Essa é uma enfermidade dermatológica muito comum nos dias de hoje

DAPE é a sigla para “dermatite alérgica à picada de ectoparasitas”, uma doença causada pela picada de pulgas, carrapatos e demais ectoparasitas. Ela causa uma hipersensibilidade na pele do animal, que é uma reação à saliva dos parasitas ao entrar em contato com o pet na hora da picada. Ela já pode ser considerada uma ocorrência dermatológica mais comum nos dias de hoje, tanto em cães como em felinos.

Mais:  Carrapato em cães: conheça os riscos e saiba o que precisa ser feitol

A DAPE possui sintomas bem característicos no início. Começa pelo prurido intenso na pele do animal. Isso pode ser observado a aprtir do comportamento dele, pois irá tentar aliviar a coceira que está sentindo ao se esfregar em superfícies ou se lamber muito além do comum em uma região específica do corpo. 

Como diagnosticar a DAPE? 

Preste atenção em coceiras para detectar a DAPE
Reprodução
Preste atenção em coceiras para detectar a DAPE

Apesar da coceira ser um dos sintomas que essa efermidade apresenta, assumir que o pet já está com a DAPE, unicamente por estar se coçando, é um erro. Ela pode ser sintomas de uma série de outras ocorrências, por isso, é necessário levar o animal a um veterinário para que seja feito o diagnóstico correto, e então iniciar um tratamento adequado.

Se o bichano for picado pela pulga ou carrapato e a alergia começar, outros sintomas irão aparecer, como, por exemplo, lesões decorrentes do ato incessante e intenso de se coçar para aliviar. Dentre essas lesões, é possível observar alopecia, que é a falha no pelo; pelos quebrados ou secos; uma descamação da pele parecida com a caspa; e ainda uma alteração visível da cor do pelo, podendo ser a liqueinificação, apresenta uma pele espessada ou a hiperpigmentação, a cor da pele escurece.

Estes parasitas costumam ficar na base do rabo e na região lombar dorsal, se espalhando depois para as coxas, virilha e abdômen do pet, que são as partes do corpo que o cachorro, especialmente, mais coça e o faz com certa intensidade. Fique atento a essas regiões do animal, pois as pulgas e os carrapatos preferem ficar nelas. Isso facilita consideravelmente as rotinas de prevenção. 

Veja mais:  Berne em cachorro: saiba o que é, como tratar e como se pega

Antes de ter certeza que o pet possui a DAPE, realize testes para detectar outros possíveis agentes de alergia, utilizando de exames de sangue, citologias, culturas de materiais, etc. Depois de eliminar todas as outras alternativas de enfermidades e o animal apresentar pulgas ou carrapatos, além dos sintomas mais claros, se inicia o tratamento para erradicar a DAPE e, ao mesmo tempo, o seu transmissor.

Outras doenças graves causadas por carrapato 

Pulgas são as causadoras mais comuns de DAPE, mas os carrapatos também podem causá-la por serem ectoparasitas, além de outras doenças também muito prejudiciais ao animal, sendo a mais conhecida a Doença do Carrapato.

Uma dessas enfermidades é a babesiose, que causa febre e anemia no animal e pode se tornar fatal caso não seja notada e tratada corretamente a tempo. Outra doença que o carrapato pode transmitir é Doença de Lyme, causada por uma bactéria e que ataca o pet com febre, anemia, adenopatias, miopatias e poliartrite.

A Doença de Lyme em cães é transmitida pelos carrapatos
shutterstock
A Doença de Lyme em cães é transmitida pelos carrapatos

A erlichiose, que também é conhecida como doença do carrapato, é uma doença causada por uma bactéria, transmitida também pela picada do carrapato, e pode causar sintomas como febre, anemia, diarreia, edema e dificuldades respiratórias, ambas podendo levar o animal a óbito caso não seja diagnosticado e tratado a tempo.

O carrapato consegue sobreviver a alguns produtos que seriam supostamente capazes de exterminá-los, é um ectoparasita dificil de ser exterminado. Por isso a visita frequente ao veterinário é extremamente importante, para evitar essas doenças graves.

Tratando a DAPE

O primeiro passo para a definição do diagnóstico é realizar a aplicação de um produto contra pulgas, carrapatos, piolhos e mosquitos por 3 meses, para que sejam totalmente eliminados dos pets. 

Saiba mais:  Sabe o que é miíase? Conheça os tratamento e causas desta infecção

Caso não haja melhora do quadro após a eliminação de parasitas, o peludo deverá seguir uma dieta balanceada e adaptada à situação, pois ela também fará parte das investigações diante do que está causando o processo alérgico. Alguns bichanos podem ser sensíveis a proteína animal presente na alimentação e por esse motivo é necessário alterar a dieta. Petiscos, ossinhos e palatabilizantes, presentes nos remédios de uso oral, terão de ser suspensos por um período de 8 a 13 semanas.

Se nada continuar resolvendo, é provável que ele seja atópico, ou seja, tenha sensibilidade a compostos ambientais, como por exemplo: ácaros, plantas, umidade etc.

Após chegar ao diagnóstico preciso, o animal passará por um longo processo de tratamento e recuperação. É importante ressaltar que 52% a 75% dos animais que tem hipersensibilidade alimentar também possuem DAPE ou atopia e de 35% a 80% dos animais atópicos também tem DAPE, ou seja, mais do que nunca ele deverá estar protegido dos riscos que possam levar a situação a um caso mais extremo. 

Como manter o animal livre de pulgas e carrapatos? 

Preste atenção se seu animal possui coceiras
Reprodução/ Redes Sociais
Preste atenção se seu animal possui coceiras

No mercado, há diversas opções de produtos preventivos e indicados para evitar os prejuízos ocasionados por ectoparasitas, como vacinas (quando a zoonose tem esse tipo de anticoncepção), remédios que devem ser aplicados nos animais em períodos específicos (geralmente mês a mês), assim como shampoos e outros itens de higiene que auxiliem no combate aos agentes causadores das DAPEs.

Uma outra opção é a Coleira Seresto, desenvolvida pela Bayer. O objeto é uma novidade altamente eficaz e se torna uma forte aliada ao combate de pulgas e carrapatos. A coleira é indicada para cães e gatos e os protege por até 8 meses, sem que seja necessário realizar uma reaplicação dentro desse período. Além de segura e eficaz, também é muito prática.

Sua proteção atua nas pulgas e carrapatos sem nem precisar que estes ectoparasitas já tenham picado seu animal, e além disso Seresto age no ambiente, pois auxilia na eliminação das fases jovens dos parasitas que vivem escondidas nos locais frequentados pelo animal.

Tanto para gatos, quanto para cachorros, a ela pode ser utilizada desde filhotes: os felinos a partir de 10 semanas de vida, enquanto os cães com 7 semanas.

Veja também:  Sabe o que é FIV? Conheça tudo sobre a temida Aids felina

Vale lembrar que Seresto é uma maneira eficaz de combater todos os malefícios causados pelos ectoparasitas. Muitas zoonoses, como a Febre Maculosa e a Erliquiose (infecção crônica causada pelos microrganismos inseridos no pet pela picada) são de difícil análise imediata, além de haver enfermidades que tem um período de encubação extenso, tornando o caso mais grave e podendo chegar a circunstâncias mais drásticas.

Além disso, não esqueça do principal, que é levar seu animal de estimação regularmente ao veterinário. Só ele pode avaliar corretamente seu pet e detectar se ele possui a DAPE e como trata-la. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.