Guia de Bichos
Shar Pei - undefined

Shar Pei

  • Nome no Brasil: Shar Pei
  • Nome original: Shar Pei
  • País de origem: China
  • Preço médio: entre R$ 2 mil e R$ 6 mil
  • Tipo de pelo: Médio

Tudo sobre Shar Pei

Porte: médio
Área de criação: média
Energia: baixa
Temperamento: dócil

Descrição

  • Grupo: 2 – Pinscher e Schnauzer – Raças Molossóides – Cães Montanheses Suíços e Boiadeiros
  • Porte: 2.1 – Raças Molossóides – Tipo Mastife
  • Machos/Fêmeas: entre 45 e 50 centímetros / entre 20 e 28 quilos
  • Tipo de pelo: curto, duro e eriçado.
  • Temperamento: independente, leal, calmo e afetuoso
  • Expectativa de vida: 8 a 12 anos

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem:  2
  • Energia:  2
  • Inteligência:  2
  • Facilidade de adestramento:  3
  • Como cão de guarda:  2
  • Adapta-se ao calor:  1
  • Adapta-se ao frio:  2
  • Adapta-se bem à vida em apartamento:  4
  • Necessidade de atividades físicas:  2
  • Fica bem sozinho:  4
  • Relacionamento com a família:  2
  • Relacionamento com crianças:  2
  • Relacionamento com estranhos:  2
  • Tendência a latir:  5
  • Tendência à obesidade:  4

Cão de médio porte com estrutura compacta e quadrada. Suas características mais marcantes são o nariz, similar ao de um hipopótamo, e as rugas pela face e pescoço. Quando filhote possui rugas pelo corpo todo. A pelagem do Shar pei é curta e dura e todas as cores sólidas são bem aceitas, exceto a branca. Geralmente a cauda e as partes posteriores das coxas são mais claras. 

Essa raça surgiu nas províncias do sul da China, onde viveu desde a Dinastia Han (200 a.C.). Estátuas semelhantes ao Shar Pei foram datadas dessa época, mas as mesmas também se assemelhavam ao Chow Chow, o que aumenta os rumores de que ambos têm o mesmo ancestral – além do fato de serem os únicos cães de língua azul. A certeza surge no século XIII, em documentos que descrevem um cão enrugado.

Muitos dos registros sobre seu passado se perderam quando a China se tornou comunista. Nessa época eles trabalhavam com camponeses, servindo como cão de guarda e de briga e caçador de javalis. 

Com a criação da República Popular da China, a população desses cães foi praticamente eliminada. A sorte do Shar Pei foi que um criador de Hong Kong, Matgo Law, levou alguns cães para serem criados por lá e em Taiwan. Um pequeno número de Shar Peis foi para os EUA em 1973, quando criadores americanos alertaram sobre o baixo número de cães da raça, aumentando a disputa para criá-los.

O Shar Pei foi reconhecido pela AKC em 1992. 


Características

Trata-se de uma raça calma, amigável e muito dedicada ao seu dono e à família. De personalidade independente e corajosa é um ótimo cão de alerta. Como todas as raças, deve ser treinado e socializado desde filhote para se adaptar bem a estranhos e outros animais. O cão deve saber que o humano é o líder em todas as hipóteses. Costuma ser menos dominante do que outras raças, mas pode responder com agressividade quando algum outro animal possui esse temperamento. Alguns cães tem a tendência a babar e isso pode ser também um sinal de dor.

  • Cão de tamanho médio, ativo, compacto, curto e quadrado;
  • Cabeça grande em relação ao corpo;
  • Rugas na testa e nas bochechas, que se estendem para baixo e formam a papada;
  • Crânio plano e largo;
  • Orelhas e focinho pequenos, semelhantes ao de um hipopótamo;
  • Focinho largo da base até a ponta da trufa;
  • Trufa preta, grande e larga, com as narinas bem abertas;
  • Língua, céu da boca, gengivas e lábios na cor preto-azulado;
  • Olhos escuros, amendoados e com expressão carrancuda;
  • Orelhas muito pequenas, espessas, de formato triangular e inseridas altas, porém não eretas;
  • Pescoço médio, forte e bem implantado nos ombros;
  • Peito largo e profundo;
  • Cauda grossa e afilando-se gradualmente até a ponta, inserida alta;
  • Todas as cores sólidas são aceitas.

