Tamanho do texto

Também conhecida por Erliquiose, a doença é transmitida pelo carrapato e pode até causar a morte do animal

A Erliquiose (ou Erlichiose) é uma doença que pode trazer risco seríssimos aos cães. É também conhecida por doença de carrapato nos cachorros, uma vez que é transmitida por ele. É seríssima e dificilmente conhecida pelos tutores, ela deixa o cãozinho triste, apático e diferente do que costuma ser.

+ Após ser doada pela família, cachorra inteligente anda 32 Km até antiga casa

A transmissão acontece da seguinte maneira: um cãozinho contaminado é mordido por um carrapato, e ele, ao morder outro cão, passa a doença de carrapato nos cachorros . A bactéria, do gênero Ehrlichia , sendo a principal a Ehrlichia canis , tem como principal vetor o carrapato marrom (Rhipicephalus sanguineus). Por este motivo, o verão é o período de maior incidência, uma vez que os carrapatos gostam de lugares úmidos e calorosos para se reproduzir. 

Saiba identificar a doença de carrapato nos cachorros
reprodução shutterstock
Saiba identificar a doença de carrapato nos cachorros


Ao adentrar o corpo do animal, o parasita ataca os glóbulos brancos sanguíneos, que são as células responsáveis pela defesa do organismo. Sendo assim, o cão passa a perder sua imunidade e ter uma aparência doente, no entanto, não há uma receita para dizer quais são os sintomas, já que depende da reação de cada cachorrinho. A Erliquiose possui três fases:

  1. Fase aguda: é  possível  que o animal tenha febre, redução de peso, falta de apetite, fraqueza, tremores musculares, insuficiência renal, sangramento nasal e vômitos. Nesta fase o cachorro pode transmitir a doença e é possível ainda encontrar carrapatos em seu corpo;
  2. Fase subclínica: diferente da primeira, os sintomas não são aparentes, isso porque os danos estão acontecendo dentro do corpo, como depressão, cegueira, hemorragias e anorexia. Não há sintomas clínicos, só é possível identificar qualquer problema por meio de exames de sangue. Nesta fase, se o sistema imunológico do animal não conseguir combater a bactéria, a doença atinge a etapa crônica;
  3. Fase crônica: neste momento é mais fácil de identificar os sintomas e igualmente mais difícil de combatê-los. O sistema imunológico está bem fraco então é mais fácil o cãozinho adquirir alguma infecção. Geralmente o cachorro atinge os mesmo sinais da fase aguda, porém eles são mais atenuados e acontecem junto com infecções secundárias, como pneumonias, diabetes e problemas de sangue.

+ Vídeo de cachorro jogado no bueiro choca e causa revolta na web

Como sei que meu cãozinho está com Erliquiose?

Como os sintomas podem ser facilmente confudidos com inúmeras outras doenças, é importante levá-lo ao veterinário. Evidentemente, quando está na fase aguda é mais fácil de diagnosticar o cão, bem como tratá-lo. Quanto mais tempo demora-se para descobrir, há mais chances da doença se proliferar.

A princípio, só é possível identificar a Erliquiose quando os carrapatos ainda estão no corpo, ou por exames de sangue. Depois são necessários exames laboratoriais que conseguirão encontrar e analisar a bactéria.

Existem outras doenças do carrapato?

Outra doença popularmente conhecida como doença do carrapato é a Babesiose. A principal diferença entre Babesiose e Erliquiose é que a primeira é causada por um protozoário, que atinge os glóbulos vermelhos, e a segunda por uma bactéria que atinge os glóbulos brancos do sistema sanguíneo. Em ambas os sintomas são parecidos, portanto, o diagnóstico que irá identificar de qual doença se trata é feito por meio de exames mais profundos.


O seu cãozinho pode estar com Erliquiose, ou doença do carrapato em cachorros
reprodução shutterstock
O seu cãozinho pode estar com Erliquiose, ou doença do carrapato em cachorros














A Erliquiose possui tratamento?

Sim! Em todas as fases ela pode ser tratada. Geralmente, o cuidado é feito por meio de medicamentos e, dependendo do estado do animal, o veterinário pode optar por tratamentos mais intensos como soro e até transfusão de sangue. A duração do tratamento depende de quando o animal foi diagnosticado e em qual fase a doença está.

Quais são as maneiras de prevenção?

  • Em primeiro lugar a higiene, muitas doenças são evitadas quando há banho regular, checagem nos pelos (neste caso, procurando carrapatos) e atenção à rotina do pet;
  • Investir em coleiras anti carrapatos e repelentes;
  • Evitar deixar o cão brincar em lugares propícios a insetos;
  • Manter gramas curtas;
  • Usar sabonete e shampoos que também sejam anti carrapatos.

Em caso de qualquer manifestação diferente, é imprescindível a ida ao veterinário. Nos cães, os sintomas podem aparentar uma coisa e ser outra mais grave, então não é recomendado medicá-lo por conta própria.

+ Família ganha na justiça direito de tratar cachorrinho com leishmaniose canina

Verifique as orelhas, entre os dedos das patinhas e nas áreas dos olhos, nuca e pescoço do cão. Encontrou um carrapato? Leve-o ao veterinário ou peça que ele te ensine como retirá-los da mlehor forma possível. Não dê mole para a doença de carrapato nos cachorros!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.