças, principalmente se criado junto delas e acostumado desde filhote. Porém, o ideal é conviver com as mais velhas, para evitar machucar as menores e as brincadeiras devem ser supervisionadas. É mais indicado para casas onde só há adultos.

Para tomar conta de propriedades é excelente e gosta de se sentir útil para esse tipo de tarefa. 

Não exige exercícios intensos e só precisa de brincadeiras e algumas caminhadas por semana para manter a saúde. É bom para pessoas sem muito tempo para levar o cão a passeios diários. 

Consegue até se adaptar a espaços pequenos, como apartamentos, mas nesse caso precisa recorrer a outros ambientes para se movimentar.

Por quê não ter um Mastino Napoletano?

Ao mesmo tempo que é excelente cão de guarda, é também uma raça agressiva e brava. Em especial com estranhos. Não é receptiva com desconhecidos e está sempre alerta e desconfiado. Com outros cães tem o mesmo relacionamento, ainda mais quando é macho. Pode atacá-los e dentre as outras raças essa é a com mais tendência a morder. 

Conviver com pessoas frágeis, como idosos e crianças muito pequenas, não é recomendado, já que pode machucá-los com seu tamanho bruto. 

Quando fica irritado ou sem atividades para ocupar o tempo tende a latir e ser barulhento para chamar atenção. O mesmo é válido para quando fica horas sozinho em casa. Viver em condomínios com muitos vizinhos e ter um Mastino Napoletano pode não ser uma boa combinação.

Não é indicado a tutores de primeira viagem, por ser relativamente difícil de treinar e por exigir um dono com consistência e dominância. Do contrário o cachorro pode se considerar o "alfa" da casa, ou seja, o líder, e tomar controle das situações.
Conheça outras raças de cães