Cuidados básicos

Banho e escovações podem ser feitos uma vez por semana, inclusive na época de queda de pelo que ocorre uma vez ao ano. Essa prática ajuda a reciclar a pelagem e remover sujeiras. O pelo do Shar pei pode ser agressivo para quem tem alergia. Essa raça não deve ser tosada.

O Shar Pei precisa de um tutor capaz de estabelecer liderança com firmeza e bondade, caso contrário, ele tende a tomar o papel de alfa da casa. Não tente ser simpático ou bonzinho: ele não o respeitará, e sua natureza teimosa fará com que não seja obediente.

Ele precisa ser ensinado a não reagir exageradamente com pessoas e animais desconhecidos. Socialização precoce e demonstrações de que os mesmos são bem vindos em casa ajudam-no a ver que está tudo bem. Caso contrário, podem ser muito desconfiados.

O pelo pode ser escovado uma vez na semana, mas as rugas ao redor do corpo precisam de atenção redobrada para evitar problemas de pele. Banho frequente não é necessário, mas quando acontecer, é preciso secá-lo completamente e com muito cuidado nas dobras, pois se ficarem úmidas podem provocar infecções por fungos.

Por fim, o Shar Pei é um cão de nariz curto, logo, propenso ao superaquecimento. É preciso mantê-lo em um espaço fresco, com ar condicionado e ventiladores, e evitar sair com ele em dias muito quentes, pois ele não se adapta muito bem ao calor. É um cão para viver dentro de casa, junto à família, mas que também precisa de espaço para se exercitar mentalmente e fisicamente.

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade. Cães de médio porte consomem rações médium breed. A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Shar pei é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 95 a 190 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 160 a 230 gramas/dia.

Espaço para criação

Adapta-se bem em apartamentos e ambientes pequenos desde que exercitado diariamente. Essa raça é muito sensível ao calor, principalmente por conta de suas rugas, logo é recomendado um cuidado especial em épocas quentes como um abrigo longe do sol e muita água fresca à disposição.

Custo de manutenção

Os Shar Peis são mais propensos a sofrer alguns problemas de pele, como a sarna demodecica (ou demodicose), provocada por um tipo de ácaro que vive em folículos pilosos, transmitido pela mãe para o filhote em seus primeiros dias de vida. Caso o cão tenha imunidade baixa, pode sofrer com manchas vermelhas, escamação, perda de pelo na cabeça, pescoço e patas dianteiras. O problema pode se alastrar para todo o corpo e provocar infecções mais graves.

A mucinose cutânea é provocada pela substância clara e fibrosa que provoca rugas. Caso o cão tenha excesso de mucina pode sofrer com a formação de bolhas sobre a pele, que podem romper e inflamar.

A Febre de Shar Pei se manifesta no inchaço do jarrete e provoca dificuldade de se movimentar, dor abdominal, vômitos, diarreia e respiração artificial. A febre dura entre 24 e 36 horas.

Outros problemas que ocasionalmente podem atingir a raça:

  • Hipotireoidismo
  • Displasia do cotovelo e do quadril
  • Entrópio
  • Glaucoma
  • Torção gástrica
  • Luxação da patela

Curiosidades

Por que ter um Shar Pei?

Num primeiro momento, o Shar Pei prende sua atenção pela fisionomia peculiar: cara de bravo, muitas dobrinhas pelo corpo e orelhas minúsculas. Basta ter contato com essa raça para entender que não é só sua aparência que é interessante.

O Shar Pei é muito seguro de si, independente, sério e autoconfiante. Dedicado à sua família, gosta de estar acompanhado dela o tempo todo, parecendo desenvolver uma compreensão intuitiva das pessoas da casa. É calmo e pode viver tranquilamente em apartamento, além de se dar bem com outros animais de estimação.

Reservado e desconfiado com estranhos, sua herança como cão de guarda e combate faz com que seja um ótimo protetor para a casa. Responderá às ameaças (se sentir que elas existem) e é muito corajoso.

Por que não ter um Shar Pei?

Como todas as raças independentes e autoconfiantes, o Shar Pei tem personalidade própria e pode ser muito teimoso. Pode ser um desafio treiná-lo, e é preciso muita paciência e dedicação para ensiná-lo, com perfil de liderança e firmeza. Tutores de primeira viagem ou que tem dificuldade de se impor terão dificuldades com essa raça.

Outro possível problema é que é o Shar Pei não é muito afetuoso e expressivo. Apesar de leal e devotado, não é o tipo de cão que gosta de ficar no colo e faz de tudo para chamar a atenção. Quem busca um pet do tipo deve ficar longe dessa raça. 

Conheça outras raças de cães