Guia de Bichos
Terrier Brasileiro - undefined

Terrier Brasileiro

  • Nome no Brasil: Fox paulistinha
  • Nome original: Terrier Brasileiro
  • País de origem: Brasil
  • Preço médio: entre R$ 1 mil e R$ 2.500
  • Tipo de pelo: Curto

Tudo sobre Terrier Brasileiro

Porte: médio
Área de criação: média
Energia: alta
Temperamento: dócil

Descrição

  • Grupo: 3 – Terriers
  • Porte: 1 – Terriers de grande e m édio porte
  • Machos: entre 35 e 40 centímetros/entre 6,5 e 10 quilos
  • Fêmeas: entre 33 e 38 centímetros/entre 6,5 e 10 quilos
  • Tipo de pelo: curto, liso e fino, semelhante ao pelo do rato
  • Temperamento: agitado, alerta, ativo, amigável e curioso
  • Expectativa de vida: 13 a 18 anos 

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem:  4
  • Energia:  5
  • Intelig ê ncia:  4
  • Facilidade de adestramento:  5
  • Como c ão de guarda:  3
  • Adapta-se ao calor:  4
  • Adapta-se ao frio:  1
  • Adapta-se bem à vida em apartamento:  5
  • Necessidade de atividades físicas:  4
  • Fica bem sozinho:  3
  • Relacionamento com a família:  4
  • Relacionamento com crianças:  5
  • Relacionamento com estranhos:  4
  • Tendê ncia a latir:  4
  • Tendê ncia à obesidade:  3


Cão de pequeno porte. Possui pelo liso, curto, fino e duro, bem colado à pele, recobrindo o corpo uniformemente. Na cabeça, orelhas, pernas e pescoço o pelo é mais fino. A cor predominante é o branco e há manchas pretas, azuladas ou marrons. As marcas mais características são no focinho, acima dos olhos e nas orelhas. Os olhos podem ser marrons, azuis ou verdes. 

O Fox Paulistinha tem duas histórias que explicam sua origem, sendo ambas mais ou menos relacionadas. Em comum, elas têm o fato de que essa raça foi originalmente desenvolvida para caçar ratos. Suas fortes mandíbulas e movimentos rápidos eram muito úteis aos agricultores, que queriam espantar essa praga de suas lavouras.

A versão mais aceita conta que o Fox Paulistinha (ou Rat Terrier, apenas para nos atermos à versão original) foi desenvolvido por fazendeiros, que cruzavam raças como  Fox T errier, Manchester  T errier e  T errier  B ranco  I nglês para criar um cão que pegasse presas e pragas entre 1910 e 1920.

Nas regiões na América Central e do Sul, ele foi cruzado com o Beagle e ganhou o seu olfato aguçado. A raça deu uma declinada por volta de 1940 devido ao uso de veneno para controlar as populações de ratos, mas ressurgiu com força no final dos anos 1970. Em 2013 a AKC reconheceu o Rat Terrier.

Já a outra versão explica que os jovens ricos, filhos de fazendeiros, iam estudar na Europa por volta do século XIX. Ao retornar, traziam consigo exemplares das raças Jack Russel Terrier ou Fox Terrier, que foram cruzando com cães nativos, como o Pinscher e o Chihuahua e produziram os Fox Paulistinhas, que se adaptaram ao clima local.

Os navegantes do século XVI também podem ter contribuído com as raças que deram origem a essa raça abrasileirada. 


Características

É inteligente, alerta, esperto. Incansável, este cão é muito ativo e cheio de energia
É dócil, amigável, carinhoso e muito apegado ao dono e família, mas reservado com desconhecidos. Além de cão de companhia, é um ótimo cão de guarda e alarme, pois late bastante a qualquer sinal estranho. Determinado e voluntarioso, precisa de um dono que estabeleça regras claras. Não é indicada a convivência com outros animais, especialmente os de menor porte.

  • Tamanho médio, bem equilibrado, com estrutura firme e corpo quadrado
  • Cabeça triangular, com as orelhas bem afastadas
  • Crânio arredondado com a testa lisa
  • Focinho triangular, com nariz de cor escura moderadamente desenvolvido e narinas largas
  • Bochechas secas e bem desenvolvidas
  • Olhos bem distantes, grandes e escuros
  • Orelhas alinhadas com os olhos, triangulares e com a ponta caindo dobrada
  • Pescoço bem equilibrado em relação à cabeça
  • Cauda curta e carregada alegremente
  • Pele seca e não solta
  • Pelo mais fino na cabeça, orelhas, sob o pescoço, na parte interna e inferior das pernas dianteiras e parte traseira das coxas
  • Pelagem branca com manchas pretas, marrons ou azuis
  • Acima dos olhos, na borda das orelhas e no focinho há uma marca marrom; a região frontal da cabeça e orelhas deve ser preta, castanha ou azul. 

