Guia de Bichos
Border Collie - undefined

Border Collie

  • Nome no Brasil: Border Collie
  • Nome original: Border Collie
  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Tipo de pelo: Médio

Tudo sobre Border Collie

Porte: médio
Área de criação: média
Energia: alta
Temperamento: dócil

Descrição

Cão de médio porte. Possui pelo médio a longo, liso e denso. O subpelo é mais macio que o externo e também denso. Pode ser encontrado nas cores preto, cinza, azul, avermelhado e dourado, sempre acompanhado de branco. 

A cabeça desse cão tem formato afunilado e estreito. Os olhos são redondos, médios, podendo ser escuros ou não. O focinho tem narinas largas, é afunilado também e seu desenho é quadrado. As orelhas são altas, eretas, médias e curtas; podem estar dobradas ou não, com um formato mais triangular. É elegante e forte, com pernas longas, musculosas e com menos pelagem do que nas patas e no resto do tronco. As patas são ovais e a cauda, peluda, comprida e no formato de foice, inclinada sobre o corpo; quando em repouso fica abaixada.

  • Grupo: 1 – Cães Pastores e Boiadeiros (exceto Boiadeiros suíços)
  • Porte: Seção 1 – Cães Pastores
  • Machos: altura: 50 a 58 centímetros, peso: 13 a 20 Kg
  • Fêmeas: altura: 45 a 53 centímetros, peso: 13 a 20 Kg
  • Função original: cão de pastoreio
  • Temperamento: alegre, brincalhão, alerta e inteligente
  • Tipo de pelo: médio a longo, liso e denso; subpelo mais macio que o interno e denso
  • Expectativa de vida: 12 a 15 anos 

Escala de 1 a 5

  • Para tutores de primeira viagem: 4
  • Energia: 5
  • Inteligência: 5
  • Facilidade de adestramento: 5 
  • Como cão de guarda: 1
  • Adapta-se ao calor: 4
  • Adapta-se ao frio: 4
  • Adapta-se bem à vida em apartamento: 1
  • Necessidade de atividades físicas: 5
  • Fica bem sozinho: 1
  • Relacionamento com a família: 5
  • Relacionamento com crianças: 4
  • Relacionamento com estranhos: 3
  • Tendência a latir: 2
  • Tendência à obesidade: 3


O Border Collie foi criado com a função de pastor de ovelhas e responsável por guardar o rebanho. Na Grã-Betanha do século 19, o cão de pastoreio era um dos maiores bens dos fazendeiros, mas eram poucos que sabiam executar o trabalho com destreza, pois não foram criados exatamente para esse fim.

Esses cães de pastoreio tinham diversos nomes, que refletiam suas regiões de origem, como Cães Pastores Galeses, Collies das Montanhas e Cães Pastores do Norte.

Em 1873 aconteceu o primeiro campeonato de cães pastores de ovelhas, a fim de resolver os problemas daqueles que não executavam perfeitamente a função e estabelecer alguns padrões. Hemp é considerado o cão pai dos Border Collies e impressionou por conduzir o rebanho com um olhar firme e intimidador em frente à ovelha – ao contrário dos outros, que latiam e mordiam os animais.

Em 1876, um relato no Livestock Journal detalhava o espanto dos telespectadores perante uma demonstração da perspicácia de cães pastores junto às ovelhas. A única assistência que recebiam de seus tutores era na forma de sinais de mão e assobios.

A raça foi padronizada em 1906 pelas suas habilidades de trabalho e recebeu esse nome em 1915, em referência às fronteiras inglesas e escocesas. Foi reconhecida como cão de exposição em 1995 pela AKC. 

Características

Alerta, esperto e alegre. Não apresenta traços de agressividade nem nervosismo. É brincalhão e muito inteligente. Pode ser treinado para executar as mais diversas tarefas. Convive bem com crianças e outros animais. Requer muita atenção e tempo disponível de seus donos. Não indicado para aqueles que não queriam gastar horas com seu cão. Se deixado muitas horas sozinho pode se tornar destrutivo e ansioso. 

É afetuoso, mas dependendo do cão pode ser mais reservado. Com estranhos é mais cauteloso e desconfiado. Precisa de socialização para ser mais amigável e aos poucos se acostumar com as pessoas. 

São cães inteligentes e alertas, sempre observando os acontecimentos à sua volta. Não são agressivos nem territoriais, então como cão de guarda é mais fraco e menos indicado. 

