Guia de Bichos
Lhasa Apso - undefined

Lhasa Apso

  • Nome no Brasil: Lhasa Apso
  • Nome original: Lhasa Apso
  • País de origem: Tibete
  • Preço médio: R$ 1.500, 00 a 5.000,00
  • Tipo de pelo: Alto

Tudo sobre Lhasa Apso

Porte: pequeno
Área de criação: pequena
Energia: alta
Temperamento: dócil

Descrição

É um cachorro de pequeno a médio porte. É bem peludo e pode ter a pelagem longa ou mais curta, variando bastante. O pelo é liso, delicado, porém denso. As cores são muito variadas, pode ser dourado, castanho, preto, branco, mel, areia, malhado, mesclado escuro, parte colorido-parte branco. 

A cabeça é proporcional ao corpo, com olhos médios, geralmente escuros, redondos e expressivos. O focinho é pequeno, mais arredondado, mais achatado, com narinas próximas. As orelhas são médias, compridas e com formato mais arredondado, caídas ao lado da cabeça. A língua é pequena e curta e os dentes são prognatas, ou seja, tem os dentes inferiores para frente. O porte pequeno apresenta pernas curtinhas, grossas e o corpo é mais rebaixado e troncudo. A estrutura é forte, embora seja um cão pequenino. A cauda é bem peluda e grossa e lembra um espanador. 

  • Grupo: 9 – Cães de companhia
  • Porte: 5 – Raças tibetanas
  • Machos: altura entre 25 e 29 centímetros/ peso entre 6 e 9 quilos
  • Fêmeas: altura entre 25 e 27 centímetros/ peso entre 5 e 7 quilos
  • Tipo de pelo: liso, denso, longo e delicado
  • Função original: cão de companhia e cão de guarda
  • Temperamento: amigável, companheiro, teimoso e dominante
  • Alimentação: 1/2 a 3/4 xícara de ração de alta qualidade, dividida em duas refeições diárias
  • Preço médio: R$ 1.500, 00 a 5.000,00
  • Expectativa de vida: 12 a 14 anos
Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem: 5
  • Energia:  4
  • Inteligência:  4
  • Facilidade de adestramento: 3
  • Como cão de guarda: 4
  • Adapta-se ao calor:  2
  • Adapta-se ao frio: 3
  • Adapta-se bem à vida em apartamento:  5
  • Necessidade de atividades físicas:  4
  • Fica bem sozinho:  4
  • Relacionamento com a família:  4
  • Relacionamento com crianças:  4
  • Relacionamento com estranhos:  2
  • Tendência a latir: 4
  • Tendência à obesidade:  3

Cão de pequeno porte, estrutura compacta e proporcional. Possui uma pelagem lisa e abundante que cobre os olhos e forma uma cauda bem franjada. As cores aceitas para essa raça são a areia, mel, dourado, diversas tonalidades de cinza e marrom.

O Lhasa Apso tem origens nas aldeias e mosteiros do Tibet, onde foi criado exclusivamente por monges e pela nobreza para agir como protetor. As crenças budistas afirmavam que as almas dos lamas entravam nos corpos sagrados dos cães após a morte, o que aumenta a reverência por esses animais.

A história remonta a 800 a.C.. Esses cães só eram autorizados a deixar o país quando dados como presentes pelo Dalai Lama, que enviava sempre pares para levar boa sorte e prosperidade.

Por viverem em picos altos, precisaram se adaptar para resistir às condições climáticas. O pelo longo e áspero agia como isolante, e a queda do pelo sobre os olhos os protegia do vento e poeira.

Nos Estados Unidos, os primeiros cães da raça chegaram em 1930, como presente do 13º Dalai Lama. Não demorou muito para a AKC reconhecer a raça, em 1935. 

Características

O Lhasa Apso é conhecido pela sua vivacidade e disciplina. São cães inteligentes, amigáveis e ótimos companheiros da família. Tem a tendência a desenvolver comportamentos agressivos com estranhos, crianças e outros cães, além de latir descontroladamente, se não for submetido a limites e a liderança do dono desde filhote. Costumeiramente essas raças pequenas, dada a sua aparência frágil, são tratadas como pessoas e tomam a liderança do bando tornando a convivência muito tensa. Com disciplina o Lhasa Apso será um amigo muito inteligente, amoroso e apegado a todos da família.

É intermediário entre o cão de companhia e o de guarda. Seu tamanho pequeno não impede que tenha personalidade e dominância suficiente para defender seu território. É muito leal à família, mas menos carinhosa do que outras raças desse porte. Gosta de receber mimos e atenção, mas não é fã de colo e pode se estressar facilmente se for muito apertado e abraçado, principalmente por crianças. Prefere estar por perto e ter a companhia do dono sem necessidade de muito contato físico. Quando vive em uma casa com vários membros, tende a escolher um líder em específico, embora adore todos. 

Normalmente quando quer uma comida do tutor ou algum tipo de presentinho faz uma cara de "pidão" e usa essa tática para convencer as pessoas. Porém, é importante saber que essa armadilha é só uma isca para o tutor cair; muitas vezes o cão não está com fome, nem com nenhuma outra necessidade.

Deve ser adestrado devidamente para conviver bem com estranhos e principalmente com crianças pequenas. Coexiste pacificamente com outros animais, como gatos. Exige um tutor firme, consistente e com liderança suficiente para dar conta desse cão nos momentos em que estiver impaciente, irritado ou agressivo. Durante os passeios na rua pode querer atacar outros cães e mostrar-se dominante, portanto, o treinamento é fundamental para evitar esse tipo de comportamento. A inteligência e perspicácia é uma das qualidades da raça, mas ao mesmo tempo a teimosia e a personalidade forte dificultam seu treinamento. Tende a resistir quando não quer seguir ordens. 

Caminhadas longas ou alguns passeios semanais podem resolver para esse cão. É ativo e brincalhão, mas pode se acostumar a viver em espaços pequenos. O ideal é nunca ser sedentário e pequenas brincadeiras dentro de casa já ajudam. Pode ficar estressado, ansioso e depressivo se não receber atenção e não tiver como se divertir. Ao ficar muito tempo sozinho fica muito triste, apático e também pode tornar-se destrutivo e bagunceiro enquanto os donos não voltam para casa.
  • Pelagem abundante, com os pelos externos longos e ásperos e os subpelos moderados;
  • Aparece em diversas cores, como dourado, areia, mel, cinza escuro, preto ou branco;
  • Cabeça guarnecida por pelos, que caem sobre os olhos;
  • Focinho reto;
  • Olhos escuros e de tamanho médio;
  • Orelhas pendentes e com franjas abundantes;
  • Pescoço forte e arqueado;
  • Tronco equilibrado e compacto;
  • Cauda alta, bem franjada e frequentemente com um nó na ponta. 

Cuidados básicos

Mesmo com uma pelagem densa não há uma frequência obrigatória de banhos. Escovações devem ser feitas diariamente. Pede-se atenção com a limpeza das orelhas para evitar infecções.
                          
                            
                              É preciso educar o Lhasa Apso, que tem uma tendência natural de assumir a liderança da casa. Se você não fizer isso, ele tomará as rédeas e criará as próprias regras. 
Apesar da teimosia e amadurecimento lento, são fáceis de treinar e se adaptam rapidamente às novidades. 
                          
                            A socialização e treinamento precoces são essenciais para o sucesso da raça como integrante da familia. 
                          
                            
                              
                                
                              
                            
                          
                            
                              
                                Os principais cuidados com a raça referem-se ao seu pelo, que deve ser escovado a cada dois dias para evitar que se embaracem. Banhos frequentes são recomendados, mas lembre-se de tirar os nós antes – ficará muito mais dificil com o pelo molhado.                                   
                                
                              
                            
                              
                                
                                  Os dentes também devem ser escovados frequentemente e as gengivas devem ser avaliadas sempre que possível. Apesar da raça ter um histórico de ser resistente, deve ser criada dentro de casa, e não na rua. 
                                  
                                    
                                  
                                
                              
                            
Essa raça também costuma apresentar o prognatismo, um problema que deixa os dentes inferiores para frente. Mas existe uma cirurgia simples para resolver isso. Muitas vezes basta tirar um dos dentes para ajudar a arcada.

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade. Cães de pequeno porte consomem rações small breed.
A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Lhasa Apso é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 90 a 95 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 85 a 95 gramas/dia.

Espaço para criação

Essa raça se adapta bem em apartamento e espaços pequenos, mas passeios diários são recomendados para manter o equilíbrio mental e físico do cão. O ideal é ter espaço para correr e brincar dentro de casa, até por ser um cão de companhia.

Custo de manutenção


Saúde

Os cães dessa raça são geralmente saudáveis e apresentam pouca propensão a problemas de saúde. Em comum com outras raças, podem apresentar alergias normais (alimentares, de contato ou inalantes), luxação patelar, problema comum em cães pequenos, e atrofia progressiva da retina, doença ocular que deteriora gradualmente a retina.

Olho seco é outra doença comum, na qual a produção de lágrima é deficiente e os olhos começam a secretar um cerume amarelado. A doença conhecia como Cherry Eye (Olho de Cereja, em português livre) provoca inchaço na glândula conhecida como terceira pálpebra, semelhante a uma massa vermelha no canto interno do olho. Pode também desenvolver catarata, principalmente na fase idosa. 

Problemas mais graves incluem  Adenitis Sebaceous , condição confundida com hipotireoidismo ou alergia, na qual as glândulas sebáceas da pele inflamam por razões desconhecidas. Desconfortável para o cão, que pode ser afetado de diversas formas – desde pele seca e perda de pelo até odor desagradável e infecções de pele. 

