A caudectomia é a prática de amputar a cauda de alguns animais; conheça o por que disso, as raças que sofrem com a ação e as consequências

Os atos de amputar a cauda de um cachorro, conhecido como caudectomia, e o de cortar as orelhas, conhecido como conchectomia, são um resultado de influência do passado . Antigamente a prática era comum em animais que iam para a guerra ou caça e a justificativa para isso era a facilitação da vida do animal. Com a amputação destes membros diminuía a possibilidade de sangramento e a resistência ao atrito, melhorando o resultado do trabalho desses cães. 

Com o passar dos anos a função dos cães foi alterada e se tornou, principalmente, a de ser um animal de estimação. Porém a  caudectomia e a conchectomia continuaram a ser realizadas por uma mera questão de estética. Até 2013, quando a prática foi proibida pelo Concelho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), muitos donos de algumas raças específicas procuravam  pet shops e veterinários para realizar a amputação. 


A caudectomia é o ato de amputar a cauda dos cães
Resprodução
A caudectomia é o ato de amputar a cauda dos cães

Essa proibição aconteceu a partir da alegação de que tanto a caudectomia quanto a conchectomia traziam sérios danos para a saúde dos animais.  A cauda de um cachorro é a continuação da espinha vertebral e é formada por pequenas vértebras que prolongam a coluna e fazem parte do organismo do animal. Além disso, a cauda é muito importante na comunicação entre os animais, é através dela que eles expressam seus sentimentos.

A amputação pode deformar as patas, além de comprometer a capacidade de equilíbrio e desenvolvimento. Em relação à comunicação ele não será capaz abanar a cauda demonstrando felicidade ou colocá-la entre as pernas para demonstrar medo, dúvida ou vergonha. 

Cachorro da raça Doberman que sofreu a conchectomia
Reprodução
Cachorro da raça Doberman que sofreu a conchectomia

Já as orelhas são uma proteção natural do animal contra bactérias, correntes de vento e entrada de água, por exemplo. A partir do momento em que esse membro tem o seu formato modificado através da conchectomia , o risco do animal sofrer com infecções de ouvido ou com algum tipo de doença aumenta muito. Além de tudo que já foi dito, se o animal não receber o tratamento ideal após uma amputação ele pode chegar a falecer. 

Atualmente, raças como Boxer, Pinscher, Schnauzer, Cocker Spaniel, Poodle, Doberman, Rottweiler, Pitbull e Dogue Alemão, que mais sofriam com a caudectomia e com a conchectomia, são protegidas por lei. A mutilação de qualquer membro de um animal por causas estéticas é considerada crime ambiental pela Lei Nº 9.605.

Cocker que sofreu a caudectomia.
Reprodução
Cocker que sofreu a caudectomia.

O Concelho Regional de Medicina Veterinária mantém uma fiscalização rigorosa em relação a pet shops e veterinários para evitar a realização da caudectomia e, consequentemente, da prática de um crime. O profissional ou qualquer pessoa pega em flagrante estará sujeita a um processo. Realizar as amputações é uma f orma de maltratar o animal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.