Guia de Bichos
Bigodinho - undefined

Bigodinho

  • Nome no Brasil: Bigodinho
  • País de origem: Brasil

Tudo sobre Bigodinho

Descrição

  • Tamanho: cerca de 11 centímetros de comprimento
  • Escala de saúde (1 a 5): 4
  • Cor: preto e branco
  • Expectativa de vida: 20 anos 

Ave pequena, com corpo delgado e uma aparência delicada. Possui plumagem preta e branca e o bico pequeno e preto. O nome se dá devido às manchas brancas nas bochechas. As fêmeas possuem tons amarelados na parte inferior do bico e a plumagem parda.

O Bigodinho também é conhecido, dependendo da região, como Bigode, Papa-Capim, Bigorrilho, Estrelinha e Cigarrinha (Minas Gerais) e Bigodeiro (Ceará). É um pássaro nativo do Brasil, podendo ser encontrado em praticamente todo o país, com exceção do Rio Grande do Sul, Acre e Rondônia. É uma ave migratória e, durante o inverno da região sul, voa para a Amazônia e para os estados do Nordeste, principalmente Rio Grande do Norte e Ceará. N
o Espírito Santo e Paraná, aparecendo em dezembro para nidificar e sumindo em março e abril. No leste do Maranhão e Piauí surge apenas de maio em diante. No sul de Minas Gerais só surge em novembro e desaparecer em abril.  Existe também em outros países, como Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Guianas e Bolívia. 

Seu habitat são campos abertos, campos cultivados e capoeiras, preferindo viver em plantações, áreas com gramíneas altas, clareiras arbustivas e bordas de capoeiras, principalmente próximo da água. Devido ao belo canto, é uma ave apreciada pelo comércio ilegal e, junto com as alterações ambientais, acabaram por reduzir o número de exemplares em doa parte do país, especialmente no Nordeste. É preciso da autorização do IBAMA para ter criação de Bigodinho. 

Características

Ave com um canto melódico e alto, muito apreciado pelos criadores. Como os Azulões, vivem em pares e não em bandos, mas em muitas ocasiões, quando não em época de reprodução, podem se juntar aos outros.

  • O macho é tem a plumagem preta e branca 
  • O contraste do negro com as áreas mais claras são bem marcantes
  • O nome "bigodinho" é por causa das manchas em brancos nas laterais do bico
  • No alto da cabeça há uma estria branca
  • As partes inferiores são levemente cinza claro e, sob sol forte, podem parecer brancas
  • O bico é pequeno e todo negro
  • A garganta é negra
  • A cabeça é um pouco volumosa
  • A cauda é longa 
  • O corpo é delgado
  • A fêmea tem uma silhueta mais delicada do que a maioria das outras espécies do gênero
  • Ela e os filhotes são todos pardos na plumagem
  • As partes inferiores são um pouco mais clara
  • O bico é relativamente pequeno e com tom amarelado, principalmente na parte inferior
  • A íris é escura
  • O tarso é acinzentado

Cuidados básico

Alguns cuidados com as aves devem ser diários, como a troca da água e a limpeza do viveiro. Os comedouros devem ser limpos regularmente para evitar a formação de bolor, causada por restos de alimentos. Muitas aves adoram se banhar e essa prática faz bem à saúde do animal. Portanto, é recomendado deixar à disposição uma banheira com água sempre limpa, para que se refresque. O Bigodinho gosta bastante de tomar banho, até mesmo no frio. 

Alimentação

A ração para qualquer ave deve ser muito bem balanceada. Existe no mercado uma grande variedade de marcas e composições específicas para cada espécie. O armazenamento do alimento deve ser feito com cuidado mantendo as devidas condições de ventilação e higiene. A água deve ser filtrada e trocada diariamente do bebedouro limpo. 

A ração para essa espécie de ave é uma mistura de semente como alpiste, vários tipos de painço, senha etc. Verduras também podem fazer parte da dieta dessa ave como chicória, almeirão e couve. Também é atraído por milho triturado e jiló. Existem diversas misturas de sementes prontas para Canários à venda em lojas de produtos para animais e podem ser usadas tranquilamente.

Espaço para criação

Bigodinhos adaptam-se bem em gaiolas, mas viveiros arborizados são mais recomendados. Tanto gaiolas quanto viveiros devem ser fáceis de limpar, pois a higiene é muito importante para o bem estar e longevidade dos pássaros.

​Reprodução

O Bigodinho não costumar ser difícil para reproduzir, seja em viveiros ou gaiolas. No caso dos viveiros, basta colocar o casal junto durante a época de reprodução, assim farão o ninho e acasalarão. Já as gaiolas, são preferíveis que sejam as de metal, pois são mais fáceis de limpar e podem ser desinfetadas regularmente. As versões de madeira possuem muitas frestas, o que facilita a proliferação de insetos e parasitas. O ideal é a reprodução ocorrer em grandes gaiolas criadeiras de metal, se possível. 

Na natureza, a reprodução ocorre entre Setembro e Janeiro, época de primavera e verão. Como acontece entre a maioria das espécies, cabe ao macho demarcar e proteger o território e a fêmea confeccionar o ninho. Já em cativeiro, é preciso reproduzir artificialmente as condições de acasalamento natural. Primeiro é preciso deixar o macho e a fêmea em gaiolas separadas, mas próximas ou usando a divisão das gaiolas criadeiras, dessa forma o macho irá cantar para fêmea, fazendo com que ela aos poucos o aceite. É preciso comprar um ninho em forma de taça e deixar material na gaiola, como fibra de coco e raiz de capim seco para a fêmea deixar o “berço” a seu gosto. 

Conforme a fêmea vai ficando animada e dando sinais de que está pronta, retire a divisória ou una as aves na mesma gaiola, e o macho imediatamente irá galar. Após o acasalamento, não é preciso deixar o casal junto, pois a fêmea é capaz de cuidar dos filhotes sozinha. Ela i
rá botar de 2 a 3 ovos que eclodem após 13 dias de incubação, podendo chocar até 4 vezes por ano. 

Durante o período de criação dos filhotes, é bom reforçar a alimentação dos pais para não terem problemas com o recém nascido e ter mais cuidado com sujeiras. Troque a água todos os dias, pois evita a contaminação por algum fungo ou bactéria por bebedouros sujos ou mal lavados. Com cerca de 35 a 40 dias de idade os  filhotes de Bigodinho  podem ser separados da mãe.

Conheça outras raças de pássaros