Tamanho do texto

A Associação Americana de Saúde do Coração afirma que o convívio com os animas de estimação também evita problemas cardíacos

Cada vez mais as pessoas estão adotando animais de estimação em busca de um companheiro que os ofereça muito amor e alegria, além de ajudar a reduzir o estresse. Todos os anos o número de animais que ganha um lar só cresce e, felizmente, menos cães e gatos ficam abandonados em abrigos ou na rua. 

+Cachorros de pequeno porte são os mais adotados no Brasil, segundo pesquisas

Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão
Reprodução/ Redes Sociais
Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão


Isso acontece principalmente porque todo tutor sabe o quanto os pets conseguem transformar um dia péssimo e cheio de estresse em um momento maravilhoso. Para isso, basta que o animal pule de alegria ou balançar o rabinho enlouquecidamente ao ouvir a voz do humano. Afinal, não tem como negar que cães e gatos costumam ser muito carinhosos e esperam um retorno do dono.

Os benefícios de ter um pet em casa vão muito além do lado emocional. De acordo com pesquisas feitas pela Associação Americana de Saúde do Coração, a redução no risco de doenças cardíacas e a maior longevidade podem ser explicadas pelo convívio com os animais. Além disso, outras análises mostram que a depressão e aansiedade também podem ser prevenidas.

+Esses cachorros fofos tirando uma soneca com crianças são imperdíveis

Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão
Reprodução
Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão


Mas como acontece essa troca entre tutor e pet?

Segundo alguns estudos, os tutores com mais de 65 anos tendem a ir menos vezes ao médico, o que é reduzido em até 30%. Já os que não adotam nenhum bichinho mantém a mesma frequência. Em resumo, pode-se dizer que quem tem um companheiro em casa pode ter menos problemas de saúde .

A depressão, por exemplo, pode ser aliviada com a companhia do pet, que ameniza o sentimento de solidão. No caso dos cães que precisam de mais exercícios e passeios, o dono tende a sair mais de casa e conhecer novos lugares e pessoas, o que pode ser fundamental para melhorar a saúde do humano (e do pet também).  

Levar o cachorro para caminhar e brincar pode ser muito saudável também por causa da liberação de substâncias no corpo que melhoram o humor. Esse processo alivia a depressão e deixa o dia mais feliz. 

Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão
Reprodução/ Redes Sociais
Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão


+Quer ter um pet? Saiba as vantagens de adotar um cachorro adulto

Prevenção da ansiedade

Montar um cronograma e organizar o dia é uma maneira de evitar a ansiedade e o estresse na hora de cuidar do pet. Além disso, o animal precisa de uma rotina para viver bem e é importante programar os momentos de comer, brincar, passear e dormir, por exemplo. Isso torna o ser humano menos ansioso e a rotina fica muito mais organizada.

Menos estresse, mais felicidade

Ainda que uma pessoa já seja hipertensa, pode se beneficiar com a presença de um animal de estimação em casa. Os níveis de pressão arterial alta abaixam significativamente com a companhia do pet. Isso acontece porque a relação com o cão pode provocar o aumento de serotonina e dopamina, relaxando e acalmando o organismo.

Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão
Reprodução/ Redes Sociais
Pesquisa comprova que os pets ajudam a curar estresse, ansiedade e depressão


+Algumas dicas podem te ajudar a escolher um passeador de cães

O ato de fazer carinho e conversar com o cão podem aliviar um dia de estresse. Só o contato com o animal é capaz de provocar a sensação de calma no tutor e deixar tudo mais alegre. Nada melhor do que ter um pet por perto!


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.