5 cuidados que não podem faltar com o hamster de estimação

Limpeza da gaiola, banhos periódicos e alimentação adequada estão entre os principais cuidados para a manutenção da saúde do roedor

A escolha por ter uma hamster como animal de estimação é muitas vezes feita pela crença de que o roedor não necessita de tantos cuidados como um cachorro ou um gato, por exemplo. Isso pode até ser verdade, mas não significa que o animal não precisa de uma atenção especial do dono. 

O hamster também precisa de cuidados especiais
Foto: Shuttersock
O hamster também precisa de cuidados especiais

Leia também: Hamsters não podem viver juntos na mesma gaiola; entenda 

A veterinária Jakeline Mastria, especialista em animais silvestres do Grupo Vet Popular, fala sobre os principais pontos que os donos devem ter atenção para manter a saúde do hamster e garantir que ele tenha uma boa vida.

Cuidados com a gaiola

O primeiro deles está relacionado com a gaiola. O tamanho deve ser suficiente para que o hamster possa ter uma área de esconderijo e uma de lazer. Já a limpeza precisa ser feita constantemente para evitar proliferação de fungos, bactérias e até que o pet fique doente.

"A água e alimentação devem ser trocadas diariamente, a troca completa do substrato deve ser feita semanalmente ou quando apresentar necessidade, que possa ser devido ao espaço, ou ao número de animais que habitam ali", indica Jakeline. 

Foto: Shuttersock
Além de estar limpa, a gaiola deve oferecer espaço para o hamster se esconder e se exercitar


Higiene do animal

Apesar de serem conhecidos como animais bastante higiênicos que gostam de se limpar, os hamster precisam tomar banho. Mas a veterinária alerta que esse banho deve ser a seco e não com água e sabão. 

Você viu?

"Os banhos não devem ser frequentes, apenas a cada 2 ou 3 meses. Essa higienização é feita através de lenços umedecidos ou até mesmo como um shampoo em pó especial para roedores, que é uma opção excelente para dar banho no hamster", explica a especialista em roedores. 

Alimentação

A alimentação é outro ponto muito importante, já que se administrada de forma inadequada pode causar problemas com desenvolvimento e acarretar alterações endócrinas, metabólicas, ósseas é até tumorais. 

Leia também: Alimentos proibidos para hamsters: alguns podem causar até câncer

"A quantidade e o que deve ser oferecido varia bastante de acordo com o estágio de vida, a espécie e o comportamento do hamster. O veterinário do animal é a melhor pessoa para instruir o tutor de como montar o cardápio e seguir com a dieta."

Interação

Foto: Shuttersock
Deve existir uma interação entre o hamster e sua família

O hamster é um animal com hábitos noturnos e que passa a maior parte do tempo dentro da gaiola, mesmo assim o dono deve interagir e criar vínculos com ele. Para iniciar o contato é preciso tomar cuidado ao pegar o pet: "evite cheiros fortes e, na primeira vez, utilize luvas de lã para que o animal possa sentir o próprio cheiro, favorecendo a aproximação".

Outras dicas da veterinária para que haja uma boa relação entre o hamster e o dono são: evitar barulhos altos e movimentos bruscos perto do pet; além de tomar cuidado com quedas, já que esse animal é muito delicado. 

Idas ao veterinário

É indicado levar o hamster ao veterinário pelo menos duas vezes ao ano. O profissional irá fazer um check-up da saúde do pet - uma forma de prevenção de doenças. 

Por exemplo, é nessas consultas periódicas que podem ser detectadas faltas de algumas vitaminas no organismo do hamster, algo muito comum em roedores. Caso isso aconteça, uma suplementação será receitada e poderá evitar o desenvolvimento de muitas doenças.