Esse cachorro é também chamado de prognata, por ter os dentes inferiores inclinados para frente. Mas isso pode ser corrigido por uma simples cirurgia dentária, ainda quando filhote.

Artrite e artrose são inflamações nas articulações e uma é crônica, enquanto a outra é aguda e pode ocorrer repentinamente. Principalmente quando tem sobrepeso, o cão pode ter dificuldades de sustentar os ossos e as próprias pernas.

Curiosidades

  • Muitas celebridades têm ou já tiveram o Lhasa Apso. Dentre elas estão a cantora Gwen Stefani e Elizabeth Taylor. A raça se popularizou durante o século XX e atualmente no XXI. 
  • Embora a expectativa de vida da raça seja de 12 a 14 anos, vários vivem mais que isso e podem ir até além de 20 anos. O Lhasa Apso mais velho do mundo viveu 29 anos!
  • Antigamente, esses cães eram oferecidos como presentes às pessoas e eram considerados sinal de boa sorte. O líder espiritual do Tibet, Dalai Lama, deu exemplares dessa raça ao imperador da China muitos séculos atrás. 

Por que ter um Lhasa Apso?

Tamanho não é documento quando se fala no Lhasa Apso. Essa raça pode ser pequena, mas sua autoconfiança, senso de independência e temperamento forte o fazem um cão semelhante aos de grande porte.

Não é a toa que ele se acha maior do que é e trabalha bem como cão de guarda – afinal, além de estranhar pessoas diferentes, ele também é um protetor leal. Apesar de não ser agressivo, o Lhasa pode surpreender quem ousa duvidar do seu potencial como guardião.

O Lhasa Apso também é um excelente companheiro, do tipo leal à família. Travesso e brincalhão, adora participar de jogos e entreter os tutores tanto quanto gosta de tirar uma soneca e passar horas no sofá com a família. 

Sua aparência fofa e peluda atrai muitos olhares. É considerado um cão esbelto e bonito, principalmente quando tem a pelagem bem tratada.  É ótimo para quem vive em apartamento e pode se adaptar a diversos ambientes. Convive bem com gatos e outros animais que não cães. Se a casa tiver crianças o ideal é que sejam já crescidas, pois o Lhasa Apso é um pouco intolerante com crianças barulhentas ou que gostem de apertá-lo e abraça-lo a todo momento.

É inteligente e sua audição excelente o auxilia a ser um cão sempre alerta e preocupado com seu dono. É ativo, mas não precisa de exercícios em excesso e caminhadas diárias ou brincadeiras envolvendo bolinhas e corridas já ajudam a raça a ficar saudável. 

Por que não ter um Lhasa Apso?

O Lhasa Apso é muito independente e está preocupado em fazer as coisas que lhe agradam. Não espere um cão cujo principal objetivo é entreter seus tutores ou fazer aquilo que eles mandam: é teimoso e corajoso, e pode ser cansativo tentar lhe dar ordens. É uma raça considerada difícil de treinar e não é muito indicada a tutores de primeira viagem. Pode ser desafiador educá-lo e exige bastante paciência. 

Essa é uma raça que amadurece lentamente, sendo considerada filhote até os três anos de idade. Isso pode ser frustrante durante os treinamentos, já que eles dificilmente vão levar as aulas a sério. Ele pode tender à manipulação, pois é inteligente e possui capacidade única de raciocinar, sendo preciso pulso firme para ensina-lo a obedecer.

Se tiver crianças em casa, repense a decisão de adotar um Lhasa, que pode ser impaciente com o estilo dos pequenos. Lares com crianças mais velhas ou somente adultos são ideais para a raça. 

Não é o tipo de cão que gosta de abraços e apertos o tempo todo. Prefere só estar do lado do dono e sentir sua companhia. Mas ao mesmo tempo é perspicaz e gosta de ser mimado. Normalmente quando quer uma comida do tutor ou algum tipo de presentinho faz uma cara de "pidão" e usa essa tática para convencer as pessoas. Porém, é importante saber que essa armadilha é só uma isca para o tutor cair; muitas vezes o cão não está com fome, nem com nenhuma outra necessidade.

Ficar muito tempo sozinho em casa pode ser deprimente e irritante para essa raça. O ideal é sempre ter um membro da família por perto. Pode se sentir muito solitário e tornar-se destrutivo. Se é um tutor que não tem muito tempo para dar atenção é melhor não adotar o Lhasa.

Durante os passeios na rua tende a atacar outros cães e deve ser mantido na coleira. É preciso educá-lo para caminhar de forma calma e equilibrada, sem assustar outros animais. 

Com estranhos costuma ser desconfiado e está sempre alerta. É reservado e pouco receptivo com pessoas que não conhece. Vai considerá-los uma ameaça ao seu território, até seu tutor mostrar confiança na pessoa. Nesse sentido, também pode ser barulhento e seu latido é constante quando algo o incomoda ou sente-se em perigo.
Conheça outras raças de cães