Cuidados básicos

O pelo curto não requer cuidados especiais, apenas escovação semanal. Não há frequência obrigatória de banhos. A raça precisa de muito estimulo e atividade física e mental constantemente, para acalmar-se dentro de casa e não se tornar destruidor.

Para treinar um Fox Paulistinha é preciso ser firme e enérgico, pois ele é muito teimoso e ativo. No geral, porém, não é um cã o dif í cil de treinar: é inteligente e gosta de aprender novos truques, bastando se ater à necessidade de impor limites para que ele saiba quem que manda.

Por n ão se darem bem com estranhos, é importante socializ á-los com outros animais e pessoas desde filhotes, principalmente se você costuma receber muitas visitas.

Eles precisam de muito exercício e estímulo fí sico e mental, ent ão prepare-se para oferecer pelo menos 40 minutos de atividades diárias. O Fox Paulistinha corre muito, então corridas ao ar livre podem deixá-lo satisfeito, bem como truques de obediência e jogos de busca. Se eles reprimirem essa energia, se tornarão destrutivos.

O ideal é que seu Fox Paulistinha tenha um espaço no quintal que possa escavar a vontade. Ensine-o que aquele é o único local onde ele pode se divertir e ele vai entender, pois é um cachorro muito inteligente. Quanto ao pelo, é fácil de cuidar e não precisa de tosa, apenas de uma escovaçã o ocasional.  

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade. Cães de grande porte consomem rações large breed.
A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Terrier Brasileiro é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 95 a 110 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 95 a 120 gramas/dia.

Espaço para criação

Não é uma raça recomendada para quem mora em apartamento, pois precisa de espaço para gastar energia.

Custo de manutenção


Saúde

Essa raça é muito forte e apresenta pouquíssimos problemas de saúde, sendo a maior parte deles comuns a outros cães do mesmo porte, tais como:

  • Alergias
  • Luxação da patela
  • Sarna demodécica

Um problema que pode acometer essa raça é a mordida incorreta, na qual a mandíbula é ligeiramente deformada e desalinhada, provocando, como o pró prio nome j á diz, uma mordida errada.

O problema pode acontecer na mandí bula superior,  quando  ela  é estendida além da mandíbula inferior; na mandí bula inferior,  quando ela vai além da mandíbula superior; e por uma torção na boca, quando um lado crescer mais rápido que o outro, provocando dificuldade para comer e agarrar.

Em alguns casos, a mordida incorreta é corrigida conforme o cão vai crescendo, mas às vezes é necessá rio interven çã o cir úrgica. 

Curiosidades

Popularmente conhecido como Fox Paulistinha.

Por que ter um Fox Paulistinha?

Em primeiro lugar, o Fox Paulistinha é uma raça brasileira, o que significa que ele não terá problemas de adaptação com o clima local como outras raças costumam ter. Pelo contrá rio, est á acostumado com o clima tropical e tolera bem o calor.

Segundo, ele é um Terrier, mas poderia muito bem ser um cão de colo. São super apegados aos seus tutores e detestam ficar sozinhos, por isso precisam de companhia constante e viver dentro de casa. Quem mora sozinho e busca um amigo vai se divertir com ele, que também é muito inteligente e aprende truques e comandos com facilidade.

Apesar de amá vel, afetuoso e d ócil com a famí lia, ele n ão é dependente e gosta de ter seu tempo sozinho. É muito usado como cão de guarda, pois tem um latido ú nico e n ã o se d á bem com estranhos. É também um excelente cão de fazenda para caçar pequenas presas.

O Fox Paulistinha é um ótimo pet, pois é incrivelmente perceptivo e responde intuitivamente ao humor dos moradores da casa. Adora agradar e costuma segui-lo por onde anda.

Por que n ão ter um Fox Paulistinha?

Como todo Terrier, o Fox Paulistinha apresenta algumas características irritantes desse grupo, como a teimosia e o há bito de cavar. Se voc ê é apegado ao seu jardim desista dessa raça, pois ele não vai desistir até fazer um buraco enorme no espaç o.

Eles tamb ém são rápidos e saltam alto, precisando de uma proteção em torno do seu espaço para evitar fugas. O ideal é que sejam criados em casas com quintal grande, para que possam queimar a energia. Se ele não se exercitar corretamente vai ficar entediado e se tornar destrutivo.

Essa é uma raça muito ené rgica, que n ão consegue ficar quieta e precisa de muito exercício físico e mental. Para quem deseja um cãozinho calmo, passe longe dele. 

Conheça outras raças de cães