Guia de Bichos
Rottweiler - undefined

Rottweiler

  • Nome no Brasil: Rottweiler
  • Nome original: Rottweiler
  • País de origem: Alemanha
  • Tipo de pelo: Curto

Tudo sobre Rottweiler

Porte: médio
Área de criação: média
Energia: alta
Temperamento: amigável

Descrição

  • Grupo: Grupo 2 – Raças Molossóides – Cães Montanheses Suíços e Boiadeiros
  • Porte: Tipo Mastife
  • Machos: altura: entre 61 e 68 centímetros, peso: 50 Kg
  • Fêmeas: altura: entre 56 e 63 centímetros, peso: 42 Kg
  • Expectativa de vida: entre 8 e 11 anos

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem 1
  • Energia 4
  • Inteligência: 5
  • Facilidade de adestramento: 4
  • Como cão de guarda: 4
  • Adapta-se ao calor: 3
  • Adapta-se ao frio: 2
  • Adapta-se bem à vida em apartamento: 2
  • Necessidade de atividades físicas: 4
  • Fica bem sozinho: 1
  • Relacionamento com a família: 5
  • Relacionamento com crianças: 4
  • Relacionamento com estranhos: 3
  • Tendência a latir: 4
  • Tendência à obesidade: 5

É uma raça de grande porte e estrutura corporal robusta e musculosa demonstrando muita força física. Sua pelagem é curta, espessa e um tanto áspera e a única cor aceita para a raça é a preta com manchas em mogno posicionadas em cima dos olhos, no peito, nas pastas, na garganta, no traseiro e nas bochechas. Essa raça perde pouco pelo e costuma roncar. O Rottweiler precisa de muito exercício físico para se manter equilibrado. 

O Rottweiler é uma das mais antigas raças de rebanho sobreviventes, com uma ancestralidade que provavelmente estende-se a Roma antiga. Essa rala foi criada em uma época quando poucos sabiam ler e quase nenhum documento sobre a criação de raças de cachorro era mantido. Como resultado, não se sabe muito sobre o passado e as origens dessa raça. O que se sabe com certeza é que esse cachorro tem sido mantido nos arredores da cidade de Rottweil há muito tempo, aonde serviu para várias funções diferentes.

Apesar de não existirem registros escritos que sustentem essa teoria, assume-se que o Rottweiler descende de cachorros levados a área pelos romanos. Pelo século I, os romanos controlavam um império gigante, mas muitas de suas fronteiras não eram seguras. Em um esforço de estabilizar as fronteiras, os romanos queriam estender suas fronteiras. Na primavera do anos 74 D.C., o exército romano conquistou a região hoje conhecida como Rottweil. Os romanos utilizaram várias raças de cachorro para o trabalho nessa região, e elas deram origem ao Rottweiler.

Por quase mil anos, o Rottweiler e seus ancestrais serviram as pessoas de Rottweil e das áreas ao redor, trabalhando nos mais diversos serviços em que se havia a necessidade. No entanto, a Revolução Industrial quase levou a raça à extinção. Os números de cães da raça Rottweiler caíram muito, e a raça provavelmente teria encontrado o destino de muitas outras raças antigas: a extinção. Felizmente para a raça, um número surpreendentemente alto de apreciadores os mantiveram muitos anos depois deles terem se tornado obsoletos por conta das máquinas. Outro ponto que fez com que essa raça sobrevivesse foi a urbanização, que aumentou a criminalidade e transformou o Rottweiler em um cão de guarda muito eficiente. No final do século XIX, a polícia alemã estava pesquisando qual seria a raça ideal para trabalhar com a polícia. Muitos entenderam que o Rottweiler seria ideal para esse propósito, pois o cachorro possui todas as características necessárias para um cão policial: boa inteligência, treinabilidade alta, lealdade intensa, agressão controlada, poder e tamanho. Pelo tempo da Primeira Guerra Mundial, o Rottweiler estava voltando a ser muito popular como resultado de seu novo trabalho.

 Inicialmente, Rottweilers eram consideravelmente mais variáveis em aparência do que a raça moderna. Como a raça foi primordialmente utilizada para trabalhar, não fazia-se nenhum esforço para padronizar a raça até o começo do século XX.

