Estresse e presença de "invasores" bloqueiam gatos de se alimentar

O gato não quer comer no local certo? O problema pode estar nos pequenos detalhes como a chegada de um novo animal no território dele

Gatos comendo no local certo
Foto: Abeer Zaki/unsplash
Gatos comendo no local certo

Muitos tutores de gatos já devem ter percebido que os bichanos não querem comer no local certo (ou onde o tutor pensa ser o local certo) e pouco se alimentam da tigela de ração, porém, quando se pega um punhado do alimento e se coloca em um outro local, o animal come normalmente.

Isso pode acontecer por um motivo mais simples do que se imagina, é comum que os tutores deixem todos os itens do gato em um único lugar, geralmente a cozinha, e, além disso, deixam os potes de água e de comida um ao lado do outro. O caso é que nenhuma dessas é a melhor maneira para isso.

A princípio, deve-se pensar que, para o gato, o melhor lugar para se alimentar deve ser um ambiente tranquilo, sem barulhos e passagem constante de pessoas ou outros animais, o que pode causar certo estresse ao pet, além de fazê-lo comer menos ou mais rápido do que o necessário, devido ao incomodo.

Na cozinha, por exemplo, há a proximidade com a despensa, a pia e o lixo, com vários odores diferentes que podem confundir os gatos. Outro risco de deixar a tigela na cozinha é que alguém pode acabar pisando no rabo do gato acidentalmente enquanto ele está comendo.

O instinto de proteção

Foto: reprodução shutterstock
Os gatos precisam de uma ambiente próprio e sossegado para que possam comer com tranquilidade

Algo que também pode acontecer é o gato retirar alguns grãos do pote, levar para um outro cômodo da casa e depois voltar para pegar mais. Por mais estranho que se possa parecer, isso faz parte dos instintos dos ancestrais selvagens que ainda estão presentes nos gatos domésticos.

Os felinos são caçadores que caçam e se alimentam de forma solitária em lugares que se sintam mais seguros, como uma forma de preservar que outros animais roubem seu alimento – ou que atraia predadores e eles acabem se tornando um alvo fácil.

Em casas com mais de um animal de estimação pode ser que o gato sinta sua fonte de refeição ameaçada e, por isso, ele prefira levar o alimento até onde sinta que está mais seguro para comer com calma.

Para quem tem mais de um animal de estimação

Foto: shutterstock
Tigelas mais rasas são mais indicadas para os gatos

No caso de dois gatos, mesmo quando os dois se dão bem, não é recomendado que se divida uma mesma tigela para dois gatos, cada animal deve ter a sua e cada uma em seu próprio ambiente, evitando deixar todas enfileiradas em um mesmo local. Além de evitar possíveis brigas, evita que um coma a comida do outro.

Para quem também tem cachorro, o indicado é deixar a ração do gato em um nível mais elevado, ou em um cômodo onde apenas o felino tenha acesso. A presença do cão pode deixar o gato tenso e fazê-lo se alimentar muito depressa, além de, claro, evitar que o cachorro coma a ração errada.

As tigelas e a caixa de areia

Foto: Shuttersock
A caixa de areia não deve ficar no mesmo ambiente que o alimento do animal

Ninguém gosta de comer no banheiro, o mesmo vale para os gatos. Portanto jamais se deve deixar o alimento do pet próximo do local onde está a  caixa de areia, estando sempre à uma distância considerável.

Além do incômodo causado pelo odor, ajuda a evitar os riscos de contaminação cruzada que pode ocorrer quando as partículas de detritos acabam caindo nas tigelas de ração ou de água.

Outro fator é que, na natureza, os felinos não se alimentam próximo ao local onde fazem as necessidades, para que os predadores não encontrem sua localização. Deixar tudo junto pode confundir o animal, que não saberá ao certo se deve comer ou usar o banheiro, retirando deles alguns de seus hábitos naturais.

Escolhendo a tigela certa

Foto: shutterstock
Mesmo que os pets convivam bem, na hora da refeição devem ficar separados

Além de pensar no melhor local para deixar a tigela do pet, também é importante pensar na tigela em si. Para os gatos, potes mais fundos e com bordas estreitas são mais incômodos, devido ao contato dos bigodes com as extremidades do pote – a razão do bichano sempre deixar a ração nas beiradas.

Os  comedouros mais indicados para os felinos são aqueles mais rasos e, de preferência, na altura ideal.

Também é comum encontrar em pet shops suportes de tigelas duplos, para que comida e água fiquem juntos, mas elas devem ser mantidas separadas, a uma distancia suficiente para que não haja risco de cair pedaços de alimento na água que o gato irá beber – além disso, os felinos também dão preferência à água corrente e  o mais indicado é que se compre fontes de água para o bichano se manter hidratado.

Não troque de lugar aleatoriamente 

Foto: Florian Bollmann/Pixabay
Dividir a mesma tigela para dois gatos pode causar problemas

Os gatos são animais de hábitos e ter um local fixo para que possam se alimentar e beber água é sempre o mais indicado. Caso a mudança seja necessária, o ideal seria colocar um novo pote em outro ambiente e retirar o pote do local antigo apenas após o felino se habituar ao novo.

O mesmo vale para  os cachorros, que precisam de uma rotina bem estabelecida. Muitos especialistas indicam até mesmo que, se possível, os pets tenham mais de uma fonte de água e alimento em locais diferentes, mas nunca que uma seja trocada de lugar constantemente.

Para manter o pet distraído em ocasiões específicas pode ser feito o uso de alimentos (especialmente petiscos) espalhados em locais diferentes, para que não caiam no tédio e se estimule o instinto de caça, porém a alimentação padrão do pet precisa seguir certas regras.

Para garantir que os pets tenham sempre ajuda quando necessário, o iG Pet Saúde oferece aos tutores consultas emergência e até opção de transporte ao veterinário. Confira  essas e outras vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para cães e gatos, com 50% de desconto nos três primeiros meses. Acompanhe o  Canal do Pet também no Telegram!