Guia de Bichos
Buldogue Inglês - undefined

Buldogue Inglês

  • Nome no Brasil: Buldogue Inglês
  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Preço médio: entre R$ 3 mil e R$ 8 mil
  • Tipo de pelo: Curto

Tudo sobre Buldogue Inglês

Porte: médio
Área de criação: pequena
Energia: baixa
Temperamento: dócil

Descrição

  • Grupo: 2 - Pinscher e Schnauzer – Raças Molossoides, Cães Montanheses Suíços e Boiadeiros
  • Porte: 2 – Raças Molossoides – Tipo Mastife
  • Machos: entre 30 e 38 centímetros/cerca de 25 quilos
  • Fêmeas: entre 30 e 38 centímetros/cerca de 23 quilos
  • Tipo de pelo: fino, curto, macio e liso
  • Temperamento: calmo, corajoso, amigável, alerta e leal
  • Expectativa de vida: 8 a 12 anos

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem:  4
  • Energia:  2
  • Inteligência:  2
  • Facilidade de adestramento:  3
  • Como cão de guarda:  2
  • Adapta-se ao calor:  1
  • Adapta-se ao frio:  1
  • Adapta-se bem à vida em apartamento:  5
  • Necessidade de atividades físicas:  3
  • Fica bem sozinho:  3
  • Relacionamento com a família:  5
  • Relacionamento com crianças:  4
  • Relacionamento com estranhos:  5
  • Tendência a latir:  4
  • Tendência à obesidade:  5

Hoje o Buldogue Inglês se destaca por ser um cão calmo, tranquilo e excelente companheiro. Entretanto, ele já foi o completo oposto disso, quando era usado em um terrível “jogo” chamado Bullbaiting (luta com touro). O esporte se originou na Inglaterra, assim como ele, e o cão deveria atacar e enfurecer o touro para “amaciar” sua carne para o abate e entreter o público. Isso se dava, geralmente, agarrando seu focinho.

O Buldogue Inglês descende dos cães Mastiff de combate, trazidos às Ilhas Britânicas pelos romanos. Foi totalmente desenvolvido e criado para o esporte: o nariz curto permitia que ele respirasse enquanto segurava o focinho, a alta tolerância à dor servia para resistir às tentativas do touro em machucá-lo e as mandíbulas poderosas faziam uma forte pressão. Até mesmo as rugas na testa tinham função: impedir que o sangue escorresse nos olhos. Na época, eles eram maiores e mais pesados que os cães que conhecemos hoje.

A luta com touros, felizmente, foi considerada ilegal em 1835, colocando em risco a existência do Buldogue Inglês. A ferocidade excessiva não os tornava aptos a servirem como cães de companhia e eles quase foram extintos.

Alguns criadores, entretanto, eram fãs da raça e decidiram criá-los de modo que se tornassem gentis e afetuosos. Apenas os cães com temperamento dócil eram autorizados a reproduzir, e assim surgiu o Buldogue Inglês com a personalidade que conhecemos hoje – embora a aparência de bravo continue a mesma.

Os primeiros cães da raça começaram a chegar aos EUA por volta de 1880, quando um Buldogue Inglês chamado Donald foi mostrado em Nova York. A AKC reconheceu a raça em 1886.

Características

  • Corpo atarracado, largo, musculoso e compacto
  • Cabeça maciça e quadrada, com a face curta e a testa plana e enrugada
  • Focinho curto e largo, curvando-se para cima, com trufa e narinas amplas, abertas e pretas
  • Mandíbulas fortes e maciças, com maxilares largos e quadrados
  • Bochechas arredondadas e que se estendem para os lados dos seus olhos
  • Olhos redondos e escuros
  • Orelhas pequenas e finas, dobradas para trás
  • Pescoço grosso, profundo e forte, com alguma pele solta e enrugada na garganta
  • Membros grossos, robustos e musculosos
  • Ombros e peito largos
  • Patas retas, de tamanho médio, redondas, com dedos compactos e grossos
  • Cauda curta, baixa, redonda e lisa
  • Cores tigrado, vermelho, fulvo, marrom claro, branco e malhado
  • Pelagem de uma cor só ou com máscara

Cuidados básicos

Regra número 1 para os cães com dobras e rugas: elas precisam ser limpas e secas adequadamente todos os dias para evitar infecções. Use gaze embebida com soro fisiológico e certifique-se que não ficaram úmidas após o processo. Para o Buldogue Inglês, o mesmo processo vale para a área ao redor da cauda.

Não é porque essa raça é preguiçosa que ela não precisa de exercícios. Pelo contrário, afinal, as chances de ganhar peso são imensas. Como ele não se anima muito com atividades físicas, caminhadas diárias e brincadeiras dentro de casa são suficientes.

