Tamanho do texto

Os tutores precisam ficar atentos à dieta, já que animais esterilizados tendem a ganhar mais peso

castração de animais de estimação é uma das formas de fazer um controle da natalidade mais efetivo e ajudar a prevenir certas doenças como o câncer de próstata e de útero. Por outro lado, cães castrados podem ganhar peso facilmente.

Esse aumento do peso é decorrente da diminuição do ritmo metabólico, que reduz as atividades e aumenta o apetite. E, assim como acontece com os humanos, o sobrepeso dos pets pode vir acompanhado de muitas complicações de saúde, como diabetes (diabetes mellitus), problemas cardiovasculares, sobrecarga nas articulações e membros e problemas estomacais. Por isso, os tutores precisam ficar atentos a alimentação de cães castrados, já que essa é a chave para a adaptação do pet em sua nova fase.

A imagem mostra um cachorro da raça Lulu da Pomerânia
shutterstock
A alimentação de cães castrados deve ser regulada com atenção pelos donos

Para o veterinário Felipe Rocha "a obesidade nos cães esterilizados é quase certa, sua incidência é muito grande e pode desenvolver sérios problemas de saúde ao cão castrado, como dislipidemia, doenças cardiorrespiratórias, problemas renais, aumento da incidência de neoplasias e doenças ortopédicas".

Além disso, é importante destacar que a castração exige cuidados e acompanhamento especializado. Muitos veterinários orientam evitar castrar um cão antes dos 6 meses, pois, em alguns caso,  isso pode afetar o desenvolvimento do animal, especialmente dos ossos. Algumas fêmeas castradas precocemente podem aumentar a produção de estrógenos durante seu crescimento e sofrer com incontinência urinária.

A alimentação indicada para pets castrados

A alimentação adequada é essencial após a castração do pet. Não é preciso reduzir a quantidade oferecida, mesmo sabendo que a necessidade de energia está menor. O tutor precisa ter em mente que o empobrecimento da dieta pode originar um déficit de muitos nutrientes e o pet ainda precisa das vitaminas e minerais para ter saúde e se desenvolver

Apenas reduzir a comida, além de não atender às necessidades nutricionais, fará com que o pet passe o dia pedindo comida, uma vez que a fome aumenta após a castração.

Cada cachorro tem suas necessidades nutricionais individuais, que dependem da raça, idade, sexo, atividades físicas e sua saúde em geral. E, isso não muda após ter sido castrado, uma vez que não existe um alimento perfeito que atenda todos os cães ao mesmo tempo. Para não ter dúvidas ou cometer falhas por excesso ou por falta, é recomendado consultar um profissional especialista, que poderá formular um plano de alimentação adequado para o momento do cão.

"A alimentação dos pets esterilizados deve ser menos calórica possível e com maior poder de saciedade. As mudanças que ocorrem após a cirurgia, exigem cuidados apropriados dos tutores", explica Rocha.

A imagem mostra potinhos de comida com alimentação natural para cães
PetNut
A alimentação natural para cães pode ser uma boa opção para cães castrados

Em conjunto com uma boa formulação, a alimentação dos cães castrados precisa seguir algumas orientações, uma delas é oferecer a alimentação fracionada em duas ou três vezes ao dia e sempre deixar muita água filtrada ao alcance do pet. Não é recomendado oferecer apenas uma refeição ao dia, a porção acaba sendo exagerada e o cão come tudo de uma vez, podendo ter mal estar, gases, diarreias e até uma rotação do estômago.

Para potencializar os efeitos da  dieta formulada para cães esterilizados é obrigatória a rotina de exercícios físicos. Tutor e pet devem criar essa bateria de exercício ou roteiros de caminhadas que, além da perda de peso, resultará em benefícios para a saúde cardiovascular do animal (e do tutor), com melhoria da frequência cardíaca, provocada pelos exercícios físicos.