Guia de Bichos
American Staffordshire Terrier - undefined

American Staffordshire Terrier

  • Nome no Brasil: American Staffordshire Terrier ou Amstaff
  • Nome original: American Staffordshire Terrier
  • País de origem: Estados Unidos
  • Preço médio: entre R$ 2 mil e R$ 5 mil
  • Tipo de pelo: Curto

Tudo sobre American Staffordshire Terrier

Porte: médio
Área de criação: média
Energia: alta
Temperamento: amigável

Descrição

  • Grupo: 3 – Terriers 
  • Porte: 3 – Bull Type Terriers
  • Machos: entre 46 e 48 centímetros/entre 25 e 35 quilos
  • Fêmeas: entre 43 e 46 centímetros/entre 25 e 35 quilos
  • Tipo de pelo: curto, fechado, duro e brilhante
  • Temperamento: brincalhão, dócil, corajoso, obstinado e extrovertido 
  • Expectativa de vida: 12 a 14 anos

Escala de 1 a 5
  • Para tutores de primeira viagem: 3
  • Energia: 4
  • Inteligência: 4
  • Facilidade de adestramento: 2
  • Como cão de guarda: 5
  • Adapta-se ao calor: 4
  • Adapta-se ao frio: 4
  • Adapta-se bem à vida em apartamento: 2
  • Necessidade de atividades físicas: 4
  • Fica bem sozinho: 3
  • Relacionamento com a família: 4
  • Relacionamento com crianças: 4
  • Relacionamento com estranhos: 4
  • Tendência a latir: 3
  • Tendência à obesidade: 3

Cão de médio a grande porte. Possui pelo curto, duro e espesso. Pode ser encontrado em diversas variações de cores, como preto, branco, marrom e também com manchas em branco. É bastante musculoso. As orelhas, quando não cortadas, são eretas. A cauda é curta e levemente mais fina na ponta. Assemelha-se ao Pit Bull.

A história do American Staffordshire Terrier se cruza com a do Staffordshire Bull Terrier, seu irmão próximo. Ambos surgiram em Staffordshire, provavelmente do cruzamento do Bulldog Inglês com o Terrier preto, Fox Terrier ou Terrier Branco Inglês.
O Amstaff foi desenvolvido no início de 1800 para as lutas de cães, esporte popular entre a população. Ele tinha a mandíbula forte para atacar e segurar outros animais, mas também era amigável a ponto de ser fácil de lidar. 

No fim dos anos 1800 eles chegaram à América e se tornaram conhecidos como Pit Bull Terrier ou American Bull Terrier. Como os americanos preferiam cães maiores, foi incentivada a cruza de uma variedade mais pesada e musculosa, o que fez com que as linhagens se separassem. 

Em 1936 o Staffordshire Terrier foi reconhecido pela AKC, sendo que o nome foi mudado em 1972 para American Staffordshire Terrier. 

Características

Ágil, corajoso e de temperamento confiável. Se treinado, é extremamente obediente aos comandos do dono. É bem estável e por isso pode conviver com a família e outros animais tranquilamente. Protege seu espaço e os donos, portanto pode ser utilizado como cão de guarda. Fiel, inteligente e amável. Vale frisar que ele é um cão dócil, alegre e afetuoso com as pessoas, mas devido ao seu porte, força e passado como cão de luta, é considerado perigoso e o uso da focinheira é obrigatório em espaços públicos. Ele já foi alvo de leis específicas para a raça, destinadas a proibir ou controlar certos tipos de cães.

  • Corpo forte e musculoso;
  • Cabeça de comprimento médio com crânio largo;
  • Focinho médio, arredondado na parte superior e com nariz preto;
  • Mandíbulas bem definidas e fortes;
  • Bochechas musculosas e bem pronunciadas;
  • Olhos escuros, redondos e afastados;
  • Orelhas altas, pontiagudas e levemente dobradas para frente;
  • Pescoço médio, pesado e levemente arqueado;
  • Peito profundo e largo;
  • Cauda curta e não enrolada;
  • Patas de tamanho moderado, bem arqueadas e compactas;
  • Qualquer cor é permitida.

