A saúde da pessoa ou do animal que levou uma mordida de cachorro corre sério risco e algumas providências precisam ser tomadas rapidamente

Os cães foram domesticados há séculos, mesmo assim eles ainda conservam um instinto próprio. Farejar, correr, latir e morder são características herdadas dos ancestrais lobos e que, dependendo da situação, irão reaparecer. Então, se o animal se sentir ameaçado por uma pessoa, por exemplo, ele fará de tudo para se defender e o risco dela levar uma mordida de cachorro é bem grande. 

Leia mais: Conheça a história da domesticação de animais

A mordida de cachorro pode trazer sério problemas para a saúde
shutterstock
A mordida de cachorro pode trazer sério problemas para a saúde

Costuma-se ter medo apenas dos cães mais bravos, aqueles já conhecidos pela agressividade. Mas é preciso tomar cuidado com qualquer um, já que até o mais dócil e carinhoso pode atacar. Não é atoa que, no Brasil, milhares de pessoas dão entrada nos hospitais todo ano após levarem uma modida de cachorro . A maior parte delas são crianças.

Os diferentes tipos de mordida

As mordidas podem causar quatro diferentes tipos de lesão, leve (arranhões), perfuração, dilaceração ou esmagamento. Isso vai depender desda força que o animal possui na mandíbula até a forma e intesidade que ele atacou. O tratamento é feito de forma diferente em cada situação.

A lesão leve, ou seja, a que ocorreu apenas arranhões, é a menos preocupante. Como o ferimento não chegou a sangrar, o risco de infecção é bem reduzido e o tratamento pode ser feito em casa mesmo, como antisépticos e cicatrizantes. 

No caso da lesão por perfuração a pessoa deve se preocupar bastante. Isso porque a mordida foi profunda e a saliva do animal provavelmente infectou o machucado, que é pequeno e "protegido", com condições plenas da para a multiplicação das bactérias. Esse tipo é o que possui maior risco de infecção e complicações posteriores. 

Já as lesões por dilaceração e por esmagamento o animal morde e movimenta o maxilar de um lado para o outro. São as que possuem maior probabilidade de causar lesões internas graves ou até mesmo fraturas externas.

via GIPHY


Perigos para a saúde

Antigamente a principal preocupação de quem havia sido mordido por um cachorro era se contaminar com raiva. Como a doença está praticamente erradicada, atualmente não se fala tanto dela, mas é preciso ficar atento já que não há um tratamento eficaz e a taxa de mortalidade beira os 100%. Verificar se a pessoa moridida e o cachorro que mordeu possuem vacina de raiva é uma atitude muito importante. 

Leishmaniose, sarna e leptosprose são zoonoses que também podem ser transmitidas pela mordida. Consideradas doenças pirigosas possuem casos de fatalidade.

Leia também: Conheça as principais doenças de cachorros, a prevenção e o tratamento delas

Hoje em dia o que mais assusta são as bactérias e as possibilidades de infecção. Na boca de um cachorro existem mais de 50 tipos diferentes de bactérias, a maior parte delas causa sérios riscos quando presentes na corrente sanguínea humano. Dentre elas estão as do gênero Pasteurella, consideradas as mais perigosas.

Os sintomas da infecção costumam aparecer poucas horas depois. Febre, inchaço, necrose, pus e dor são alguns deles. O ideal é que a pessoa não espere que eles apareçam para só então procurar ajuda médica. Quanto mais rápido se iniciar um tratamento, melhor será a recuperação.

O que fazer

Em todos os casos, exceto o da lesão leve, o indicado é procurar um médico imediantamente. Mas, antes de dar entrada no hospital alguns procedimentos emergencias podem ser feitos. Lavar o local com água corrente e sabão instantes depois do ocorrido ajuda a diminuir os riscos de infecção. Depois disso, o sangramento deve ser estancado com uma toalha limpa, por exemplo. 

O tratamento será feito de acordo com cada caso. Geralmente ocorre uma limpeza da ferida, aplicação de pontos e indicação de antibióticos. Todos os casos que possuem suspeita de infecção recebem o remédio. Outros medicamentos podem ser receitados, como anti-inflamatórios e analgésicos. 

Como evitar ser mordido

Como boa parte dos casos registrados acontecem com crianças, a primeira saída é nunca deixar um cachorro sozinho com os pequenos, já que eles gostam de puxar o rabo, apertar e o animal pode não gostar disso. E não importa se o cachorro for muito manso, sempre precisa ter um adulto por perto. 

Leia mais: Entenda um cachorro bravo e saiba como agir para tratá-lo

Quando se trata de animais desconhecidos, o cuidado deve ser redobrado, já que não se sabe qual tipo de comportamento se trata. Tomando cuidado e respeitando o espaço do animal, os riscos de receber uma mordida de cachorro diminuem bastante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.