O instinto de pastor dessa raça é muito forte e a convivência com crianças com menos de 8 anos não é recomendada. Isso também por ser um cão sensível a barulhos altos e movimentos bruscos, então pode se incomodar e assustar-se com gritos e brincadeiras de crianças pequenas.

Acostumado desde sua origem a lidar com outros cães no pastoreio, essa raça pode viver tranquilamente com outros cães dentro da mesma casa e serem grandes companheiros. Com cachorros estranhos, por outro lado, tende a ser desconfiado e um pouco agressivo, principalmente dependendo da abordagem do animal com ele. Também exige socialização para ser calmo e receptivo com esses pets. Com gatos e hamsters, por exemplo, tem um comportamento mais suspeito ainda. Se conviver com felinos na mesma casa o melhor a fazer é socializá-los desde filhote.

Muito esperto e ágil, o Border Collie consegue realizar tarefas e esportes que muitas outras raças não dão conta. Obediência na hora da competição e facilidade para aprender são duas das principais qualidades desse cão. Agility e Flyball são modalidades para as quais ele com certeza está preparado. Mas para algumas pessoas é considerado difícil de treinar. Extremamente enérgico, precisa, em média, de duas a três horas de atividade física intensa por dia, ou seja, necessita correr. 
  • 1º lugar no ranking de inteligência canina;
  • Trabalhador, ágil e ativo;
  • Simpático, sociável e incansável;
  • Pelagem curta e lisa na face, orelhas, anteriores e posteriores do jarrete ao solo; no restante do corpo é moderadamente longa;
  • Pelagem em duas cores: preto e branco, sendo essa última nunca predominante;
  • Tronco atlético e musculoso, conforme seu porte;
  • Olhos azuis e com expressão meiga e penetrante;
  • Focinho afinando para a trufa.

Cuidados básicos

Sua pelagem requer escovação diária e cuidado extra nas épocas de troca de pelo para que a camada interior não embole e faça nós. As unhas devem ser aparadas regularmente.
Apenas caminhadas ou corridas não são suficientes, a raça gosta de tarefas como buscar a bolinha.

Essa é uma raça trabalhadora, mas que adora ficar com a família e ser inclusa nas atividades da casa. Oferecer a ele ocupações que envolvam os tutores, como acordar as pessoas da casa ou recolher o jornal e levar à mesa, são algumas formar de mantê-lo entretido e entrosado.

Seu pelo precisa ser escovado duas vezes na semana para manter o brilho e não dar nós. Precisa de um espaço grande para se exercitar, e de preferência bem protegido, para evitar fugas e transtornos. 

As orelhas devem estar sempre limpas e sem acúmulo de umidade para evitar infecções de ouvido.

É um cachorro extremamente ativo e demanda duas a três horas de atividade física diária. O Border Collie vai exigir do tutor brincadeiras, corridas e esportes intensos.

Deve sempre andar na coleira e se estiver livre deve ser em locais fechados, para evitar que ataque outros animais, considerando-os presas para pastorear.

Alimentação

A quantidade de ração varia de acordo com o peso e o tamanho do animal, e pode ser encontrada nas embalagens.
Deve-se alimentar o cão de duas a três vezes por dia e manter água à vontade, sempre fresca, na vasilha.
Cães de médio porte consomem rações large breed.
Até os doze meses, o Border Collie é considerado filhote. Nesta fase, a quantidade de ração varia de 95 a 145 gramas por dia. O alimento indicado são rações específicas para filhotes.
A partir de um ano deve-se mudar a ração e a quantidade varia de 125 a 195 gramas/dia.
A qualidade da ração e fundamental para a saúde do animal. As do tipo Premium e Super Premium são as nutricionalmente balanceadas.

Espaço para criação

Não recomendado para viver em apartamentos e locais pequenos, pois é muito ativo. Precisa de espaço para se exercitar e atividades diárias. Não gosta de ficar sozinho, precisa do convívio com a família.

Custo de manutenção


Saúde

Border Collies são saudáveis e apresentam poucos problemas de saúde, mas vale ficar atento ao fato de que eles têm alta tolerância a dor; logo, qualquer sinal de problema, desconforto ou aborrecimento pode indicar que eles não estão bem e é necessário correr ao veterinário.

