É possível melhorar a qualidade de vida e a saúde do pet com algumas mudanças na alimentação e na prática de exercícios

Não é raro encontrar um pet mais gordinho, que aparentemente está mais fofo e feliz por comer mais. Porém, um cachorro obeso é sinônimo de uma série de outros problemas de saúde e demanda grandes mudanças nos hábitos diários.  Além disso, a boa vontade deve partir principalmente do tutor, o maior responsável pelo pet.

+O coração do seu pet está saudável? Confira alguns cuidados necessários

Um cachorro obeso precisa de mudanças de hábitos na alimentação e na rotina de exercícios
shutterstock
Um cachorro obeso precisa de mudanças de hábitos na alimentação e na rotina de exercícios

É importante ressaltar que a prevenção do sobrepeso começa logo quando o cão é filhote. Fica muito mais difícil reverter o quadro depois de adulto e, principalmente, idoso. O cachorro obeso é sempre resultado de um conjunto de fatores ao longo da vida. Mas, com algumas dicas tudo fica mais fácil e a vida dele, mais saudável.

Apesar de ser encarado como um ato de carinho, oferecer comidinhas em excesso e, em especial, aquelas próprias para humanos , é um dos maiores danos ao cão. Às vezes ele faz uma carinha de dó e convence todo mundo da casa a ganhar mais um biscoitinho , mas a firmeza do dono precisa ser maior.

Alguns sinais ajudam a identificar quando um cão está acima do peso , antes mesmo de levá-lo ao veterinário. Porém, é bom saber que os números da balança não apontam exatamente o que levou o pet ao sobrepeso: além do excesso de gordura , é possível estar apenas inchado, com acúmulo de líquido ou aumento de músculos. Mas esses dois últimos fatores são menos prováveis quando o pet tem um hábito alimentar pouco saudável.

O tipo de corpo do cão, o porte e a raça devem ser levados em conta na hora de avaliar o pet. Afinal, alguns cães tem mais tendência à obesidade e precisam de um cuidado especial.

A obesidade canina pode ser evitada e tratada
Reprodução Redes Sociais
A obesidade canina pode ser evitada e tratada

Seu cachorro é obeso?

Ao observar o cão, é importante apalpá-lo para sentir a camada de gordura. Tente acalmá-lo primeiro e depois toque na região das costas dele, passando a mão também na lateral do corpo. Se não der para sentir as costelas dele é provável estar acima do peso ideal para seu tamanho. Por outro lado, caso sinta totalmente essa parte e também esteja visível, é sinal de magreza e, dependendo do nível, subnutrição.

Normalmente isso é feito pelo veterinário, mas não impede ser testado em casa também, para já ter uma noção. 

O hipotireoidismo é uma falha na função da glândula tireoide e um dos sintomas é o ganho de peso repentino e sem explicação. Por isso, é uma possível justificativa para essa mudança corporal e deve ser investigada por meio de ultrassonografias, exames de sangue e clínicos, realizados pelo médico.

Como prevenir (e tratar) a obesidade em cães

Embora exista uma predisposição de alguns pets serem gordos, dá para evitar esse problema com algumas dicas básicas. O ideal é segui-las ainda quando o animal é bebê e mantê-las firmes até o fim da vida. Da mesma forma, esses conselhos são válidos para reverter o quadro de um pet já gordo.

Mantenha sempre uma alimentação balanceada. Se tiver dúvidas procure um veterinário para entender melhor quantas vezes por dia o pet deve comer e a quantidade de ração adequada para ele. Nada de incluir guloseimas, massas e alimentos gordurosos. No máximo alguns legumes e frutas são permitidos. 

Há um tipo de ração específica para cada cão, de acordo com o porte e as necessidades energéticas dele. Normalmente isso está escrito na parte de trás do pacote de ração.

Além disso, o mesmo tanto de comida deve ser oferecido em pequenas porções, várias vezes ao dia. Psicologicamente é como se o pet ingerisse mais. No caso do pet obeso, há rações dietéticas , com a mesma quantidade energética (calorias), porém com uma porção de gordura menor.

A alimentação é determinante para saúde do pet
Reprodução/ Shutterstock
A alimentação é determinante para saúde do pet

Uma rotina de exercícios diários ajuda bastante. Se o tutor não tem disponibilidade para levar o pet para passear, brincadeiras dentro de casa, com bolinhas e corridinhas são benéficas e mais acessíveis. O importante é o cão se movimentar o máximo que der. Até porque, animais sedentários  tendem a ficar mais estressados e hiperativos. Precisam de estímulos mentais e de desafios para a manutenção da saúde.

Garantir que o pet beba água em abundância evita uma série de problemas, principalmente nos rins. Isso auxilia a eliminar toxinas e a limpar o organismo. Inclusive porque a tendência é urinar mais. 

É fundamental acompanhar as mudanças de peso durante o processo de combate à obesidade . O ideal é marcar em uma tabela a evolução do pet, a cada uma ou duas semanas, e manter uma regularidade. 

Mas, melhor do que o próprio dono, o médico veterinário é o mais adequado para dar dicas e indicar o tratamento mais eficaz ao pet.

O excesso de gordura leva a consequências graves

  • Diabetes  -  esse problema de saúde é caracterizado por uma falha na produção de insulina, responsável por regular a quantidade de açúcar (glicose) no sangue. Não tem cura e exige uma série de cuidados, como a aplicação de hormônio. 
  • Hipertensão  - o aumento da pressão arterial sanguínea decorre de um esforço extra dos órgãos para funcionar. Costuma afetar principalmente cães idosos.
  • Artrite e artrose  - o sobrepeso representa não só excesso de gordura, mas também um esforço extra das pernas para aguentar os quilos a mais. Ao forçá-las, a tendência é machucar as articulações do quadril e do cotovelo, principalmente, podendo levar à displasia coxofemoral . Os cães de grande porte são os mais afetados,  à medida que naturalmente tem um peso maior.

Além disso, o sistema imunológico do pet de forma geral fica muito mais vulnerável a corpos estranhos, aumentando as chances de ter alguma enfermidade ou de desenvolver tumores, inclusive. 

Por isso, para evitar inúmeros problemas de saúde tão sérios como esses, o melhor é garantir um estilo de vida saudável ao pet desde cedo. Se o tutor de fato gosta do bichinho, não deve querer um cachorro obeso, por mais que a carinha de dó dele seja irresistível na hora das refeições.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.