Dia 4 de outubro, é comemorado o Dia Nacional de Adotar um Animal. Infelizmente, o abandono e maus-tratos ainda são presentes na sociedade e muitos animaizinhos ainda estão por aí precisando de um lar. A data tem o objetivo de conscientizar cada vez mais pessoas a adotar um bichinho de estimação.

Quem pensar que adotar será bom apenas para o animal está enganado. Bichos de estimação podem nos trazer muito amor, carinho e alegria , como é caso desta garotinha de apenas 10 anos. Seu cãozinho foi adotado em uma ONG pelo aplicativo Petzillas e conquistou o coração da pequena Fabiana Galbes e de todos ao seu redor. O bichinho tinha muita semelhança com o rottweiller falecido da família.

Garotinha abraçando cãozinho
Arquivo pessoal
Fabiana, 10, e o vira-lata Zack

Quando o pet morreu de câncer em 2017, Fabiana ficou devastada. Em homenagem ao antigo cãozinho, o novo vira-lata ganhou o nome de Zack, mesmo do falecido pet, além do  amor incondicional que toda a família já compartilhava pelo animal. 

"Não tínhamos noção de quanto o Zack havia impactado na vida da minha filha porque não tínhamos tanta convivência com ele. Só mesmo quando adotamos o novo Zack é que percebemos isso, inclusive pela escolha do nome", contou a mãe, Flávia Galbes, de 46 anos.

A família vivia em Joinville (SC), onde a garotinha viu um cachorrinho muito parecido com o falecido Zack em uma feira de adoção de animais,. "Ela ficou tão impressionada com a semelhança entre os dois, que não largava mais o cachorro, ficou o tempo todo com ele no colo. Só que eu não queria outro bichinho porque já tínhamos outros dois gatos e um cachorro", explicou Flávia.

A mãe conta que a família se arrependeu da decisão e voltou para a feira, mas já era tarde. O cãozinho já havia sido adotado. "Nossa criança ficou com febre a semana inteira, só chorava e falava do cachorro. Foi então que comecei uma busca desenfreada a procura de outro cachorro que tivesse semelhança com o Zack", lembrou.

Por sorte, Flavia encontrou outro filhote vira-lata com a mesma carinha do rottweiller Zack, em um anúncio de uma ong de Joinville. "Imediatamente, meu marido foi buscá-lo. Ela (Fabiana) ficou muito emocionada quando viu o cachorro e perguntou: ‘Mãe, é sério isso? Ele é nosso?´".

Quando a mãe acenou que sim, a menina olhou para o céu e disse: "Zack, obrigada por trazer um novo Zack para mim". Assim começou a história de "Zack, o vira-lata", que ganhou até um perfil no Instagram. "É um cachorro perfeito. Amo muito o Zack. Ele é tudo pra mim", contou a menina.


A adoção ocorreu em outubro de 2018. Em dezembro a família se mudou para Osasco. Zack começou a apresentar problemas de saúde, o que deixou a família bem preocupada. "Era véspera de Natal. Foi uma longa viagem e, para nosso desespero, Zack começou a convulsionar. Foram cinco dias com convulsão. Achamos até que ele morreria", contou a mãe. O pet foi diagnosticado com a doença do carrapato. "Cuidamos muito dele. Chegamos até a fazer reiki", diz Flávia.

Com muitos cuidados e, principalmente, bastante afeto, Zack se recuperou 100%, sem sequelas neurológicas. Flávia ressalta a importância de se estar ciente de que adotar um animal requer dedicação em cuidar dele. "Na época, conhecemos o PetZillas, um aplicativo que fez toda a diferença durante o tratamento. Lá, anotamos todo o prontuário dele, controlamos os medicamentos, o peso... Foi essencial, pois ele nos lembrava a hora certinha de administrar os remédios".

AA família gostou tanto da experiência que decidiu adotar outro animal. Adotaram o Paçoca, que também estava doentinho, mas hoje é um cachorro totalmente saudável. Agora, Zack, Paçoca e os gatos Trovão e Boris - todos cadastrados no PetZillas - fazem parte do dia a dia da família Galbes.

"Nossa rotina é viver em função dos nossos animais. Procuramos fazer tudo com eles, frequentamos locais petfriendly, vamos a eventos pet... Tudo para podermos estar sempre perto deles. Fazem parte da nossa família", declarou.

Adotar um animalzinho é tudo de bom, mas é de extrema importância que as pessoas fiquem cientes de que eles necessitarão de muito amor, carinho, e cuidados para preservar seu conforto e bem-estar  e que precisarão disso ao longo de toda a sua vida. Sempre consulte um médico veterinário para saber se estará apto a fornecer tudo o que o bichinho precisa e sempre que puder não compre, adote.

    Veja Também

      Mostrar mais