Esteja atento a saúde do seu animal de estimação
Pixabay
Esteja atento a saúde do seu animal de estimação

Os animais domésticos são tão sensíveis e propensos a doenças quanto seus tutores, contudo nem sempre eles cientes disso. A hepatite, por exemplo, pode afetar os gatinhos, que precisarão serem tratados o mais rápido possível. Mas como identificar se o pet está com a doença e como tratar dessa enfermidade? Em conversa com o Canal do Pet, o médico veterinário Márcio Barboza explica os sintomas da doença, se há uma idade mais delicada para o felino contrai-la, entre outras questões.

Principais causas da hepatite em gatos

A hepatite felina é uma inflamação do tecido hepático (fígado). Ela pode ser decorrente de várias causas, como infecções virais, bacterianas (mais comuns), parasitárias, pela ingestão de produtos/medicamentos que são tóxicos para o fígado e devido a tumores.

Sintomas mais frequentes e como identificá-los

Os gatos podem apresentar diversos sintomas para a doença, como falta de apetite e disposição; perda de peso; vômitos e diarreia; amarelamento nas gengivas, olhos e pele; barriga inchada e alteração de comportamento. Caso algum desses sintomas ou outra alteração no pet seja identificada, é preciso levá-lo ao veterinário para que o profissional o analise melhor e tire conclusões assertivas sobre o cenário de saúde do animal.

Você viu?


Tratamento da hepatite felina

O tratamento vai depender da causa de base. Por isso, é importante a análise clínica de um veterinário para que ele possa tratar o gato da melhor forma possível. Mas, entre as abordagens terapêuticas mais comuns está o correto manejo nutricional do paciente.

Idade x propensão a doença

Não há uma idade mais, ou menos, propensa para a doença, isso depende muito da causa de base da hepatite. Por exemplo, infecções virais e parasitárias acabam sendo mais severas em animais mais jovens. Tumores no fígado acabam sendo mais frequentes em animais mais idosos. De forma geral, a idade pode sugerir causas mais frequentes, mas não servir de exclusão, por isso, o exame clínico apoiado pelos exames laboratoriais guiarão o médico veterinário para o diagnóstico correto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários