Tamanho do texto

Mesmo com o avanço científico a empresa está sendo criticada por explorar os animais para obter os resultados das pesquisas

 Huang Yu mora em Pequim, na China, e pagou cerca de R$143 mil para se reunir com seu gatinho Alho novamente. O chinês pediu que uma empresa utilizasse o DNA de seu falecido gato para cloná-lo.

Leia também: Gata fugitiva é encontrada em lugar inimaginável

Depois de colocar o material genético em uma “barriga de aluguel”, o novo Alho nasceu igualzinho ao pet antigo de Huang. Mesmo assim a indústria que promove esse tipo de serviço está recebendo críticas por explorar animais em busca de avanços científicos.

Gato é clonado pela primeira vez arrow-options
shutterstock
Gato é clonado pela primeira vez