Ao ar livre, preste atenção no clima. O Buldogue Inglês não tolera bem calor e umidade e pode superaquecer facilmente. São sensíveis ao frio, então evite sair nos dias gelados. Essa raça deve viver dentro de casa e não ficar do lado de fora o tempo todo.

Preste atenção à alimentação do Buldogue Inglês. Se você deixar, ele vai comer mais do que deve e engordar. Monitore sua ingestão de alimentos e, de preferência, ofereça uma dieta específica para a raça. 

Alimentação

​A té 2 xícaras de alimento seco de alta qualidade por dia, divididas em duas porções diárias 

Saúde

O Buldogue é um cão único e divertidíssimo, mas infelizmente sua estrutura corporal e o focinho curto o tornam propenso a diversos problemas de saúde. Além dos problemas respiratórios comuns aos cães desse tipo, ele tem facilidade para ganhar peso e tornar-se obeso, o que pode agravar problemas de saúde já existentes e também prejudicar sua coluna.

Problemas comuns a outras raças, como olho de cereja, olho seco, entropio, ectrópio, luxação de patelas e displasia de quadril ou do ombro podem atingir os Buldogues Ingleses. As maiores preocupações, entretanto, referem-se à pele e focinho curto:

  • Espirros invertidos : não é grave, mas pode deixar o cão assustado. Quando fluidos nasais escorrem no palato mole e forçam-no a fechar, fazendo com que “espirre” de forma estranha. Se isso ocorrer com seu pet massageie sua garganta para que ele se acalme;
  • Síndrome Braquicefálica : comum em cães com cabeça curta, narinas estreitas e paladar macio alongado, nos quais as vias aéreas são obstruídas e podem causar desde respiração ruidosa até colapso total da via aérea. Os sintomas são percebidos quando o cão começa a roncar ou fungar em excesso;
  • Cauda internalizada : também chamada de cauda invertida, acontece quando a cauda tem o formato de um S invertido, provocando infecções frequentes da parte que fica para dentro, além de problemas de pele. O tratamento inclui desde limpeza frequente para evitar infecção até retirada cirúrgica da cauda;
  • Tremores de cabeça :  caracterizado pelo tremor involuntário da cabeça, que pode ser violento e prejudicar o animal. Pode estar ligado ao baixo nível de açúcar no sangue ou estresse, mas se ocorre com frequência vale levar o animal ao veterinário;
  • Sarna demodécica : o ácaro Demodex é passado da mãe para o filhote em seus primeiros dias de vida e vive em folículos na pele do animal. Se o sistema imunológico estiver comprometido, ele pode desenvolver sarna demodécica, que aparece de duas formas: localizada, com manchas vermelhas e escamosas na cabeça, pescoço e patas dianteiras, além de perda de pelo nesses locais; e generalizada, com pele desigual, manchas calvas e infecções de pele por todo o corpo.

O formato do corpo e o tamanho da cabeça fazem com que as fêmeas de Buldogues tenham dificuldades em dar à luz naturalmente. Na maioria das vezes é necessário realizar cesariana. 

Curiosidades

Por que ter um Buldogue Inglês?

Esqueça o passado de cão de luta do Buldogue Inglês. Hoje ele é um cão afetuoso e gentil, que adora crianças e passar longas horas com sua família no sofá em um dia preguiçoso. Se dá bem com todos, inclusive outros animais, embora possa estranhar outros cães.

Ele gosta de agradar, e fará o possível para ver seus tutores felizes. Por isso, é muito cômico e divertido, além de simpático e amigável. Quando maduro, o Bulldog é um cão muito calmo, mas quando jovem é um excelente cão de guarda, que intimida não só pela aparência, mas também pela personalidade corajosa e alerta.

Quem tem um Buldogue Inglês tem também uma sombra, já que eles estão sempre acompanhando seus tutores. Se você busca companhia, essa é uma raça ideal.

Por que não ter um Buldogue Inglês?

O Buldogue Inglês exige alguns cuidados específicos, que vão desde a limpeza adequada das rugas, para evitar infecções, até procedimentos médicos e cuidados com a sua alimentação. De modo geral, esses cuidados geram gastos, o que torna a raça cara de manter.

É um cão preguiçoso e que não gosta de se exercitar, sendo difícil prender sua atenção em um jogo. Podem ser difíceis de treinar e aprender comandos, pois são conhecidos pela teimosia.

Por serem cães de focinho curto, eles roncam e tem respiração ofegante. Como agravante, podem ter apneia do sono, soltam muitos gases e babam em excesso. Apesar de serem bons com crianças, são brutos devido ao tamanho e força, e podem machucá-las sem querer.

Eles precisam exercitar a mandíbula, e provavelmente farão isso mordendo sua parede ou sofá. 

Conheça outras raças de cães