Guia de Bichos
Dálmata - undefined

Dálmata

  • Nome no Brasil: Dálmata
  • Nome original: Dalmatinac
  • País de origem: Croácia
  • Tipo de pelo: Curto

Tudo sobre Dálmata

Porte: médio
Área de criação: média
Energia: alta
Temperamento: dócil

Descrição

  • Grupo: 6 – Farejadores e Raças Relacionadas
  • Porte: 3 – Raças Relacionadas sem teste de trabalho
  • Machos: entre 56 e 62 centímetros/entre 18 e 27 quilos
  • Fêmeas: entre 54 e 60 centímetros/ entre 18 e 27 quilos
  • Tipo de pelo: curto, brilhante, duro e denso
  • Temperamento: digno, inteligente, agradável, amigável e leal
  • Expectativa de vida: 13 a 16 anos

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem:  3
  • Energia:  5
  • Inteligência:  4
  • Facilidade de adestramento:  3
  • Como cão de guarda:  2
  • Adapta-se ao calor:  4
  • Adapta-se ao frio:  3
  • Adapta-se bem à vida em apartamento:  2
  • Necessidade de atividades físicas:  5
  • Fica bem sozinho:  3
  • Relacionamento com a família:  5
  • Relacionamento com crianças:  4
  • Relacionamento com estranhos: 3
  • Tendência a latir:  2
  • Tendência à obesidade:  4

Cão de médio a grande porte. Possui pelo curto, denso, liso, duro e brilhante. A cor padrão é o branco e as manchas tradicionais podem ser pretas ou marrons. Estas manchas são bem definidas e distribuídas por todo o corpo do animal. Os olhos são marrons, variando do tom mais escuro ao âmbar. A cauda é longa e geralmente também manchada. É forte e musculoso. 

Uma das raças mais bonitas do mundo, popular por sua aparição no clássico “101 Dálmatas”, o Dálmata tem origem desconhecida e foi reconhecido pela AKC em 1888.

O nome vem de Dalmatia, uma província na costa oriental do Mar Adriático, onde hoje está localizada a Croácia.  Viajaram com ciganos e bandos de nômades e entre seus ancestrais é provável que estejam o Dogue Alemão manchado e o Pointer.

O Dálmata teve diversos empregos durante sua vida, sendo usado como cão de briga, pastor, tração e até de circo. Se destacou em dois: cão de carruagem na Inglaterra Vitoriana, que limpava o caminho antes dos cavalos e andava ao lado da carruagem para evitar ataques de outros cães; e cão bombeiro, guardando o equipamento e até socorrendo pessoas de incêndios.

Hoje, o Dálmata é uma das raças mais conhecidas e queridas do mundo, cuja função principal tem sido a de cão de companhia ou de exposição. 

Características

Sociável, amoroso, amigável e brincalhão, é um ótimo cão de companhia para a família. Adora crianças e estar próximo ao dono. E ativo, veloz, alerta e resistente. Inteligente e autoconfiante, pode se sentir o dono da casa, se o dono não tiver voz ativa e comando. Convive bem com outros animais. Esta raça demanda muita atenção, então é recomendada para quem tem tempo e gosta de se exercitar com o cão. Quando filhote, precisa de doses ainda maiores de atividade para gastar energia.

  • Cabeça em forma de prisma e sem rugas, sendo o crânio mais amplo entre as orelhas;
  • Focinho reto, com nariz grande e da cor das manchas e mandíbula bem desenvolvida e forte;
  • Olhos ovais e de acordo com a cor das manchas;
  • Orelhas grandes, penduradas e posicionadas bastante alto; elas devem ser manchadas, e não de uma cor só;
  • Pescoço forte e longo, afilando-se para a cabeça;
  • Corpo retangular, forte, musculoso e manchado;
  • Cor branca com manchas pretas ou marrom;
  • Cauda em forma de sabre e igualmente manchada;
  • Movimento elegante. 

Cuidados básicos

A raça possui muita energia e precisa de exercícios diários, seja um passeio ou correr e brincar num quintal. Solta bastante pelo durante todo o ano, mas a escovação semanal ajuda a retirar os pelos mortos e diminui a queda. Este cão tem tendência a ter pedra no rim e alergias a fibras sintéticas. O índice de surdez na raça é em torno de 10%, portanto é importante realizar testes auditivos antes de adquirir um filhote.

