Mesmo a lei tratando os animais, que possuem emoções e capacidades, como objetos, a realidade está mudando

Olá, amigos do Canal do Pet, tudo bem?

A forma como as leis no Brasil classificam os animais sempre me intrigou. Saber que os nossos queridos bichinhos de estimação - e os silvestres também - são vistos como objetos não é nada bacana. Os cientistas já estudam há muito tempo as capacidades  e as emoções que os animais apresentam e, diante de várias descobertas que nos surpreendem e fascinam, fica difícil pensar nos animais como seres que não têm uma proteção maior da lei.

Os animais são tratados pela lei brasileira como se fossem objetos
Reprodução
Os animais são tratados pela lei brasileira como se fossem objetos


Mudança de cultura

Percebo, claramente, que estamos diante de uma mudança de cultura e esperamos que, logo, haja uma mudança da própria lei. Recentemente, soube da criação da DEPA (Delegacia Eletrônica de Proteção Animal)  e também de outra lei estadual em São Paulo, que estabeleceu a impossibilidade de uma pessoa que comprovadamente tenha cometido crime de maus-tratos contra animais ter a guarda de pets por cinco anos.

Nessa lei, podemos ver uma indicação dessa mudança de cultura: a lei falou da “guarda” de animais e não da “posse”, que seria o termo correto para coisas, objetos. Existe também um projeto de lei que propõe alterar a definição dada atualmente aos animais para que eles possam ser sujeitos de direitos, como seres que sentem e merecem nosso cuidado e respeito.

Uma nova realidade

Apesar de a legislação ainda considerar os animais como “bens semoventes” (nome que se dá a bens que possuem movimento próprio), já há juízes que julgam os considerando com o devido respeito, inclusive determinando o tipo de guarda quando um casal se separa, por exemplo (decisões assim eram pensadas só em relação a filhos).

Além disso, caso esse projeto de lei seja aprovado, a sociedade brasileira terá dado um passo a mais no que diz respeito ao bem-estar, cuidados e proteção que devemos ter em relação aos animais. Isso mostra que lutar por uma cultura de conscientização e de respeito aos animais pode demorar, mas se cada um fizer a sua parte a cada dia, em determinado momento, poderemos ver a mudança que tanto queremos se tornar realidade. Portanto, vamos continuar de olho e lutando por aquilo que acreditamos.

Um abraço a todos,

Alexandre Rossi. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.