Apesar de não ser claro, o primeiro Rottweiler provavelmente foi importado para os Estados Unidos em 1920, e nos anos 80 o Rottweiler experimentou um crescimento gigante no país. Foi nessa década que a raça se tornou um cão de guarda da moda. O resultado foi que pelo final da década o Rottweiler havia se tornado famoso  no país por ser um grande e agressivo animal de proteção.

Pelo final da década de 90, a população de cachorros da raça Rottweiler começou a cair drasticamente, possivelmente pela má reputação da raça, que ficou conhecida por não ser amigável devido principalmente à influência midiática. Mesmo assim os cães dessa raça continuam sendo muito famosos, e são utilizados para fazer vários trabalhos ainda nos dias de hoje.

Características

Os cachorros da raça  Rottweiler são considerados cães de guarda fabulosos. Esses animais possuem um temperamento calmo na maior parte do tempo, mas tornam-se fortes e corajosos quando sentem a necessidade de defender seu dono e todos aqueles que eles amam, como a família e o território. Pessoas com más intenções não passam despercebidas por um cachorro da raça Rotweiller, que reage com agressividade e sabe muito bem como assustar e se defender de qualquer perigo que venha cruzar o seu caminho. O oposto acontece com pessoas e animais familiares ao cão. Sua docilidade com essas pessoas de quem ele gosta muito é realmente notável. É  extremamente apegado e muito leal aos donos, por isso está pronto para fazer de tudo para proteger essas pessoas que ele ama tanto. A raça Rottweiler é considerada muito inteligente e que responde com rapidez e eficiência a qualquer tipo de treinamento que o dono julgar adequado e necessário para o cachorro, tanto que é comumente usada pela Policia em vários locais do mundo para ajudar a combater o crime há décadas. Essa raça de cachorro necessita de limites e de uma liderança constante ou pode se tornar perigoso, tendo em vista sua força física e sua personalidade dominante e de guarda, muito protetor das pessoas ao seu redor.

  • Porte de médio para grande;
  • Maxilar forte e largo, com dentição em tesoura;
  • Olhos amendoados e de tamanho médio;
  • Orelhas de tamanho médio e triangulares;
  • Pescoço forte, musculoso e longo;
  • Peito largo e profundo;
  • Patas redondas, bem fechadas, com almofadas duras e unhas fortes;
  • Pernas musculosas e bem desenvolvidas;
  • Pelo médio e preto, mas na cor castanha nas faces, focinho, garganta, peito, pernas, acima dos olhos e sob a raiz da cauda;
  • Personalidade amável, leal e corajosa. 

Cuidados básicos

 Não há uma frequência obrigatória de banhos. Escovações podem ser feitas semanalmente.          Como toda raça grande e gigante recomenda-se o acompanhamento veterinário para evitar displasias. Exercícios físicos devem ser feitos com muita frequência e intensidade. O Rottweiler tem a tendência a ter problemas nos joelhos.

Os cachorros da raça Rottweiler são bastante enérgicos, e por esse motivo eles precisam de um bom espaço para se exercitar e movimentar. Mesmo viver em um apartamento grande não é suficiente para eles, pois são cães grandes e muito elétricos, que precisam depositar a energia acumulada em exercícios. Um quintal espaçoso e com grades, onde possam se divertir sem coleira e sem correr o risco de sair de casa, é excelente para que eles possam mostrar o quanto são ativos.

Caminhadas de pelo menos uma hora duas vezes ao dia com seu Rottweiler farão com que ele fique dócil e controlado. Um cão como esse exige dedicação específica, caso contrário pode se estressar e canalizar sua energia de forma negativa – e geralmente destrutiva.

Eles devem ser socializados com crianças desde sempre, para que possam aprender como conviver com elas. No geral, são carinhosos e brincalhões, mas podem se empolgar e desprender muita força nas brincadeiras e machucar os pequenos.

A socialização com outros animais e outras pessoas deve ocorrer também desde filhote, para que ele se acostume com a presença dos mesmos. Essa raça pode ser agressiva com estranhos devido aos seus instintos protetores e de cão de guarda (principalmente com cães do mesmo sexo), e um bom treinamento e socialização farão com que o cachorro da raça deixe de dar sinais de agressividade.

Outra dica é em relação à pelagem. Banhos não devem ser dados com frequência, pois retiram a oleosidade natural da pele do animal e pode provocar dermatites e alergias. Escovar os pelos regularmente é suficiente para deixa-los brilhantes e saudáveis.

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade. Cães de grande porte consomem rações large breed.
A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Rottweiler é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 90 a 465 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 350 a 400 gramas/dia.

Espaço para criação

Pode ser criado em apartamento desde que exercitado diariamente através de longos passeios.

Custo de manutenção


Saúde

Problemas de saúde do Rotweiller

Essa raça é bastante resistente e apresenta poucos problemas de saúde. Entretanto, assim como qualquer outra, apresenta propensão maior a algumas enfermidades.  Vale ter atenção às seguintes doenças:

Displasias : geralmente, atinge o quadril ou os cotovelos e é hereditário. No primeiro caso, o fêmur não se encaixa perfeitamente à articulação do quadril, gerando dor e desconforto nas pernas traseiras. Ela pode ser agravada por fatores como ganho de peso, lesões causadas por queda e artrite por conta da idade.
Já no segundo caso, ocorre má formação na articulação do cotovelo, que pode ser corrigido com cirurgia ou remédios para aliviar a dor. Em ambos os casos só o raio-X saberá determinar com precisão a gravidade do problema.

Estenose aórtica ou sub-aórtica : problema cardíaco comum, que força o coração a trabalhar mais devido ao estreitamento da aorta, provocando cansaços, desmaios e até morte súbita.

Osteossarcoma : esse tipo de câncer no osso é bastante agressivo afeta principalmente raças grandes e gigantes. O tratamento envolve quimioterapia e até amputação, e pode estender o tempo de vida do cão por mais ou menos dois anos.

Dilatação gástrica : outra condição que pode afetar cães grandes, a dilatação gástrica pode parecer um problema simples, mas é potencialmente fatal se não for tratada imediatamente.
Ocorre quando o cão come muito rápido, consome uma grande refeição, bebe muita água depois de comer ou se exercita depois das refeições e seu estômago é distendido com ar e torce. Ele não consegue se livrar desse excesso de ar, o retorno normal de sangue para o coração é impedido, a pressão cai e o cão entra em choque.
Se perceber que seu cão está fazendo força para vomitar, com frequência cardíaca acelerada e abdômen distendido leve-o imediatamente ao veterinário.
Outras doenças comuns ao Rottweiler que podem ocorrer com qualquer raça são o hipotireoidismo, que inclui sinais como infertilidade, ganho de peso, fraqueza e queda de pele, e alergias simples à alimentação e fatores externos como grama, pólen e pulgas.

Curiosidades

Por que ter um Rottweiler?

O Rottweiler ocupa o 9º lugar no ranking de inteligência canina. É um cão fácil de ser treinado, que aprende rapidamente coisas novas, prospera com estímulos mentais e gosta de agradar aos seus tutores.

A inteligência e agilidade, junto à força e coragem naturais dessa raça, a torna ideal para agir como cão de guarda da casa. São territoriais e possuem fortes instintos protetores, mas são também carinhosos e dóceis.

Os machos são calmos e vigilantes, enquanto as fêmeas são mais fáceis de controlar. Apesar de toda a fama de bravo, o Rottweiler se apega muito aos seus tutores e não gosta de ficar sozinho. Quem busca companhia e segurança vê nessa raça o pet ideal.

Por que não ter um Rottweiler?

O Rottweiler é também bastante teimoso e avesso a pessoas e animais estranhos, podendo se tornar agressivo, principalmente com cães do mesmo sexo que o seu.

Apesar de serem fáceis de treinar eles exigem disciplina, pulso firme e limites. O tutor precisa ter tempo para se dedicar ao pet e também assertividade, pois conquistar o respeito do Rottweiler envolve muita paciência, tempo e ensino das consequências do comportamento inadequado.

Se não forem estimulados e exercitados com frequência, podem se aborrecer e apresentar comportamento destrutivo e contrário às regras. O treinamento deve permanecer durante toda a vida e contar com a ajuda de um profissional não é uma má ideia. 

Conheça outras raças de cães