Tamanho do texto

Fêmeas grávidas e determinadas raças têm predisposição a desenvolver essa falha na musculatura da barriga

É comum muitos cães desenvolverem problemas de saúde e o tutor não conseguir reconhecê-los, principalmente quando são complicações internas. A hérnia umbilical em cachorro é uma delas. Essa falha na musculatura da região abdominal tem inúmeras causas e deve ser tratada da melhor maneira.

+O coração do seu pet está saudável? Confira alguns cuidados necessários

hérnia umbilical em cachorro: como lidar com esse problema
Reprodução/ Pinterest
hérnia umbilical em cachorro: como lidar com esse problema

É importante, primeiro, entender que o buraco formado nos músculos da barriguinha do animal pode permitir que passe por ali as vísceras, incluindo partes do intestino. Esses órgãos entram em contato com a pele por meio dessa falha e é possível observar uma sobresalência, uma bolinha no abdôme. O umbigo torna-se mais flácido e mole, o que pode ser sentido pelo tutor ao tocar na região. É importante saber que a hérnia umbilical em cachorro tem duas possibilidades: é de origem genética ou foi desenvolvida pelo pet ao longo da vida.

De onde vem a hérnia umbilical?

Às vezes o cão teve seu umbigo cortado de maneira errada no parto e depois veio a ter esse problema. Em outros casos, ainda, a mãe, ao se separar do filhote, puxa com muita força o cordão umbilical com os dentes e provoca essa falha na musculatura. 

Quando a questão é genética o mais recomendado é não reproduzir cães com hérnia umbilical, à medida que vão transmitir essa complicação aos descendentes.

+A brucelose canina é uma zoonose que afeta a região genital dos animais

Hérnia umbilical em cachorro: entenda o que é e como tratar
Reprodução Twitter
Hérnia umbilical em cachorro: entenda o que é e como tratar

O caso considerado mais grave é aquele em que é possível passar uma alça inteira do intestino, ou seja, um pedaço completo, pela cavidade formada pela hérnia. Pode ocorrer o encarceramento: as fezes ao passarem pelo órgão digestivo acabam presas no buraco e provocam outras complicações intestinais ao pet. Geralmente, nesse quadro o animal apresenta vômito, anorexia, dor na região abdominal e falta de apetite.

Algumas raças estão mais propensas a desenvolverem esse problema de saúde, como Shih Tzus, Basenji, Spitz Alemão anão e Pequinês. 

Cirurgia: fazer ou não?

Em situações mais complicadas e quando a hérnia de fato prejudica outras funções do corpo a cirurgia pode ser considerada. Mas no geral não é muito indicada, principalmente se a falha no umbigo não é grande. No entanto, o veterinário é quem deve indicar o melhor a se fazer, avaliando os casos individualmente. 

+Cachorro sangrando pelo nariz: o que pode provocar esse problema?

Hérnia umbilical em cachorro: entenda o que é e como tratar
Reprodução/ Redes Sociais
Hérnia umbilical em cachorro: entenda o que é e como tratar

Se a operação for necessária, a recuperação é rápida e, quando realizada por profissionais qualificados e com todos os cuidados, acontece sem complicações. Alguns medicamentos podem ser recomendados, além de o cão precisar de uns dias de repouso e cautela com os pontos.

Fêmeas com hérnia umbilical

É bom ter em mente que cadelas que tenham essa hérnia não devem engravidar. Além de incomodar muito durante a gestação, pode comprometer os filhotes que virão a nascer e o tamanho da bolinha sofrer aumento na futura mamãe.  O ideal é tratar a hérnia umbilical em cachorro antes de ocorrer qualquer cruzamento.

+Pata machucada ou mordida de outro cão? Saiba como tratar feridas em cachorro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.