Tamanho do texto

A piometra é causada por uma bacteria que toma conta das paredes do útero da cadela. O não tratamento da doença pode levar à óbito

As doenças que atingem os cachorros podem variar de acordo com a idade, raça e até mesmo sexo do animal. Logo, existem algumas condições que tornam certos pets mais suscetíveis a determinada patologia do que outros. É isso o que acontece com a piometra, que costuma atingir em sua maior parte cadelas com mais de 5 anos de idade.

Leia mais:  Quais são as vantagens e desvantagens de castrar o cachorro?

Apesar de animais com essa característica serem mais suscetíveis, toda cachorra fêmea pode contrair a piometra . A doença consiste em uma infecção bacteriana no útero. Como cadelas castradas têm esse órgão removido, elas não correm o risco de contrair a patologia. Em quadros mais graves, o pet pode acabar falecendo.

Uma cirurgia de remoção de útero pode ser necessária para pets com piometra.
Reprodução/ Shutterstock
Uma cirurgia de remoção de útero pode ser necessária para pets com piometra.


O que é a piometra?

Apesar de pouco conhecida, a piometra é relativamente comum nas cadelas. Em uma pesquisa realizada pela Fundação Educacional de Ituverava, no estado de São Paulo, revelou que cerca de 5% das cirurgias realizadas naquela cidade eram para combater casos da doença.

A patologia é causada pela bactéria Escherichia coli , que se aproveita da abertura do útero do animal durante o período de cio para contaminá-lo. A bactéria então se aloja no endométrio (tecido que reveste as paredes internas do útero) causando uma infecção. A chance de contágio aumenta caso o animal seja submetido a diversos períodos de cio seguidos no qual ele não engravida. Por conta disso, o excesso do hormônio progesterona acaba aumentando a espessura do revestimento do útero do pet e criando um ambiente ideal para que as bactérias se proliferem.

Veja também:  Anticoncepcional para cadelas: método preventivo causa problemas de saúde

Nesse estágio, a produção do chamado "leite uterino" - gerado pelo corpo do pet para nutrir o embrião - também se torna prejudicial, potencializando a velocidade com que as bactérias se reproduzem. O aumento exponencial da flora bacteriana no útero do pet também tem outro efeito: a criação de pus. Essas secreções acabam enchendo o órgão e, em casos mais graves, o fazendo se romper - coisa que pode levar o pet à óbito.

O útero da cadela com piometra fica extremamente inchado por conta do pus.
Reprodução/ Shutterstock
O útero da cadela com piometra fica extremamente inchado por conta do pus.


A doença raramente se manifesta em animais filhotes, pois para ela acontecer a cadela precisa produzir hormônios sexuais - coisa que só ocorre após a primeira menstruação. Alguns donos costumam aplicar injeções anticoncepcionais nos animais para evitar que eles engravidem, mas como esses medicamentos possuem hormônios eles também aumentam as chances do aparecimento da doença.

Quais são os sintomas da piometra?

Muitas vezes o excesso de secreção não fica visível para o dono, fazendo com que ele sequer note que o bichinho está doente. Entretanto, alguns sinais ainda podem indicar a presença da patologia:

  • Expansão do abdômen;
  • Aumento do consumo de água;
  • Febre;
  • Falta de apetite;
  • Letargia (inconsciência);
  • Depressão;
  • Descarga vulvar com líquido espesso, escuro e fétido.

Em certos casos, quando a doença está em estágios graves, o uso de antibióticos e outros medicamentos são ineficazes. Isso se dá por conta que, para proteger o embrião, o útero do animal costuma repelir elementos externos. Nesses casos, uma intervenção cirúrgica para remover o órgão é o procedimento mais recomendado.

Leia mais:  Gravidez psicológica? Entenda como as cadelas desenvolvem isso

Caso seu pet apresente algum desses sintomas, procure imediatamente um médico veterinário. O único método de prevenção da  piometra é a castração.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.