Toy chora ao se despedir de tutora, na Bahia
Jailson Santos
Toy chora ao se despedir de tutora, na Bahia

A cada dia que passa os animais nos dão mais provas de que são sensíveis e demonstram sentimentos como qualquer um de nós, nesta quarta-feira (28), um cachorro acompanhou o velório de sua tutora, que morreu após um infarto, na cidade de Caçamari, região metropolitana de Salvador. Toy, como é chamado o cãozinho, estava com Luzinete Lopes Diniz desde que era filhote e chamou a atenção dos presentes por chorar ao lado do caixão da tutora.

O velório aconteceu na casa onde Luzinete Lopes Diniz morava, no bairro do Mangueiral, horas após seu falecimento. O momento de despedida para a família e para o cachorro que, no início, não deixava ninguém se aproximar do caixão.

"Ele ficava do lado, sempre chamando ela, arranhando o caixão. Queria entrar no caixão quando estávamos colocando o corpo dela ", contou Jailson Santos, dono da funerária Almeida Camaçari e amigo da família de Luzinete Diniz.

O cãozinho costumava acompanhar a tutora, que era Testemunha de Jeová, ao Salão do Templo, e em suas idas ao supermercado, “Era como se fosse um filho”, disse Jailson ao G1.

Você viu?

Toy era tratado como um membro da família, adotado ainda filhote, se habituou ao carinho da tutora.

O amigo da família informou que Luzinete Lopes teve um derrame cerebral há alguns meses, mas se recuperou. Devido aos problemas cardíacos, ela veio a falecer após ter um infarto.

Horas após o enterro, que aconteceu no Cemitério do distrito de Parafuso, na cidade de Caçamari, Jailson Santos escreveu um texto nas redes sociais contando como foi presenciar a despedida de Toy e Luzinete.

“O dia hoje amanheceu triste com o falecimento de dona Luzinete, Testemunha de Jeová, como era conhecida, pessoa muito querida. E o que mais estou impressionado é com o desespero desse cachorro da família, parecendo que estava entendendo que a dona estava falecida, chorando como se fosse uma pessoa quando perde um ente querido, não queria deixar ninguém chegar próximo ao caixão”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários