Guia de Bichos
Mastim dos Pirineus

Mastim dos Pirineus

  • Nome no Brasil: Mastim dos Pirineus
  • Nome original: Mastín del Pirineo
  • País de origem: Espanha
  • Tipo de pelo: Alto

Tudo sobre Mastim dos Pirineus

Porte: grande
Área de criação: grande
Energia: alta
Temperamento: amigável

Descrição

Cão de grande porte, musculoso, mas que aparenta agilidade apesar do seu tamanho. Sua pelagem é densa e longa, mas assume comprimento maior na região dos ombros, ventre, pernas, traseiro e pescoço. A cauda possui uma pelagem mais intensa parecendo um penacho. A cor aceita é a branca com uma máscara bem definida. Manchas da mesma cor do que a máscara em alguns lugares do corpo, exceto ponta da cauda e extremidades, são aceitas. 

Tem uma cabeça larga, com um formato mais quadrado e bem pesada. Os olhos são médios, expressivos, redondos e amendoados. O focinho é quadrado, largo, com narinas bem largas e preto. A mordida é em formato de tesoura mais fechada. As orelhas são médias, dobradas ao lado da cabeça, de formato mais arredondado e bem peludas.  O corpo fortíssimo e musculoso representa um cachorro que chama atenção por onde passa. As pernas são longas e fortes. A cauda é longa, peluda e em formato de coice, inclinada para cima do corpo do cão.   

  • Grupo: 2 -  Pinschers e Schnauzers, Cães molossos tipo montanhês e tipo Dogue e boiadeiros suíços
  • Porte: 2 - Cães molossos
  • Altura macho: mínima de 77 cm 
  • Altura fêmea: mínima de 72 cm. 
  • Peso: 55 a 70 Kg
  • Temperamento: dócil, equilibrado e protetor
  • Tipo de pelo: denso e longo
  • Função original: cão de guarda
  • Expectativa de vida: 12 anos

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem: 4

  • Energia: 5

  • Inteligência: 5

  • Facilidade de adestramento: 5

  • Como cão de guarda: 3

  • Adapta-se ao calor: 3

  • Adapta-se ao frio: 4

  • Adapta-se bem à vida em apartamento: 5

  • Necessidade de atividades físicas: 5

  • Fica bem sozinho: 2

  • Relacionamento com a família: 5

  • Relacionamento com crianças: 4

  • Relacionamento com estranhos: 3

  • Relacionamento com outros cães: 3

  • Tendência a latir: 3


Muitos acreditam que esse tipo de cão Mastiff originou-se na Mesopotâmia ou no Egito. Seriam cães de guarda para agricultores que queriam proteger seus rebanhos de ovelhas e cabras, além de possíveis predadores. Aos poucos os impérios perceberam que poderiam usar esse cão também para guerras e a fim de proteger grandes propriedades.  


Historicamente, por muito tempo, essa raça acompanhou os pastores de ovelhas, nos caminhos de imigração. Sua função principal era proteger o gado e seus mestres contra o ataque de lobos, ursos e da própria vizinhança.


Durante o século XX a raça passou por um declínio na quantidade de exemplares existentes. Isso ocorreu principalmente depois do fim da Guerra Civil Espanhola (1936), quando as dificuldades financeiras eram profundas e um cão como o Mastim passou a ser muito custoso para manter.


Nos anos 1970, um grupo de fãs da raça se uniu para tentar recuperá-la. Foi reconhecida pelo FCI em 1982.


Características

Trata-se de uma raça de muito auto-controle e equilíbrio. Protege seu território e a família, mas no geral é manso. Carinhoso e inteligente, mostra postura séria e firme frente a pessoas estranhas. Não é muito agressivo com outros cães, mas reage se provocado. Possui uma constante expressão de alerta e seu latido é grave e intenso.

É uma raça forte, rústica e tranquila. Além disso, com crianças é muito dócil e vai sempre tentar protegê-la o máximo que puder. Só deve ser supervisionado para não machucá-las, devido ao tamanho gigante. É também muito gentil com outros cães e animais, com quem logo faz amizade. Será um grande companheiro, literalmente enorme e muito fofo. 

Precisa de um tutor firme, para estabelecer bem os limites e ser bem treinado. É necessário ter cuidado para o cão não ficar protetor em excesso e estranhas demais as novas pessoas ou visitas que se aproximem dele. 

Quanto ao adestramento pode ser um pouco difícil de lidar, mas nada impossível. É inteligente, mas como foi treinado historicamente para ser cão de guarda, tem a personalidade um tanto independente e teimosa. Precisa de uma socialização firme e consistente, para garantir que se acostume com pessoas estranhas e outros cães, por exemplo. Mas, no geral, responde bem à autoridade e liderança do tutor.



