O verão é a época mais quente do ano, mas as chuvas também são frequentes. Com o aumento da temperatura, da umidade, além dos passeios em parques e brincadeiras com água, os cães ficam mais suscetíveis a algumas doenças . De acordo com Thaís Matos, veterinária da DogHero, infestação de parasitas, insolação e hipertermia, desidratação e viroses são os problemas de saúde mais comuns na estação. 

Para evitar essas doenças em cães  o dono precisa conhecê-las a fundo e tomar todos os cuidados para previní-las. Thaís explica cada uma delas. 

Infestação de pulgas e carrapatos

pulga na mão de dono de cachorro arrow-options
reprodução shutterstock
Com a chegada do verão, os donos precisam tomar vários cuidados com os animais, dentre eles a proliferação de pulgas e carrapatos

O clima do verão cria um ambiente propício para que pulgas e carrapatos se multipliquem. Esse cenário somado ao aumento dos passeios em parques, praias, faz com que o risco do pet contrair uma infestação seja grande. "O ideal é que o pet esteja sempre com a prevenção de pulgas e carrapatos em dia, independentemente da época do ano. Porém, no verão, a atenção precisa ser maior", afirma a veterinária. 

Os principais sintomas de que o cachorro está com o problema de saúde são coceira, alergia (dermatite alérgica à picada de pulga) e até falta de pelo em determinados lugares. 

Leia também:  Listamos os melhores produtos antipulgas para seu cão não passar aperto no verão

Insolação e hipertermia

Esses problemas de saúde costumam se manifestar quando os cães fazem exercícios físicos em locais com temperaturas elevadas, ficam dentro do carro por muito tempo ou em cômodos pouco arejados. Exposição ao sol por longo período também é uma causa. Com raças de pelagem densa (bernese, são bernardo, etc) e braquicefálica (pug, buldogue, etc) a preocupação deve ser maior , já que elas apresentam uma dificuldade natural de regular a temperatura corporal. 

Respiração ofegante, fraqueza e até diarreia com sangue e/ou urina escurecida são os principais sintomas. "Procure um veterinário para a terapia de suporte e reversão do quadro o mais rápido possível, pois a condição pode levar a óbito. Mantenha o pet em local resfrigerado até a assistência acontecer. Não é indicado tentar resfriá-lo dando gelo, isso pode causar um choque térmico", alerta Thaís. 

Desidratação

cachorro bebendo água arrow-options
Divulgação
O cachorro precisa ter água fresca disponível o tempo todo durante o verão

No calor a perda de água corporal é maior, principalmente quando se trata de cães filhotes ou idosos. O problema pode causa vômito, dificuldade de respiração, diarreia e até problemas de pele. Qualquer sintoma já é motivo para levar o pet ao veterinário. 

A dica da Dra. Thaís para evitar que o cachorro fique desidratado é manter água disponível todo o tempo, inclusive colocando uma pedrinha de gelo para deixá-la sempre fresquinha. Uma boa opção é ter várias vasilhas espalhadas pelo local onde ele fica e sempre lembrar de levar água para o passeio. 

Viroses

Outras doenças que os donos devem previnir com mais veemência durante o verão são as viroses, que são altamente contagiosas. Elas podem ser transmitidas de diferentes formas: por contato com outros animais infectados, como a Parvovirose e a Cinomose ; e por vetores, caso da Leishmaniose (transmitida por mosquito) e da Leptospirose (transmitida pela urina do rato). 

"A prevenção é através da vacinação anual (V8 ou V10). Cada uma das viroses tem características específicas, mas existem sintomas comuns como vômito, perda de apetite, diarreia, desidratação, entre outros. Procure sempre o médico veterinário para que ele possa identificar qual virose e qual é o tratamento recomendado para o pet", finaliza a veterinária. 


    Veja Também

      Mostrar mais