Hoje, dia 17 de fevereiro, é comemorado o Dia Mundial do gato . Apesar de a popularidade do felino ter aumentado nos últimos anos - uma pesquisa divulgada pelo Instituto Pet Brasil mostrou que enquanto o número de cães nas residências aumentou apenas 3,8% entre 2013 e 2018, o de gatos cresceu 8,1% -, ainda existem muitos "achismos" de que ele é um animal frio, traiçoeiro e extremamente independente. Porém, Isabella Gomes e Maria Freire podem comprovar o contrário.

Ambas moram sozinhas em São Paulo e contam que se sentiam solitárias em casa. Isabella Gomes tem 20 anos e se mudou para estudar jornalismo. A falta de companhia dentro de casa fazia com que ela ficasse a maior parte do tempo desanimada, quieta e sem ânimo para sair. “Na casa dos meus pais eu tenho dois cachorros, então sempre que eu vou para minha cidade eles me fazem companhia, aí pensei que aqui poderia ter um bichinho na minha casa também”, conta a estudante que acabou adotando um gatinho chamado Joaquim. 

Leia também: Dona filma ação de gato para roubar pizza; vídeo é hilário

Gato branco e preto posando para foto em uma parede florida arrow-options
Isabella Gomes
Isabella começou a morar sozinha e adotou Joaquim como uma nova companhia
Mulher sorrindo segurando gatinho branco e preto arrow-options
Isabella Gomes
Isabella diz que antes de Joca se sentia muito sozinha e sem ânimo


Maria Freire também sentia falta de um vínculo de Betânia. Sabendo quem em algum momento passaria a viver sem as pessoas que morava, ela não pensou duas vezes antes de adotar. Ela conta que a gata mudou completamente a forma como ela olhava e planejava a vida, todos os planos passaram a incluí-la e o dia a dia passou a ser mais leve, mais feliz. 

Gato preto deitado olhando para a câmera arrow-options
Maria Freire
Maria também adotou Betânia porque se sentia sozinha


A escolha de Isabella e de Maria por um gato foi pautada na maior independência deles em relação aos cães, mas isso não significa que eles são animais frios e que não precisam de cuidados e atenção. Ao adotar os bichinhos ambas contam que tiveram que arrumar tempo para educar, dar atenção e preparar tudo para que Joaquim e Betânia se sentissem em casa. Os gatinhos acabaram tomando um tempo e atenção que antes eram vazios, trazendo mais sentido para a vida das donas. 

Mão fazendo carinho em gato preto que está deitado arrow-options
Maria Freire
Maria passou a entender muito mais sobre o universo dos felinos depois de Betânia


As superstições de que gatos não são bons animais de estimação são desmentidas pelas meninas que evidenciam as diferentes personalidades dos felinos como o principal fator para que sejam considerados frios e até mesmo traiçoeiros. “Gatos são totalmente independentes, e eles vão criando a personalidade conforme são educados. O Joaquim, toda vez que chego em casa, vem correndo miando e começa a se esfregar nas minhas pernas, pedindo carinho”, conta Isabella.

Gato preto e branco com roupinha sentado em frente à janela abrindo a boca arrow-options
Isabella Gomes
"Gatos são totalmente independentes, e eles vão criando a personalidade conforme são educados", conta Isabella


Maria ainda conta que os gatos tem várias formas diferentes de demonstrar seu afeto, e nem por isso são má animais para se ter. “Tem gato que de fato é um pouco mais reservado, outros são um pouco mais ariscos, mas eles tem vários modos de demonstrar afeto: sentam em um lugar em que conseguem enxergam os donos, esfregam a cabeça na perna, eles têm sempre um gesto que mostra que não são frios. Eles têm personalidades diferentes, mas frios, acho que não são", afirma ela que chegou a trabalhar como babá de gatos depois que se apaixonou por Betânia. 

Leia também: Confira tutorial para fazer fantasias de carnaval para gatos em casa

Gato preto sentado na janela arrow-options
Betania
Maria enfatiza que cada gato tem a sua maneira de demonstrar afeto


Os gatos são animais, como qualquer outro, que exigem muito cuidado e responsabilidade das pessoas que decidem adotá-los. Como Isabella e Maria deixaram claro, a ideia de que são animais ruins para se ter como companhia é errada, eles podem trazer felicidade ao lar e é uma ótima opção para quem mora sozinho e pretende ter um pet. Mas, claro, tudo deve ser feito com muita responsabilidade. 


    Veja Também

      Mostrar mais