Tamanho do texto

Antes do início da Copa do Mundo da Rússia haviam rumores de que os cachorros de rua estavam sendo dizimados e, de fato, poucos foram vistos pelos turistas durante a competição; é o que conta Barbara Gerneza

Os animais em situação de rua são um problema em muitas cidades do mundo. Só no Brasil o número de bichinhos abandonados supera os 30 milhões. Na Rússia, país que sediou a Copa do Mundo de 2018, a situação não era diferente. Por isso, antes do início da competição, as  autoridades do país decidiram acabar com os cachorros de rua e deram início a uma matança. 

O ato de "limpar" as ruas, como as autoridades o chamaram, tinha a intenção de "deixar as cidades mais agradáveis para os turistas". Isso se tornou uma polêmica de extensão mundial e causou embates entre governo e ativistas russos que tentavam proteger os cachorros de rua do país. 

Leia também: As pinturas de rua russas em homenagem à Copa são bem diferentes das brasileiras

Cachorros de rua eram preocupação de autoridades russas para Copa do Mundo
Twitter/Reprodução
Cachorros de rua eram preocupação de autoridades russas para Copa do Mundo

Em resposta, foi anunciada a construção de abrigos. Mesmo assim, ativistas alegaram que os espaços não eram suficientes para a quantidade de animais em situação de rua. De acordo com Helena Ivanova-Werchovskaya, em entrevista à imprensa local, "os cachorros seriam recolhidos, esterilizados, abrigados e, depois da Copa do Mundo , de novo soltos. Os animais eram registrados nos abrigos, mas o número de vagas era limitado, todos estavam superlotados. Ou seja, podiam recolher e abrigar os animais, só que não havia mais lugar nos abrigos. Soltá-los de novo era proibido. Assim, com o uso dos mais variados pretextos, os animais acabavam sendo mortos". 

Leia também: Barbara Gerneza ensina algumas expressões do futebol em russo

Barbara Gerneza, jornalista russa e correspondente do IG na Copa do Mundo, confirma o desaparecimento dos animais em situação de rua. Durante a competição ela viu poucos andando por Moscou, inclusive se surpreendeu quando encontrou um nos arredores do estádo Luzhniki. Ela conta um pouco sobre isso em vídeo, assita. 

Agora, com o final da Copa do Mundo, o esperado é que esses cachorros de rua reapareçam, já que a proposta era abrigá-los apenas durante a competição. Porém, ao que tudo indica, por enquanto, as ruas de Moscou e de outras cidade russas que receberam jogos do mundial não terão mais seus velhos e conhecidos moradores. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.