Tamanho do texto

O animal precisa ser obrigatoriamente cremado caso o motivo de morte seja uma doença altamente contagiosa

Quem tem um pet sabe como o falecimento dele pode trazer muita dor e sofrimento. Além da tristeza de se despedir do amigo, esses donos encontram outro problema: onde enterrar o animal? Uma das alternativas é o cemitério para animais de estimação, oferecido por empresas privadas na maioria das cidades do país. Além disso, o serviço de cremação também está disponível e é disponibilizado gratuitamente pelas prefeituras.

Leia mais:  Funerária para animais, o conforto em momentos difíceis.

Achar um cemitério ou crematório para o pet no final de sua vida não é apenas uma questão sentimental, mas de saúde pública. Uma  pesquisa realizada pelo Instituto de Geociência da USP revelou que 60% dos animais domésticos mortos são depositados em terrenos baldios, quintais, jardins ou sítios, já outros 7% deles são colocados em sacos de lixo e jogados na rua. Apenas 20% dos bichinhos são entregues para órgãos competentes. Esse tipo de prática pode trazer sérios problemas para o meio ambiente, como a contaminação dos lençóis freáticos e a infestação de insetos e roedores.

Como funciona o cemitério de animais

É necessário escolher bem o cemitério para o seu pet.
Reprodução/ Shutterstock
É necessário escolher bem o cemitério para o seu pet.


Nem todos os cemitérios de animais aceitam todos os tipos de bichos. A maioria deles limita os seus serviços apenas para cães, gatos, pequenos roedores e aves. Já outros atendem desde porcos até cavalos. 

Os preços são de cerca de R$ 700,00 e alguns cemitérios oferecem o serviço de velório, onde a família pode se despedir do pet em uma cerimônia bonita, além de um veículo de remoção para buscar o corpo do animal. Planos de prevenção, que são adquiridos quando o animal ainda está vivo para serem usados após a morte, são outra opção disponível. Uma placa pode ser fixada no túmulo com o nome do bichinho e período de vida. 

Alguns cemitérios de animais também oferecem um tratamento psicológico para ajudar a família a lidar com a perda. Antes de escolher, pesquise bem a reputação desses estabelecimentos para garantir que todos os cuidados ambientais necessários para esse tipo de serviço sejam tomados. 

Veja também:  Meu cachorro morreu, e agora?

Como funcionam os crematórios de animais?

A cremação é obrigatória caso o motivo do falecimento tenha sido alguma doença altamente contagiosa, como a esporotricose, toxoplasmose, raiva, leptospirose, entre outras. Esse serviço é oferecido gratuitamente pela prefeitura da sua cidade, mas nesses casos as cinzas do pet não serão devolvidas para você.

Caso você deseje uma urna, a melhor opção seria o crematório privado, cujo os preços costumam variar entre R$ 300,00 e R$ 3 mil. Podem ser oferecidas 2 tipos de cremação:

  • Cremação individual:  após a cremação as cinzas são devolvidas em uma urna exclusiva, que pode ser no modelo tradicional ou até mesmo uma réplica do animal.
  • Cremação coletiva:  é mais barata, entretanto as cinzas não serão devolvidas.

Além disso, dois tipos de eventos podem ser oferecidos pelo estabelecimento:

  • Velório:  antes da cremação, um velório pode ser realizado para que os familiares se despeçam do bichinho.
  • Cerimonial:  a entrega das cinzas é feita em uma cerimônia especial, ao som da música preferida do pet. 

Leia mais:  Melhor amigo dos humanos: cão segue funeral para se despedir da tutora

Sempre solicite um Atestado de Remoção do cemitério ou crematório.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.