Guia de Bichos
Veadeiro Pampeano

Veadeiro Pampeano

  • Nome no Brasil: Veadeiro Pampeano
  • Nome original: Veadeiro Pampeano
  • País de origem: Brasil
  • Tipo de pelo: Curto

Tudo sobre Veadeiro Pampeano

Porte: médio
Área de criação: grande
Energia: alta
Temperamento: amigável

Descrição

Cão de médio porte, com o corpo mais comprido do que alto e orelhas pontiagudas. O pelo é curto, reto e áspero, cuja cor varia entre o branco e o amarelo escuro. Pode apresentar mancha branca no peito e nas patas, além de uma coleira branca. Seu focinho tem a mesma medida do crânio e o nariz pode ser preto, marrom ou cor de carne. 

  • Grupo: 11 - raças não reconhecidas pelo FCI
  • Altura:entre 47 cm e 59 cm. 
  • Peso: cerca de 20 kg.
  • Temperamento: amigável, inteligente e calmo
  • Função original: cão de caça
  • Tipo de pelo: curto, reto e áspero
  • Expectativa de vida: 10 a 12 anos. 

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem: 4

  • Energia: 5

  • Inteligência: 5

  • Facilidade de adestramento: 3

  • Como cão de guarda: 2

  • Adapta-se ao calor: 4

  • Adapta-se ao frio: 3

  • Adapta-se bem à vida em apartamento: 1

  • Necessidade de atividades físicas: 5

  • Fica bem sozinho: 3

  • Relacionamento com a família: 5

  • Relacionamento com crianças: 4

  • Relacionamento com estranhos: 3

  • Relacionamento com outros animais: 1

  • Tendência a latir: 2


    A raça é conhecida também como Bianchini ou Cerveiro - que significa branco, alvo ou claro. Até onde se sabe esse cão é bastante antigo e resulta do cruzamento entre excelentes cães de caça e é uma das poucas raças brasileiras.

    Há duas origens para seu surgimento, uma afirma que ele descende de cachorros primitivos, como o Podengo e o Ibicenco, que teriam chegado ao Brasil por meio de caravelas durante a colonização portuguesa.

    Por outro lado, acredita-se também na origem ligada à América do Sul, especificamente no Uruguai e Argentina. A incidência estaria conectada ainda a regiões do Brasil como sudeste, nordeste e centro-oeste, mas em maioria no sul. 

    Esse cão é considerado resistente e mais fortes do que seus ancestrais, por ter sobrevivido ao clima árduo das pampas e por ser consequência do cruzamento dos melhores cães de caça. Era usado principalmente para perseguir e pegar animais, sozinho, em dupla ou em matilha.

Características

Considerado um cão de companhia com excelente habilidade de farejador. Comporta-se muito bem com a presença de outros cachorros, mas devido ao seu instinto de caçador, não é recomendável o convívio com outros pequenos animais de estimação. É amistoso e tolerante com crianças.

De forma geral é tranquilo e equilibrado. Não costuma ser agressivo. Na presença de estranhos o máximo que vai fazer é ficar retraído e desconfiado, mas nunca a ponto de atacá-los. De fato não é recomendado como cão de guarda, apesar de estar sempre alerta e observador.

É dócil com crianças e adora a companhia delas para brincar. Mas o ideal é supervisioná-los para garantir que não se machuquem mesmo que sem querer, principalmente em momentos de muito agito.

Ao longo da História, durante as caçadas, a raça desenvolveu independência, visto como uma qualidade pelos caçadores, mas como teimosia por tutores inexperientes. O fato de ter que lidar com percalços durante os caminhos fez dele um cão um tanto confiante. Por isso, deve ter as regras bem estabelecidas e um bom treinamento. Por ser inteligente, esse adestramento pode ser muito efetivo e tende a torná-lo um cão obediente e ainda mais equilibrado. 

  • Orelhas pontiagudas, pequenas, dobradas para trás e eretas quando alerta
  • Rústico, com boa musculatura
  • Olhos oblíquos, claros ou escuros, de tamanho médio
  • O focinho é mais quadrado, de cor rosada ou escura, com narinas largas
  • Estrutura magra e forte

Cuidados básicos

Precisa de atividades diárias para gasto de energia e desenvolvimento. Não há frequência obrigatória de banhos. As unhas devem ser aparadas regularmente.

É muito ativo e precisa de exercícios diários intensos. Caminhadas longas são praticamente obrigatórias. O ideal é ter um parque ou quintal grande para correr e divertir-se. 


Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade.
A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Veadeiro Pampeano é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 95 a 190 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 160 a 195 gramas/dia.

Espaço para criação

É um cão muito ativo, que precisa de uma grande área para se sentir feliz. O ideal é viver em uma casa com quintal ou no ambiente rural. Terá dificuldades de se adaptar em apartamento, então não é recomendado.

Saúde

​No geral é uma raça saudável, mas pode ter alguns problemas de saúde, como:

Displasia do quadril - o fêmur não se encaixa perfeitamente no osso do quadril e provoca dores na articulação. Pode também desenvolver a artrite na velhice.

Curiosidades

​Por quê ter um Veadeiro Pampeano?
A raça tem características próprias de um cão de companhia. Dócil e apegado à família, ele será um grande companheiro para quem espera um animal enérgico e brincalhão. Pessoas ativas e dispostas a levá-lo para passeios diários, bem como caminhadas, podem adotá-lo sem problemas.

Costuma se dar muito bem com crianças, demonstrando carinho e paciência. Só deve ser supervisionado para não machucá-las sem querer. 

Uma das qualidades é a alta inteligência, que facilita o treinamento da raça. Pode ser bastante obediente e equilibrado depois de adestrado.


​Por quê não ter um Veadeiro Pampeano?
É muito ativo e precisa de exercícios diários intensos. Caminhadas longas são praticamente obrigatórias. O ideal é ter um parque ou quintal grande para correr e divertir-se, uma vez que não se adapta a apartamento e espaços restritos. Portanto, se você não estiver disposto a incentivar o lado esportivo do seu cão, é melhor escolher outra raça.

Na presença de estranhos o máximo que vai fazer é ficar retraído e desconfiado, mas nunca a ponto de atacá-los. De fato não é recomendado como cão de guarda, apesar de estar sempre alerta e observador.


Conheça outras raças de cães