Algumas medidas precisam ser tomadas no momento em que o cão começar a apresentar agressividade

Olá, amigos do Canal do Pet! Hoje eu vim falar um pouco sobre o cão agressivo. 

+ Tem tamanho ideal para cachorro de apartamento? Quais os cuidados necessários?

Ter em casa um cão agressivo é uma situação complicada para as pessoas que convivem com o animal. Causa insegurança e frustração, e o relacionamento com o pet pode ficar comprometido.

A convivência com um cão agressivo é bastante complicada
Reprodução Pinterest
A convivência com um cão agressivo é bastante complicada

É possível obter excelentes resultados com o treinamento adequado de cachorros que demonstram algum dos tipos de agressividade. Mas, de qualquer forma, hoje eu gostaria de apontar aqui algumas dicas importantes, independentemente do histórico de agressividade do seu cão.

Segurança

Quando a agressividade começa a se manifestar, independentemente do que esteja motivando esse comportamento, é importante pensar na segurança de todos: a do próprio cão, de outros animais, dos membros da família e das pessoas em geral.

Reações agressivas podem ser perigosas para outros cachorros ou gatos da família, especialmente se ela é direcionada para animais. Portanto, logo que identificada, é preciso se certificar de que as interações serão seguras através de supervisão e até de separação dos mesmos ambientes. A ajuda profissional deve ser buscada a quanto antes.

+ Agressividade de cães: é possível melhorar?

Da mesma forma, em caso de agressividade contra pessoas, a presença de crianças ou idosos na família pode aumentar o risco de acidentes sérios. Nesse caso, é importante que as interações do cão com essas pessoas seja também supervisionada com muito cuidado.

Identificar os gatilhos

Começar os treinos de modificação comportamental imediatamente é preciso. Mas, mesmo antes de o profissional começar o trabalho, as pessoas da família poderão dar informações que serão bem importantes no planejamento dos treinos.

Portanto, lembre-se de anotar as situações em que ocorreram sinais de agressividade pelo cão (mesmo que não tenham culminado em um ataque), quando foi o primeiro episódio, se aumentaram de frequência.

+  Possessividade canina é um grande problema que possui solução

Esses dados são importantes para que o adestrador possa, junto com a família, identificar os gatilhos para as reações agressivas e planejar o treinamento.

via GIPHY


Cuidado com “fórmulas”

Mesmo que você seja uma pessoa com experiência com cães, cuidado com relatos ou sugestões que você perceba que não se estão levando em conta a identificação dos itens de segurança ou o tipo de agressividade envolvida.

Confrontar o cão diretamente ou promover o seu isolamento podem até piorar, e muito, as reações agressivas.

Não menosprezar o tamanho

Mesmo os cães de porte pequeno podem machucar uma criança, por exemplo. Portanto, se o seu é um pequeninho e está começando a apresentar algum tipo de agressividade, não hesite em buscar auxílio de um especialista em comportamento animal.

+  Entenda um cachorro bravo e saiba como agir para tratá-lo

Por fim, quanto mais episódios de agressividade, mais chances desse comportamento começar a aumentar de frequência. Daí a importância de começar logo com as medidas necessárias para os treinos do cão agressivo.

Um abraço, 

Alexandre Rossi. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.