Tamanho do texto

De acordo com as denúncias, o homem fazia vídeos dos cães sendo torturados ou já mortos e compartilhava nas rede sociais

cão olhando arrow-options
Foto: Pixabay/Ilustrativa
Falso veterinário matava cães e divulgava tudo nas redes sociais

Um homem se passava por veterinário para adotar cães , mas depois matava os animais e divulgava a cena nas redes sociais. O caso aconteceu na zona da Marinha Grande, na cidade portuguesa de Leiria.

De acordo com as denúncias, o homem de 30 anos, identificado apenas como R.P., fazia vídeos que mostraram os cães sendo torturados ou já mortos. Em uma das gravações, um cachorro agoniza enquanto o homem o observa, segundo informações do Jornal de Leiria. Ele divulgou duas filmagens nas redes.

“Estamos perante uma pessoa que adota animais, que, segundo ele, ‘morrem em suas mãos’ e que, no lugar de procurar ajuda imediata, filma e envia vídeos dos animais”, denunciou a APAMG — Associação Protetora de Animais da Marinha Grande. As informações são do portal português SAPO.

De acordo com o jornal local, a ex-companheira do homem denunciou o falso veterinário e revelou os maus-tratos. Ela contou que o homem chegou a receber tratamento médico no período em que viveu com ela na Alemanha.

A mulher disse ainda que terminou o relacionamento após flagrar R.P. injetando insulina em um cão. O animal foi socorrido e sobreviveu. Uma denúncia à polícia de Berlim foi feita por ela na época.

Além da queixa e dos vídeos, a APAMG entregou a polícia registo de várias conversas mantidas nas redes sociais entre o suspeito e as pessoas que tinham cães para adotar.

Em Portugal, a Procuradoria Geral da República deverá abrir um inquérito e a polícia de Leiria também vai investigar o caso.