No mais, as principais doenças que podem acometer a raça são:

  • Displasia de quadril , quando o fêmur não encaixa corretamente no osso do quadril e pode gerar dor e desconforto ao animal – principalmente após a idade avançada se ele estiver com artrite;
  • Atrofia progressiva da retina , quando ocorre a deterioração gradual da retina, geralmente tendo início com a cegueira noturna. A doença pode levar à perda parcial ou total da vista;
  • Collie-Eye Anomaly (CEA) , ou Anomalia do olho do Collie, na qual acontecem mudanças e anormalidades nos olhos dos cães dessa raça (como desprendimento da retina), que podem conduzir à cegueira. Afeta cães por volta de dois anos e não tem tratamento;
  • Osteocondrite Dissecante (OCD) , quando ocorre crescimento inadequado de cartilagem nas articulações, em especial os cotovelos, provocando endurecimento doloroso e incapacidade de dobrar as articulações. Alimentação rica em proteínas e fórmulas de crescimento podem contribuir para o desenvolvimento do problema. 

Curiosidades

Por quê ter um Border Collie?

O Border Collie é a raça mais inteligente do mundo, altamente treinável e praticamente um workaholic do mundo canino. Além de ser usado ainda hoje como cão de pastoreio para rebanhos de ovelhas, ele aprende rapidamente, sendo capaz de entender o menor movimento de sobrancelhas ou um sinal de mão do seu tutor.

Essa raça prospera em atividade, mas ao contrário de outros cães, não exige treinamento para apresentar bom comportamento. O Border Collie precisa de desafios e estar constantemente ocupado. Dê ao seu cão algumas tarefas diárias e se surpreenderá com o seu potencial. Se destaca, em especial, em esportes caninos de rastreamento, agilidade, flyball e lançamento de discos.

Os exercícios físicos e mentais frequentes fazem bem ao animal, que é também um companheiro fiel, leal, simpático e sociável. Apesar de não servir como cão de guarda, ele é desconfiado em relação a estranhos, pois preserva sua família e protege seus tutores.

É acima de tudo um cão amigável, apegado à família e afetuoso. É ótimo para crianças, de preferência com as mais velhas, para não se incomodar com barulhos e movimentos bruscos das mais novas.

Para tutores de primeira viagem é ótimo e fácil de cuidar, principalmente por ser tranquilo de educar. Vai ser uma grande companhia para brincar com a bolinha e também para passear no parque. É adequado a pessoas dispostas a dar atenção ao cachorro e que estiverem disponíveis para fazê-lo companhia. 

É divertido e brincalhão, um cão próprio para quem quer receber e dar atenção a toda hora. É o típico companheiro que vai agitar a rotina de qualquer pessoa. 

Por quê não ter um Border Collie?

É preciso fôlego, energia e paciência para entreter o Border Collie, que precisa de exercícios físicos e mentais constantes. Se estiver entediado, ele mesmo vai buscar algumas ocupações – geralmente desagradáveis, como cavar, ladrar e perseguir carros. Quando filhote, seu passatempo preferido é destruir tudo o que ver pela frente, por isso é importante ter atenção.

Perseguir, aliás, é algo que ele costuma fazer e que é bastante irritante. Isso porque, na ausência de ovelhas para cuidar, ele vai tentar pastorear aquilo que estiver ao seu redor, incluindo outros animais, crianças, carros e qualquer coisa que se mova.  Permitir que ele fique livre na rua é garantir que as perseguições vão ocorrer.

O Border Collie também é conhecido por seu olhar firme e intenso, que pode irritar outros animais. Se não for devidamente socializado quando filhote, se tornará um cão tímido e temeroso. Sua curiosidade e inteligência podem levá-lo a fugas de casa. 

Com estranhos pode ser desconfiado e reservado. Leva um certo tempo até se acostumar à presença de pessoas que não conhece muito. Mas não chega a ser agressivo. 

Não é um cão indicado a idosos porque tendem a ser muito agitados e precisam de espaço para correr, além de um tutor com energia suficiente para levá-lo a caminhadas e passeios intensos. 

Pessoas que moram sozinhas também não deveriam adotar um Border Collie, à medida que ele sofre ao ficar sem nenhuma companhia por horas seguidas. Fica ansioso, triste e irritado. Precisa de atenção constante e de um tutor bem presente.


Não é um cachorro que se adapta a apartamento e espaços pequenos. Precisa de casas grandes e parques com áreas vastas para correr e queimar sua energia acumulada. A inteligência da raça também exige brincadeiras e desafios diários, normalmente restringidos pelos ambientes menores.
Conheça outras raças de cães