Cuidados básicos

Deve ser acostumado desde filhote com a voz de comando do dono.

A raça frequentemente apresenta alergias na pele.

Precisa de longas caminhadas, brincadeiras ou exercícios diários para gastar energia e não se tornar destruidor.

Quem deseja comprar um cão dessa raça deve se preparar e pesquisar sobre as melhores formas de educá-lo. Não é uma raça para principiantes, pois tem personalidade difícil e desafiadora, além do caráter dominante e teimoso. Apesar disso, é inteligente e aprende rápido novas regras e truques, sendo necessário impor limites e fazê-lo entender claramente. 

Ele precisa de muito exercício físico e mental, pois é um cão cheio de energia. 

Exercício regular e muito ativo, combinado com jogos e estimulações, fazem bem para essa raça, que de preferência deve ter um espaço amplo para se movimentar. 

O Amstaff gosta de conviver com a família, e por isso é um cão para ficar dentro de casa. Precisa de atenção, e caso se entedie pode se tornar destrutivo, por isso deixe à sua disposição brinquedos resistentes. 

O pelo precisa de escovação duas vezes na semana com escova de pontas macias, além de banhos a cada dois meses. 

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal, e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão três vezes por dia e manter água à vontade, sempre fresca, na vasilha.
Cães de grande porte consomem rações large breed.
Até os 12 meses, o American Staffordshire Terrier é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 90 a 290 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 235 a 270 gramas/dia.
A qualidade da ração e fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.

Espaço para criação

A raça se adapta melhor a climas quentes. Bastante ativo, precisa se exercitar diariamente. Não há necessidade de jardim ou grande quintal, uma vez que se comporta bem em áreas fechadas. Em caso de área externa, é necessário um muro de pelo menos 2,5 metros de altura.

Saúde

O American, bem como a maioria dos Terriers, é uma raça muito resistente e que dificilmente fica doente. Problemas no coração, alergias e cataratas são vistos ocasionalmente nos cães, mas são também comuns a outras raças. 

Um problema comum a raças desse porte é a displasia de quadril ou coxofemoral, que podem até deixar o cão paraplégico. Em alguns casos o animal apresenta apenas claudicação dolorosa, que pode se tornar artrite com a idade, mas se perceber que o pet tem dificuldade para caminhar, leve-o ao veterinário para evitar maiores transtornos.

Curiosidades

Por que ter um American Staffordshire Terrier?

O American é o típico cão grande e robusto que intimida pelo porte – e talvez por isso sirva de cão de guarda, num primeiro momento, para espantar estranhos -, mas que faz de tudo para agradar sua família. É fácil deixá-lo feliz: basta incluí-lo nas atividades familiares e passar boa parte do tempo em casa brincando e se divertindo com ele. 

É um cão alegre, extrovertido e sociável, que se dá bem com outras pessoas e animais, desde que seus tutores estejam por perto. Adora crianças e se dá muito bem com elas, mesmo as pequenas, pois é carinhoso, calmo e paciente. 

Mas essa calma vai embora caso ele sinta uma ameaça real chegando. Nesse caso, vai ladrar e entrar numa briga para ganhar, tudo para proteger os seus. 

Por que não ter um American Staffordshire Terrier?

Como todo Terrier, o American mantém algumas características bastante irritantes, tais como a teimosia e alto grau de energia. Não é o tipo de cão ideal para tutores de primeira viagem ou tímidos, pois exige pulso firme e limites, além de prática de exercícios físicos e mentais diários. 

Muitas pessoas, infelizmente, se apegam às características físicas do cão e o tornam um animal violento para caçar, defender a propriedade ou até brigar, embora seja ilegal. Suas características físicas poderosas o tornam perigoso caso não seja bem treinado e educado. 

Para que cresça um animal carinhoso e dócil, o Amstaff precisa de atenção afetiva da família, portanto é preciso dedicação e paciência para ter um. 

Conheça outras raças de cães