Cuidados básicos

Como qualquer raça grande, deve-se atentar para problemas estomacais e displasias. Exercícios físicos diários através de passeios são altamente recomendados. Não há uma frequência obrigatória de banhos, mas a escovação deve ser feita semanalmente e em maior quantidade em épocas de perda de pelo. As unhas devem ser aparadas regularmente.

É importante ter em mente que um cão de porte quase gigante exige muitos cuidados específicos, além de um espaço onde possa viver confortavelmente. Muitas vezes o cachorro precisa sair pelo menos duas vezes ao dia para queimar energia. 


Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade, Cães de grande porte consomem rações large breed.
A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Mastin Espanhol é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 90 a 425 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 350 a 475 gramas/dia.

Espaço para criação

Essa raça não deve viver em apartamento e espaços pequenos. Precisa de espaço para se exercitar. Seu porte gigante exige um lugar mais amplo e onde consiga correr, brincar e divertir-se.

Saúde

Esse cachorro é saudável, mas pode ter alguns problemas de saúde, como:
  • Hipotireoidismo deficiência do hormônio produzido pela glândula tireoide. A obesidade, bem como o calor excessivo e a apatia são alguns dos sintomas. Pode causar infertilidade
  • Displasia do quadril o fêmur não se encaixa perfeitamente no osso do quadril e provoca dores na articulação. Pode também desenvolver a artrite na velhice.
  • Torção gástrica - aumento do volume do estômago, devido à intensificação da fermentação. A alimentação deve ser bem controlada para evitar esse problema.

Curiosidades

​Por quê ter um Mastim dos Pirineus?
É um cão muito dócil, amigável e bem apegado à família. Sem dúvida o perfil brincalhão e amoroso dele não condiz com seu tamanho. Embora possa parecer assustador ou bravo, é na verdade muito confiável e um grande companheiro. Além disso, é equilibrado, confiante e calmo. Só se irrita se for provocado ou perceber algum estranho por perto.

Com crianças seu convívio será ótimo, com brincadeiras e carinho envolvido. É perfeito para famílias com filhos. Só deve ser supervisionado para não machucá-las sem querer, devido ao porte gigante. Uma patada dele pode fazer um machucado desagradável.

É excelente cão de guarda também, já que foi treinado historicamente para isso. Tem naturalmente um instinto protetor e vai garantir a segurança da família sem dúvidas. 

Costuma se dar bem com outros animais, incluindo cães, só precisa de socialização, pois talvez estranhe no início. Se for provado também é provável que retruque. Então, apesar de dócil, ainda tem tendência a defender o território.

Por quê não ter um Mastim dos Pirineus?
Ao mesmo tempo que é muito companheiro e amigável com a família, não se dá bem com estranhos. Normalmente o instinto de cão de guarda toma destaque e torna-o desconfiado com quem desconhece. Está sempre alerta e costuma latir alto e com frequência quando algo o incomoda. O tamanho quase gigante pode ser um pouco amedrontador, o que já afasta algumas pessoas. 

Não é adequado para quem quer um cão totalmente dócil, inclusive com visitas. Mas esse quadro é reversível e a socialização é bem benéfica para melhorar a relação com pessoas e animais novos.

Muito ativo e brincalhão, ele realmente precisa de exercícios diários para queimar energia. Apenas caminhadas semanais ou brincadeiras dentro de casa não são suficientes. O ideal é ter um parque onde possa correr e viver em uma casa grande, com espaço para correr e movimentar-se. 

Portanto, se você mora em apartamento nem pense em adotá-lo. Torna-se um sofrimento para ele, que não terá muita qualidade de vida e exigirá muito do tutor.

É inteligente e perspicaz, mas um pouco difícil de lidar. Não é dos mais fáceis de treinar pelo fato de ter a independência e teimosia herdadas do perfil de cão de guarda. Mas aos poucos respeita a autoridade do tutor.

Por ser um cachorro menos obediente do que outros, necessita de um dono com pulso firme e dominante. Também por isso não é indicado a pessoas que nunca tiveram cachorro antes. Além disso, o tamanho gigante exige que se tenha um controle maior sobre ele. Afinal, ele é forte e pode machucar alguém se quiser.

Tem um casaco bem grosso e longo, então não se adapta muito bem a lugares onde as temperaturas são extremamente altas. É mais próprio para viver no frio.
Conheça outras raças de cães