Tamanho do texto

Existem alternativas ao corte das cordas vocais no caso do seu cachorro latir demais, saiba quais são as melhores

Se você já teve um cão muito barulhento, ou teve o azar de morar do lado de alguém com um cachorro que late muito, sabe que isso pode ser um tanto irritante e incômodo. Muitas pessoas, pensando em fazer com que o cachorro pare de latir de uma forma mais fácil, acabam fazendo a remoção cirurgica das cordas vocais do cão , um procedimento que gera bastante polêmica em relação aos direitos dos animais. 

+A motocicleta pode ser um transporte de cachorro? Conheça as regras

Cortar as cordas vocais do cão se ele late muito é uma boa ideia?
Reprodução
Cortar as cordas vocais do cão se ele late muito é uma boa ideia?



Cirurgia para cortar as cordas vocais do cachorro

Seu nome é cordectomia, e apesar de ser feita mais frequentemente em cachorros, também pode ser feita em gatos. As cordas vocais do animal são cortadas a partir de uma incisão na boca ou na garganta, sendo que uma vez que o veterinário corta as cordas vocais do cão, seu latido irá se tornar áspero e agudo.


Por que proibir a cirurgia?

Cirurgias como essa podem dar errado, fazendo com que o animal precise passar por vários processos corretivos. Além disso os cães ficam traumatizados, tornando-se em muitos casos depressivos e atrapalhando a sua alimentação.

A verdade é que a cirurgia não traz nenhum benefício para o animal, e ainda possui altos riscos de infecção. Pode ocorrer do cachorro ser deixado com muito tecido de cicratriz, o que acarretará em problemas respiratórios, náusea e tosse crônica.

Além de tudo isso, o latido é a forma de comunicação do seu cachorro, e privá-lo disso pode ser muito grave tanto para a saúde física quanto para a saúde mental do seu animal de estimação. Portanto, o dono nem deveria pensar nessa como uma forma alternativa. 

+Cachorro agitado em festas: confira dicas para manter o pet tranquilo

Então, o que eu posso fazer se o meu cachorro late demais?

O melhor é adestrá-lo, e se isso não adiantar, o problema pode ser mais do que comportamental, e talvez o cachorro não esteja se adaptando bem ao ambiente no qual ele está vivendo. Em caso de dúvidas, o melhor é consultar um veterinário de sua confiança, para que ele indique o que pode ser feito em relação ao seu pet.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.