Os sinais de surdez nos cães são difíceis de reconhecer e podem ser confundidos; saiba como lidar com um cachorro surdo

Os cães podem nascer surdos ou irem perdendo a audição durante a vida devido a infecções ou envelhecimento. Se o seu cachorro anda ignorando os comandos de voz, latindo menos, não notando a chegada das pessoas em casa ou agindo com surpresa e agressividade  quando é tocado, ele pode pertencer a esse segundo grupo. Para saber se o seu animal de estimação será um cachorro surdo no futuro, é muito importante prestar atenção nesses sinais.

Identidicar um cachorro surdo não é uma tarefa fácil
Reprodução Pinterest
Identidicar um cachorro surdo não é uma tarefa fácil

A surdez nos cães ocorre de forma gradual e por isso é muito difícil ter um diagnóstico precoce. “O mais comum é que as alterações só sejam notadas quando estas se agravam”, explica a veterinária Carla Berl. Mesmo com essa dificuldade é essencial que o cachorro surdo seja examinado o mais rápido possível para identificar a causa do problema e evitar o aparecimento de outros.

Causas da surdez em cachorro

Os principais fatores ligados à surdez são herança genética e outras doenças. As infecções crônicas de ouvido, causada por fungos e bactérias, e infecções virais, como cinomose, estão entre as causas mais comuns dos quadros de surdez nos pets. O problema também pode estar ligado às doenças comuns em cães idosos, como a Sindrome Cushing, que atinge a produção de hormônios.

O uso de alguns medicamentos também pode provocar alterações significativas na audição dos animais. “Antibióticos aminoglicosídeos, em particular, podem ser prejudiciais em doses elevadas ou por longos períodos por serem capazes de danificar a estrutura do ouvido”. Além disso, acidentes e traumas, como um acidente vascular cerebral ou uma pancada forte capaz de lesionar nervos, também podem ser fatores de risco.

Raças com maior índice de cachorros surdos

Os Dalmatas fazem parte das raças mais propensas a surdez
Reprodução Pinterest
Os Dalmatas fazem parte das raças mais propensas a surdez

Entre os cachorros que já nasceram com a deficiência, a maior parte é de raça pura. “Animais de raças como Dálmata, Boston Terrier, Dachshunds, Collies, Bull Terrier, Pastor de Shetland e alguns SRDs com cores de olho diferentes têm mais predisposição ao problema”, explica Carla.

Como identificar um cachorro surdo

A maneira mais eficaz para identificar alterações na audição é prestar atenção na mudança de comportamento. Fazer testes com o cachorro desde filhote pode ser outra opção. “A melhor maneira de testar a audição é selecionar um barulho que os filhotes não conhecem, como o som agudo de um apito. Coloque o animal em ambiente tranquilo e deixe que ele reconheça o novo espaço. Quando o pet estiver focado em você, peça para que alguém emita o som, fora do alcance visual do animal. O cão que escuta vai procurar de onde vem o som e o animal surdo continuará a olhar para você como se nada tivesse acontecendo”, conta Carla. Para fazer esse experimento é preciso esperar 25 dias de vida.

Como educar um cachorro surdo

Os cachorros são auditivos e olfativos e aprendem muito com a entonação da voz humana, normalmente são educados com elogios e repreensão verbal . Mas no caso dos animais surdos isso terá que ocorrer de outra forma. “Como o cão não pode ouvir o elogio verbal, o ideal será usar sinais com as mãos (treinamento visual) que poderá se tornar o principal meio de comunicação entre o dono e o cachorro surdo”.

Além desse recurso tradicional, poderá também haver o uso de lanternas para a comunicação noturna, ou ponteiras de laser, pois é muito mais brilhante que a luz normal e pode alcançar até 100 metros. “Ao brilhar o ponto de laser na frente do cão, ou em uma parede, o dono pode atrair a atenção do cachorro surdo. Mas jamais se pode direcionar as luzes para os olhos, isso pode causar desconforto ou lesar a retina”.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.