O grupo de bactérias, conhecido como streptococcus, também atinge os humanos, podendo causar sérios problemas

Muitas pessoas podem se assustar com a dificuldade de falar ou escrever a palavra streptococcus, mas a preocupação fica maior ainda quando se sabe o significado dela. Nome de um gênero de bactérias, possui algumas espécies que afetam negativamente a saúde tanto dos humanos, quanto dos animais. Em cães e gatos, por exemplo, surgem doenças que afetam desde a pele até o sistema respiratório

Streptococcus é o nome de um gênero de bactérias capaz de provocar um leque de doenças nos animais
shutterstock
Streptococcus é o nome de um gênero de bactérias capaz de provocar um leque de doenças nos animais

Conhecidas por serem muito resistentes, as  streptococcus  são capazes de viver mesmo com a ausência de oxigênio. Divididas em grupos, os que mais atingem os animais são os B, C e G. Dentro do organismo elas produzem ácido lático, podendo causar a morte celular de hemácias, presentes no sangue e que possuem o dever de transportar nutrientes e gases. 

Grupos da Streptococcus

O gênero de bactérias streptococus possui diversas espécies. Elas são separadas em grupos de acordo com a semelhança. As do grupo A costumam causar faringite, febre reumática ou febre pós-parto. A meningite, principalmente em filhotes, é causada pelas do grupo B. As do grupo G são conhecidas pela formação de pus. Há também as Viridans (afeta gengiva e dentição), as Mutans (problemas com a dentição) e as Pneumoniae (as mais perigosas, causam pneumonia e meningite). 

Transmissão

A bactéria atinge o organismo do animal quando ele está debilitado de alguma forma, seja por uma rotina não saudável (stress, má alimentação) ou um sistema de defesa prejudicado, seja por fatores da idade (muito novo ou muito velho) ou uma herança genética. Esses fatores facilitam uma infecção bacteriana, mas não são determinantes. 

O contato com a bactéria no meio ambiente é a causa mais comum. Parques, canis, petshops e hotéis para cachorro  que não possuem uma qualidade muito boa e até passeios na rua podem ser momentos de exposição dos animais. 

Locais com grande aglomeração de animais podem ser propensos para a contaminação
shutterstock
Locais com grande aglomeração de animais podem ser propensos para a contaminação

Cachorros e gatos que acabaram de passar por algum tipo de procedimento cirúrgico ficam mais propensos a uma infecção bacteriana. Aqueles que possuem uma idade bastante avançada ou são muito filhotes e ainda estão com o sistema imunológico em desenvolvimento também merecem maior atenção.  

Sintomas

Como as bactérias causam diferentes doenças, os sintomas também variam bastante. Devido a essa generalidade é muito difícil diagnosticar a presença da bactéria sem uma bateria de exames específicos, já que pode ser confundida com outras doenças. Por isso o mais importante é conhecer o comportamento do animal e ser capaz de notar qualquer mudança que possa gerar algum tipo de preocupação. 

A streptococcus só é diagnosticada a partir de exames
shutterstock
A streptococcus só é diagnosticada a partir de exames

Nos cachorros os principais são febre , dores, dificuldade de deglutição, amidalite e apatia. O mesmo pode ser observado nos gatos, mas a ênfase será no sistema respiratório. Com esses sintomas iniciais já existe a possibilidade do animal se tornar mais recluso ou agressivo. 

Tratamento

Pela forma variada das bactérias streptococcus não há uma forma de prevenção eficaz. Após o diagnóstico do veterinário, adquirido através de exames, o tratamento geralmente é feito por meio de antibióticos. Assim como acontece com os humanos, apenas profissionais qualificados poderão indicar a medicação. Na maior parte dos casos o efeito ocorre entre uma e três semanas do início do tratamento. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.