O Dálmata precisa de treinamento ainda filhote para que as regras sejam estabelecidas. É altamente inteligente e aprende rápido, mas precisa de uma mão firme e consistente para que não tome as rédeas da casa. A abordagem deve ser positiva e com recompensas para o bom comportamento.

Essa raça é altamente enérgica e ativa e precisa de muito mais do que um passeio diário na coleira. Corridas, jogos, mergulhos e demais atividades que mantenham o cão ativo serão positivas. Uma casa com quintal grande e espaçoso, onde ele possa praticar exercícios e se divertir durante o dia, é o ideal para a raça. Ausência de exercícios pode tornar seu cão destrutivo.

Apesar de precisar de espaço, o Dálmata precisa de carinho e atenção e se dá melhor vivendo dentro de casa. Gosta de estar junto da família e participar das atividades da casa, sendo muito companheiro de seus tutores.

Crianças menos de 6 anos podem se machucar ao brincar com esse cão – não porque ele seja agressivo, e sim porque é muito forte. Quanto ao pelo, escovação frequente ajuda a remover os pelos mortos. 

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade. Cães de grande porte consomem rações large breed.
A qualidade da ração é fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.
Até os doze meses, o Dalmata é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 90 a 340 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano o cão é considerado adulto. Deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 235 a 270 gramas/dia.

Espaço para criação

Não é indicado para apartamentos ou locais fechados, exceto se for levado para passear duas ou três vezes por dia. Precisa de um espaço para se exercitar e correr. Não é recomendado deixar este cão ao ar livre em temperaturas baixas.

Custo de manutenção

O Dálmata sofre de dois problemas de saúde principais: a surdez e incapacidade de metabolizar ácido úrico. Entenda melhor:

  • Surdez : essa é uma condição hereditária e todas as linhagens de Dálmatas podem sofrer desse problema. Cerca de 8% dos cães nascem completamente surdos e entre 22% e 24% ouvem apenas com uma orelha. Os filhotes nascem com os ouvidos fechados, que devem abrir entre 12 e 16 dias; caso isso não ocorra, o cão sofrerá de surdez. No geral, os cães surdos se adaptam muito bem e vivem bem por muitos anos;
  • Urolitíase: o sistema de trato urinário do Dálmata tem um defeito que torna o animal incapaz de metabolizar ácido úrico, tornando-o suscetível à formação de pedras e cálculos urinários. As pedras pequenas podem ser eliminadas com a urina, mas as grandes se alojam na uretra, e se o trato urinário fica bloqueado o problema pode ser fatal. Essa raça deve beber muita água e seguir uma dieta com baixas doses de proteína. 

Saúde

Os dálmatas costumam ser cachorros bastante saudáveis. Mesmo assim os donos precisam ficar atentos a qualquer mudança que for demonstrada pelo animal, eles costumam sofre com problemas como alergias e alguns mais comuns em portes maiores como a displasia do quadril. 

Cuidados de prevenção da surdez também são necessários pela grande quantidade de exemplares idosos que apresentaram o problema. 

Curiosidades

Por que ter um Dálmata?

Se à primeira vista o que chama a atenção no Dálmata são as manchas pelo corpo esguio e elegante, num segundo momento a agilidade dessa raça impressiona. São os companheiros ideais para quem pratica esportes, pois foram criados para serem corredores. Gostam de água, de corrida, de jogos de arremesso e qualquer esporte onde possam gastar sua energia infinita.

Mas ele também é um companheiro incrível para crianças, que podem se tornar suas parceiras de jogos. Com supervisão adequada, ele se diverte com os pequenos e não deixa ninguém parado, além de também se dar bem com outros animais de estimação – em especial os cavalos, a quem ele adora!

O Dálmata vai fazer de tudo para te agradar e gosta de atenção, sendo uma raça fácil de treinar. Tem um senso de humor único e é muito divertido, mas também está alerta e atento para tudo que acontece a sua volta, sendo um ótimo cão de guarda.

Por que não ter um Dálmata?                                                   

A energia do Dálmata não acaba nunca e exige um tutor que acompanhe seu ritmo. Adora correr, não importa onde – na rua, no parque, no quintal ou dentro de casa, destruindo tudo o que vê pela frente.

A falta de exercícios pode deixá-lo impaciente, o que consequentemente se transforma em destruição da casa. Isso porque ele vai precisar encontrar uma alternativa para descarregar sua energia. Ele também pode ser teimoso, característica que, aliada à sua agilidade e inteligência, fará com que ele se sinta o dono da casa. 

Conheça outras raças de cães